conecte-se conosco


Esportes

Zagueiro do Deportivo Cali sofre atentado a tiros após eliminação na Colômbia

Publicado


O zagueiro do Deportivo Cali, Juan Quintero, sofreu um atentado a tiros depois de eliminação do clube
Reprodução

O zagueiro do Deportivo Cali, Juan Quintero, sofreu um atentado a tiros depois de eliminação do clube

Na noite deste domingo (11), o zagueiro Juan Sebastian Quintero
, do Deportivo Cali da Colômbia, sofreu um atentado a tiros no bairro Alfaguara quando deixava o estádio do clube, depois do jogo contra o Deportivo Pasto.

Leia também:  Equipe sub-14 sofre acidente fatal de ônibus em região montanhosa do Peru

Segundo informações do site ElPaís.com.co
, o atentado contra o jogador do Deportivo Cali
teria sido realizado pelos próprios torcedores do clube. O motivo? A eliminação do time na primeira fase do Torneio Finalización do Campeonato Colombiano.

Apesar da vitória por 1 a 0 contra o Deportivo Pasto, o Cali terminou a competição na décima colocação e apenas os oito primeiros da tabela se classificaram para a fase final do torneio.

De acordo com a Polícia Nacional, dois homens em uma motocicleta abordaram o carro do zagueiro Quintero e mandaram o jogador parar. O pai do atleta, Diego Quintero, deu entrevista ao jornal  El País
e contou o que aconteceu.

Leia mais:  Rodrigo Caio diz que perdeu paixão pelo São Paulo e critica postura de Aguirre

“Dispararam contra o carro, no momento em que Juan estava com o irmão mais novo”. Quintero tem 23 anos, chegou ao clube de Cali em 2013, após uma temporada na Europa retornou à Colômbia para ajudar a equipe que o revelou. Nenhum dos dois ficou ferido.

O pai do atleta também comentou que os autores do atentado podem ser membros de torcidas organizadas do Deportivo Cali. Logo após os disparos, os homens fugiram e ainda não foram identificados pela polícia. Apesar do relato da família, as autoridades locais tratam o caso como tentativa de roubo.

Leia também:  Boca Juniors e River Plate empatam em jogão pela final da Libertadores

Nesta segunda-feira (12), o clube publicou em sua conta do Twitter um comunicado repudiando o ‘ato violento’ contra o zagueiro da equipe. “A associação Deportivo Cali lamenta profundamente o ato violento contra nosso jogador Juan Sebástian Quintero (…) Os fatos estão sendo investigados por parte da Polícia Nacional”, diz o texto.

Leia mais:  NFL homenageia Stan Lee com capacetes inspirados em super-heróis

Situação do Deportivo Cali não é boa


Deportivo Cali e Palmeiras se enfrentaram na final da Libertadores de 1999. O clube brasileiro foi campeão.
Reprodução

Deportivo Cali e Palmeiras se enfrentaram na final da Libertadores de 1999. O clube brasileiro foi campeão.

Fundado em 1912, a Associação Deportivo Cali possui nove títulos do Campeonato Colombiano
e é considerado o quarto clube que mais levantou o troféu nacional.

As campanhas do time em âmbito internacional não são muito satisfatórias: foi vice campeão da Copa Libertadores da América em 1978 e 1999, além de ser vice também da Copa Merconorte.

Leia também:  Argentino Santiago Solari é efetivado no cargo de treinador do Real Madrid

Pela tradição no país, a eliminação do fim de semana levou o Deportivo Cali
a anunciar a saída do treinador Gerardo Pelusso e do capitão da equipe Andrés Pérez. A saída do meio-campista não agradou os torcedores, que protestaram nas redes sociais.

Comentários Facebook
publicidade

Esportes

Fórmula 1 cancela GP Brasil este ano em Interlagos

Publicado

A Fórmula 1 cancelou hoje (24) o Grande Prêmio (GP) do Brasil que ocorreria em 15 de novembro. Será a primeira vez, desde 1973, que a corrida não será realizada no país. O anúncio feito nesta sexta-feira (24) por meio de nota oficial da  Fórmula One Management, organizadora do evento. 

Além do GP do Brasil no autódromo de Interlagos, também foram cortadas da temporada deste ano outras três provas: Canadá, Estados Unidos e México. As corridas estavam previstas para acontecer entre outubro e novembro, com exceção do GP do Canadá, que seriam em em junho.

O prefeito da cidade de São Paulo, Bruno Covas, comentou a decisão durante coletiva de imprensa sobre a situação da pandemia do novo coronavírus (covid-19), em São Paulo. Covas disse que a prefeitura vai respeitar a decisão dos organizadores da Fórmula 1. No entanto, ressaltou que a capital paulista, em novembro, estará em situação melhor do que nas cidades onde já ocorreram corridas este ano. Covas afirmou ainda que as tratativas pra renovação do contrato da Fórmula 1 em Interlagos no ano que vem continuam. O contrato termina este ano.

No início deste mês, o chefe da Mercedes, o austríaco Toto Wolff, já havia se pronunciado sobre a inviabilidade de realização do GP no país. Na ocasião, ele revelou o teor da conversa que teve com o diretor executivo da F1, o norte-americano Ross Brown, sobre o risco de realizar o GP no Brasil diante do descontrole da pandemia do novo coronavírus (covid-19) no país.

Leia mais:  Leonardo ordena e Neymar terá de aprender a falar francês, afirma jornal

Por meio de mensagem publicada o Twitter, os organizadores comentaram a decisão.

“Com a pandemia da COVID-19 em curso, significa que, infelizmente, não será possível competir no Brasil, EUA, México e Canadá este ano. Esperamos voltar na próxima temporada para as Américas para fazer um show para nossos fãs apaixonados da região.” e ainda completou em nota publicada no site – “Também queremos prestar homenagem aos nossos incríveis parceiros nas Américas e esperamos voltar com eles na próxima temporada, quando mais uma vez conseguirem emocionar milhões de fãs ao redor do mundo.”

Por meio de nota oficial, a  assessoria de comunicação da empresa Interpub, responsável pelo GP Brasil, disse: “Sobre as notícias divulgadas hoje, 24/07/2020, dando conta do cancelamento do GP Brasil de Fórmula 1 e das demais corridas das Américas, comunicamos que não recebemos até o presente momento nenhuma comunicação oficial da Federação Internacional de Automobilismo e, dessa forma, não poderemos nos manifestar”.

A Fórmula 1 deveria iniciar em março, mas teve de ser adiada por causa da explosão de casos de covid-19 pelo mundo. Ao todo, 15 provas já foram afetadas pela insegurança sanitária, sendo que sete delas (Austrália, Mônaco, França, Holanda, Azerbaijão, Cingapura, Japão, Brasil, Canadá, Estados Unidos e México) foram canceladas. Já outras quatro provas acabaram adiadas (Bahrein, Vietnã, China e Espanha).

Leia mais:  Sem acordo, Palmeiras continua fora da Globo e emissora transmite Santos x Vasco

Por outro lado, mais três circuitos foram confirmados para a temporada 2020. Em Nürburgring (GP da Alemanha), acontecerá em 11 de outubro. Já o de Portimão (GP de Portugal) aparece como novidade. Ele foi agendado para 25 de outubro, e será a primeira vez que o Circuito Internacional de Algarve sediará uma corrida de F1. O país não recebia um evento de Campeonato Mundial da categoria desde 1996. Por fim, o de Ímola (GP da Emilia Romagna) está marcado para 1º de novembro, na Itália.

Com o calendário revisado devido à pandemia, os organizadores da Fórmula 1 reiteraram o objetivo de completar o Campeonato Mundial com a disputa de 15 a 18 provas. Inicialmente era previsto 22 circuitos. O encerramento da competição deverá acontecer em dezembro, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos.

Por Rafael Monteiro – Repórter da Rádio Nacional – Rio de Janeiro

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana