conecte-se conosco


Entretenimento

Viúva de Mr. Catra fala sobre dificuldades financeiras: “Ele era o provedor”

Publicado

Na última segunda (18), Silvia Regina, viúva de Mr. Catra, foi a convidada do “Superpop”. Além dela, Alandin, Fernandinho, Kalyba e WL, quatro dos 32 filhos do funkeiro, também participaram do programa de Luciana Gimenez. Durante o papo, ela falou sobre as dificuldades financeiras que a família vem enfrentando.

Leia também: Eterno Mr. Catra! Veja dez frases que marcaram a carreira do cantor

Silvia e Mr. Catra arrow-options
Reprodução Instagram

Silvia e Mr. Catra


Leia também: Poligamia, cotas raciais e as polêmicas abraçadas por Mr. Catra

“Ele era o provedor da casa. Tivemos que adaptar, eu não trabalhava, hoje trabalho”, disse a viúva de Mr. Catra no programa de Luciana Gimenez , contando como foram os momentos finais ao lado do amado. “Eu já conhecia ele só no olhar. Ele me pediu perdão por tudo o que fez, disse que se Deus desse uma oportunidade, faria diferente. Por mais que eu tenha mente aberta, para qualquer outra mulher traz sofrimento”, reconheceu ela, sobre a poligamia dele. 

Leia também: Emocionante! Filhos de Mr. Catra fazem show em tributo ao pai

Leia mais:  “Tá no Ar” finaliza seu último episódio com cortejo fúnebre, cor e famosos

“Na última semana ele surtou, começou a tirar os tubos e querer ir para casa. Quando o médico veio me dizer que ele estava morrendo, eu tive um surto. O médico disse: ‘ele foi muito forte. Para a gente eram 6 meses de vida, ele durou quase 3 anos’”, recordou a viúva de Mr. Catra . O funkeiro morreu vítima de um câncer no estômago aos 49 anos.

Comentários Facebook
publicidade

Entretenimento

Instagram proíbe conteúdo que promova a terapia de conversão sexual

Publicado

por

O Instagram proibirá qualquer conteúdo que promova terapia de conversão depois que ativistas pediram que ela impedisse os provedores de anunciar seus serviços online. A plataforma de mídia social informou a decisão à CNN na sexta-feira (10).

A mídia social, de propriedade do Facebook, disse que expandiria suas políticas existentes sobre discurso de ódio em todo o mundo para incluir na política postagens que anunciam ou promovem a prática.

A terapia de conversão ou terapia de reorientação sexual, um processo pseudocientífico que professa mudar a sexualidade de uma pessoa, é amplamente desacreditada e condenada como prejudicial pelas principais associações médicas. Mesmo assim, ela é legal na maior parte do mundo, inclusive nos Estados Unidos e no Reino Unido.

A ação do Instagram segue os apelos dos usuários para remover uma conta usada pelo Core Issues Trust, um serviço de terapia de conversão com sede no Reino Unido.

“Não permitimos ataques contra pessoas com base em orientação sexual ou identidade de gênero e estamos atualizando nossas políticas para proibir a promoção de serviços de terapia de conversão”, afirmou Tara Hopkins, diretora de políticas públicas do Instagram para Europa, Oriente Médio e África, em um comunicado.

Leia mais:  “Tá no Ar” finaliza seu último episódio com cortejo fúnebre, cor e famosos

“Removemos o conteúdo violador do perfil @coreissuestrusttv. Estamos sempre revisando nossas políticas e continuaremos a consultar especialistas e pessoas com experiências pessoais para informar nossa abordagem”, acrescentou.

Além disso, a plataforma deixará de recomendar conteúdo relacionado à terapia de conversão, como depoimentos sobre sua eficácia ou postagens com elogio ou apoio à prática, exceto aqueles em um contexto legislativo.

No início deste ano, o Instagram proibiu anúncios pagos desse tipo de serviço.

Terapia de conversão é qualquer tentativa de alterar a orientação sexual ou a identidade de gênero de alguém. Não funciona, e estudos mostram que aqueles que se sujeitam a ela correm um risco maior de depressão e suicídio.

Vários estados dos EUA o proibiram e, em maio, a Alemanha se tornou um dos primeiros países grandes a proibi-la para menores de idade.

No Reino Unido, uma proibição total prometida pela ex-primeira-ministra Theresa May em 2018 ainda não se concretizou e não foi incluída em nenhuma das agendas legislativas do primeiro-ministro Boris Johnson.

O Facebook e o Twitter não responderam imediatamente a perguntas sobre suas políticas.

Leia mais:  Shows de Silva e Rashid com patrocinadora do Lolla gera confusão no Twitter

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês).

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana