conecte-se conosco


Esportes

Vice de futebol do Cruzeiro “joga a toalha” e pede demissão do cargo

Publicado

Lance

Itair Machado pediu demissão do Cruzeiro arrow-options
Divulgação

Itair Machado pediu demissão do Cruzeiro

A diretoria do Cruzeiro tem perdido membros importantes nos últimos dias devido à crise que o clube está vivendo e pela pressão interna e externa para que os atuais comandantes do clube deixem a Raposa , como forma de pacificar o clube e tentar focar numa reação do time dentro de campo, evitando uma queda para a segunda divisão.

Leia também: Cruzeiro levaria 200 anos para pagar todas as suas dívidas, revela estudo

A primeira queda importante no Cruzeiro foi de Sérgio Nonato, que deixou o cargo de diretor-geral, na última sexta-feira, 4 de outubro.

Agora, o nome da vez é do vice de futebol Itair Machado , talvez o maior símbolo da gestão Wagner Pires de Sá, considerado inclusive o pivô de central de toda a crise institucional e que afetou o clube dentro das quatro linhas. 

A saída de Itair do Cruzeiro foi anunciado no fim da tarde desta quinta-feira, 10 de outubro e pode ser considerada como um marco para o clube, já que as correntes divergentes dentro da Raposa tinham consenso que o melhor era definir a retirada do vice de futebol do seu cargo. 

O Cruzeiro emitiu uma nota oficial sobre a situação, comunicando o desligamento do dirigente, que se pautou por muitas polêmicas no tempo que exerceu o cargo no time celeste, desde janeiro de 2018. O último gesto de Itair no cargo foi tentar convencer “figurões” do clube, como o presidente do conselho, Zezé Perrella, de que poderia reverter a situação atual do Cruzeiro e permanecer no cargo, o que foi prontamente rechaçado por Perrella e diversos conselheiros de oposição. 

Gestão de confrontos, acusações e investigações

O tempo de Itair no Cruzeiro foi recheado de polêmicas como embates públicos com dirigentes de clubes rivais, como os da Federação Mineira de Futebol, o que lhe custou uma punição no TJD-MG e STJD, atrito com dirigentes do Atlético-MG e até com os do Flamengo, à época da negociação do meia uruguaio para o clube carioca. 

Leia também: Torcedores do Cruzeiro invadem CT para cobrar jogadores e são expulsos pela PM

Outro ponto que gerou discórdia na gestão de Itair Machado ao seu modo de administrar o futebol do Cruzeiro foi o alto salário que recebia do clube, criando um ambiente de muitas críticas ao clube, por remunerar o diretor com altas cifras, enquanto a instituição tentava organizar suas finanças. 

Leia mais:  Caso de polícia! Homem acusa Adriano Imperador de tentar agredi-lo e registra BO

Segundo o balancete do Cruzeiro,os gastos do clube com Itair chegaram a R$ 3 milhões somente no primeiro ano de serviços prestados à Raposa. Além do bom salário, Itair conseguiu junto ao presidente Wagner Pires de Sá que o seu contrato de trabalho tivesse uma cláusula que que lhe garantia uma multa rescisória no valor de R$ 2 milhões caso fosse dispensado pelo Cruzeiro.

União com Wagner Pires de Sá

Itair se uniu à atual diretoria em 2017, quando, ao lado de Sérgio Nonato, coordenou a campanha que levou Wagner Pires de Sá à presidência do Cruzeiro. Antes mesmo de assumir o cargo de vice-presidente de futebol, ele se encarregou, no fim da gestão de Gilvan de Pinho Tavares, a conduzir negociações de jogadores e até a renovação do técnico Mano Menezes. Entre as primeiras contratações, a mais polêmica foi do atacante Fred, que deixou o Atlético-MG para acertar com a Raposa. Porém, uma cláusula no acordo com o Galo proibia Fred de assinar com o Cruzeiro, a não ser que pagasse uma multa de R$ 10 milhões. 

Itair disse na época que ajudaria o jogador nesse imbróglio, mas acabou criando um novo problema para o clube: um processo movido pelo alvinegro, cobrando na justiça a multa, O caso se arrasta desde janeiro de 2018. 

Denúncias e investigações da Polícia

A parceria entre Itair Machado e Wagner Pires de Sá, gerou também uma crise institucional do clube e que só aumentou após denúncias de crimes envolvendo os dirigentes da Raposa. Entre as acusações, investigadas pela Polícia Civil e Federal, além do MP Mineiro, estão irregularidades financeiras, falsidade ideológica e cessão de dos direitos econômicos de dez jogadores, do elenco profissional e categorias de base, proibido pela Fifa, inclusive de um menor de idade, o jovem Estevão William de 12 anos.

Leia também: Egídio fala de chance de rebaixamento do Cruzeiro: “Não vamos deixar”

Leia mais:  De volta à elite após 33 anos, CSA estreia hoje com base campeã alagoana

Zezé Perrela assume a direção do futebol do Cruzeiro

Em acordo com o conselho do clube , o presidente Zezé Perrella será o novo responsável pelo departamento de futebol já assumindo as funções nesta sexta-feira, 11 de outubro. 

Veja a nota do clube na íntegra

P RESIDENTE DO CRUZEIRO QUER ANTECIPAR ELEIÇÕES. ITAIR MACHADO DEIXA A VICE-PRESIDÊNCIA DE FUTEBOL

O presidente do Cruzeiro EC, Wagner Pires de Sá, no intuito de apaziguar o forte momento político vivido pelo clube nos últimos meses tomou duas decisões importantes na tarde desta quinta-feira:

⁃ a primeira delas será antecipar as eleições do clube para janeiro de 2020, mas para isso será necessário acordo com os vices-presidentes Herminio Lemos e Ronaldo Granata que também foram eleitos e terão que dar anuência.

⁃ a segunda foi pela saída imediata do vice-presidente, Itair Machado, que a partir de agora deixa o comando do futebol, que será dirigido pelo presidente do Conselho Deliberativo, Zeze Perrella.

Itair Machado esteve à tarde na Toca da Raposa se despedindo dos jogadores, comissão técnica e funcionários que desejaram boa sorte em suas próximas jornadas.

O presidente Wagner Pires de Sá salientou que sua decisão deve-se ao grave momento politico que o Cruzeiro atravessa atrelado a forte crise financeira. Wagner Pires de Sá revelou, mais uma vez, que assumiu o clube tremendamente endividado tendo pago durante o seu mandato mais de R$ 150 milhões de dívidas da administração anterior, além das despesas mensais de salários de funcionários e jogadores e os respectivos impostos. Acrescentou ainda que diante das constantes disputas politicas o clube foi perdendo chances seguidas de recorrer ao mercado para corrigir suas finanças.

Com esse acordo as duas reuniões do Conselho Deliberativo marcadas para o dia 21 próximo estão canceladas.

Resumindo: o presidente Wagner Pires de Sá continua no cargo até a realização das próximas eleições, Itair Machado deixa a vice-presidência, e Zezé Perrella assume o comando do futebol do Cruzeiro e estará presente em Chapecó na partida de domingo contra a Chapecoense.

Belo Horizonte, 10 de Outubro de 2019.
Wagner Pires de Sá
Presidente do CRUZEIRO EC

Comentários Facebook
publicidade

Esportes

Fórmula 1 cancela GP Brasil este ano em Interlagos

Publicado

A Fórmula 1 cancelou hoje (24) o Grande Prêmio (GP) do Brasil que ocorreria em 15 de novembro. Será a primeira vez, desde 1973, que a corrida não será realizada no país. O anúncio feito nesta sexta-feira (24) por meio de nota oficial da  Fórmula One Management, organizadora do evento. 

Além do GP do Brasil no autódromo de Interlagos, também foram cortadas da temporada deste ano outras três provas: Canadá, Estados Unidos e México. As corridas estavam previstas para acontecer entre outubro e novembro, com exceção do GP do Canadá, que seriam em em junho.

O prefeito da cidade de São Paulo, Bruno Covas, comentou a decisão durante coletiva de imprensa sobre a situação da pandemia do novo coronavírus (covid-19), em São Paulo. Covas disse que a prefeitura vai respeitar a decisão dos organizadores da Fórmula 1. No entanto, ressaltou que a capital paulista, em novembro, estará em situação melhor do que nas cidades onde já ocorreram corridas este ano. Covas afirmou ainda que as tratativas pra renovação do contrato da Fórmula 1 em Interlagos no ano que vem continuam. O contrato termina este ano.

No início deste mês, o chefe da Mercedes, o austríaco Toto Wolff, já havia se pronunciado sobre a inviabilidade de realização do GP no país. Na ocasião, ele revelou o teor da conversa que teve com o diretor executivo da F1, o norte-americano Ross Brown, sobre o risco de realizar o GP no Brasil diante do descontrole da pandemia do novo coronavírus (covid-19) no país.

Leia mais:  Para celebrar amizade, River Plate lança uniforme em homenagem ao Torino

Por meio de mensagem publicada o Twitter, os organizadores comentaram a decisão.

“Com a pandemia da COVID-19 em curso, significa que, infelizmente, não será possível competir no Brasil, EUA, México e Canadá este ano. Esperamos voltar na próxima temporada para as Américas para fazer um show para nossos fãs apaixonados da região.” e ainda completou em nota publicada no site – “Também queremos prestar homenagem aos nossos incríveis parceiros nas Américas e esperamos voltar com eles na próxima temporada, quando mais uma vez conseguirem emocionar milhões de fãs ao redor do mundo.”

Por meio de nota oficial, a  assessoria de comunicação da empresa Interpub, responsável pelo GP Brasil, disse: “Sobre as notícias divulgadas hoje, 24/07/2020, dando conta do cancelamento do GP Brasil de Fórmula 1 e das demais corridas das Américas, comunicamos que não recebemos até o presente momento nenhuma comunicação oficial da Federação Internacional de Automobilismo e, dessa forma, não poderemos nos manifestar”.

A Fórmula 1 deveria iniciar em março, mas teve de ser adiada por causa da explosão de casos de covid-19 pelo mundo. Ao todo, 15 provas já foram afetadas pela insegurança sanitária, sendo que sete delas (Austrália, Mônaco, França, Holanda, Azerbaijão, Cingapura, Japão, Brasil, Canadá, Estados Unidos e México) foram canceladas. Já outras quatro provas acabaram adiadas (Bahrein, Vietnã, China e Espanha).

Leia mais:  PSG reduz preço de Neymar em R$ 342 milhões para facilitar venda ao Barça

Por outro lado, mais três circuitos foram confirmados para a temporada 2020. Em Nürburgring (GP da Alemanha), acontecerá em 11 de outubro. Já o de Portimão (GP de Portugal) aparece como novidade. Ele foi agendado para 25 de outubro, e será a primeira vez que o Circuito Internacional de Algarve sediará uma corrida de F1. O país não recebia um evento de Campeonato Mundial da categoria desde 1996. Por fim, o de Ímola (GP da Emilia Romagna) está marcado para 1º de novembro, na Itália.

Com o calendário revisado devido à pandemia, os organizadores da Fórmula 1 reiteraram o objetivo de completar o Campeonato Mundial com a disputa de 15 a 18 provas. Inicialmente era previsto 22 circuitos. O encerramento da competição deverá acontecer em dezembro, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos.

Por Rafael Monteiro – Repórter da Rádio Nacional – Rio de Janeiro

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana