conecte-se conosco


Política

Vereador defende CPI para investigar possíveis “aluguéis fantasmas”

Publicado

Câmara Municipal de Cuiabá rejeitou na última sessão Comissão Processante, mas aprovou CPI para apurar se ocorreram irregularidades na locação de prédios pelo município.
A Câmara Municipal de Cuiabá rejeitou, na manhã desta terça-feira (2), a Comissão Processante proposta pelo vereador Diego Guimarães (PP) para investigar o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) no caso dos contratos de “aluguéis fantasmas”, supostamente realizados pela Prefeitura. A instalação da comissão processantefoi rejeitada por 14 votos a 9.
Denúncias apontam que o principal imóvel em questão está localizado na Avenida Getúlio Vargas, no bairro Popular, e estaria sendo locado pela Secretaria Extraordinária dos 300 anos (Sec-300)por R$ 9 mil mensais.Mas até o momento o imóvel não teria sido ocupado para nenhuma finalidade administrativa, fato que estaria gerando prejuízos para o erário público.
Para o vereador, Diego Guimarães, faltou vontade política para aprovar a Comissão Processante proposta por ele, tendo em vista que há “motivos fáticos de sobra para justificá-la,uma vez que ficou comprovado que houve descuido do prefeito Emanuel na locação do imóvel, como a falta de licitação, desatenção às condições precárias do prédio, entre outros problemas e infrações”, destacou Diego.
O vereador Luis Cláudio (PP), líder do prefeito na câmara, afirmou que a maioria dos vereadores rejeitou a Comissão Processante, proposta pelo Vereador Diego Guimarães (PP), por entender que ela é um ato extremo e infundado para a situação apontada.Uma vez que ela afastaria o prefeitoantes de investigar, não dando direito de ampla defesa para o lado acusado.O vereador destacou a criação da CPIque vai investigar não só o prefeito Emanuel, mas todos os contratos de locação de imóveis feito nos últimos 5 anos.Inclusive pela administração do prefeito Mauro Mendes, que alugou durante um ano, sem funcionamento, o Hospital São Benedito, pagando por esta locação 135 mil reais por mês.
“Entendemosque a CPI instalada hoje pela maioria dos vereadores vai passar a questão dos aluguéis do município a limpo. Saberse foi pago um preço justo de mercado pelos imóveis locados por esta e por outras administrações, se há ou não responsabilidade do ex-secretário Júnior Leite, que comandou a Secretaria dos 300 anos. Queremos darà sociedade uma resposta madura e coerente, capaz de esclarecer os fatos e responsabilizar quem for preciso responsabilizar”, enfatizouLuis Cláudio.

Paulo Wagner | Assessoria Vereador Luís Cláudio

Leia mais:  Bolsonaro se encontra com presidente chinês para assinatura de acordos

Imprimir Voltar Compartilhar:  

Comentários Facebook
publicidade

Educação

Retorno as aulas em 2020, é improvável diz Secretário de Saúde de MT

Publicado

por

Questionado sobre o assunto, retorno às salas de aula em 2020 já começa a ser vista como improvável, diz o secretário de Estado de Saúde,  diz que as aulas devem voltar quando “estivermos seguros que isso não vai ampliar a disseminação” do novo coronavírus.

Ele enfatiza que não há no Estado capacidade técnica para dividir as turmas e o retorno da forma tradicional vai ampliar de forma significativa os casos e será um novo ingrediente para o transporte do vírus.

“É mais prudente (manter aulas suspensas), sabendo que estamos apenas no início da pandemia no Estado e sabendo que teremos números diários muitos maiores. Acredito que essa situação (pandemia) vai se arrastar por vários meses e sabendo que teremos dias muito mais difíceis, acho pouco provável mais à frente fazer uma flexibilização para voltar às aulas”.

O secretário enfatiza que a própria população vai reivindicar para manter as aulas suspensas dentro de um quadro mais complicado da pandemia.

Por: reporterMT

Comentários Facebook
Leia mais:  CCJ analisa 85 processos em reunião ordinária
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana