conecte-se conosco


Política

Vereador debaterá assuntos sobre os agentes comunitários de saúde e agentes de combate a endemias

Publicado

A Audiência Pública requerida pelo vereador Misael Galvão debaterá o Regime Jurídico e Previdenciário dos agentes.
O vereador Misael Galvão (PSB) realizará uma audiência pública na próxima sexta-feira, 9/11, às 9 horas, no plenário de deliberações da Câmara Municipal de Cuiabá. A audiência será para debater o regime jurídico e previdenciário dos agentes comunitários de saúde e agentes de combate a endemias.
Em Cuiabá existe cerca de 450 agentes comunitários de saúde e agentes de combate às endemias que por força da Lei Municipal de nº 4.941, de 29 de dezembro de 2006, estão submetidos ao regime jurídico estatutário estabelecido pela Lei Complementar nº 093/2003 (Estatuto do Servidor Público).
Esses servidores estão contribuindo para o regime previdenciário próprio do município o Instituto Municipal de Previdência Social dos Servidores de Cuiabá/MT (Cuiabá-Prev), e tem por finalidade garantir aos seus segurados, e aos seus dependentes, prestações de natureza previdenciária.
No entanto, tais servidores foram surpreendidos por decisão do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso, que determinou a anulação da Certificação realizada pela Comissão de Certificação de Seleção Pública dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combates a Endemias, por supostas irregularidades no processo seletivo. Isso aos trabalhadores uma enorme insegurança jurídica quanto a sua estabilidade, bem como no quesito previdenciário, tendo em vista as dificuldades para obter a aposentadoria ou pensão por morte para os dependentes dos que falecerem, pois os pedidos administrativos de aposentadoria e pensão por mortes estão parados na Cuiabá-Prev aguardando a decisão final do Tribunal de Constas do Estado no Processo de Acompanhamento Simultâneo de nº 83860/2017, que definirá de uma vez se é a previdência do município ou o INSS quem deverá arcar com as prestações previdenciárias, bem como decidirá pela validade do processo de seleção que efetivou os servidores ou por sua nulidade com a necessidade ou não de demissão dos contratados.
Segundo o vereador Misael Galvão, “é necessário uma decisão rápida para trazer segurança jurídica a todos os envolvidos, pois esses trabalhadores não podem mais viver nesse dilema que vivem atualmente”.
Foram convidadas para audiência pública as autoridades do executivo e do legislativo do Município, do Tribunal de Contas do Estado, do Ministério Público Estadual, da Procuradoria do Município, do Cuiabá-Prev, entre outras.
Audiência Pública
As Audiências Públicas são reuniões patrocinadas pela Câmara com a participação da sociedade civil organizada, para debater assuntos de interesse do município. É um espaço de conversação aberto para formar soluções para as questões apresentadas. Ela propicia ao particular a troca de informações com o administrador e o exercício da cidadania.
Da assessoria

Leia mais:  Heloísa Périssé fala sobre luta contra o câncer: “Sempre optei pela vida”

Imprimir Voltar Compartilhar:  

Comentários Facebook
publicidade

Política

Congresso pode votar proposta de Orçamento na próxima semana

Publicado

por

O Congresso Nacional pode votar, na próxima terça-feira (17), a proposta orçamentária para 2020. A sessão para a votação do Projeto de Lei do Congresso Nacional (PLN) 22/19 está marcada para as 14h30. Antes da análise por deputados e senadores no plenário, a Comissão Mista de Orçamento (CMO) vota o relatório final da proposta às 11h.

O parecer preliminar apresentado pelo relator-geral do Orçamento, deputado Domingos Neto (PSD-CE), modificou parâmetros que serviram para as projeções de receitas e despesas e também incorporou efeitos de propostas ao texto original do Orçamento enviado pelo governo.

Segundo relatório preliminar aprovado pela Comissão, o texto prevê o total de R$ 3,6 trilhões para as projeções de receita e de despesa. Desse total, R$ 3,5 trilhões são dos orçamentos fiscal e de seguridade social, dos quais R$ 917,1 bilhões referem-se ao refinanciamento da dívida pública.

O relatório diz que o salário mínimo, em janeiro de 2020, passará dos atuais R$ 998 para cerca de R$ 1.031. O valor está abaixo dos R$ 1.039 inicialmente previsto.

Leia mais:  Despesas com pessoal e dívida com fornecedores superaram crescimento econômico em MT

Em 2020, a meta fiscal para o resultado primário do governo central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) corresponderá a um déficit de R$ 124,1 bilhões.

Para 2020, a proposta orçamentária prevê ainda um crescimento real do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,32%, pouco acima da expectativa do mercado (2,20%). A inflação prevista para o próximo ano, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), é de 3,53%.

Durante a votação, o colegiado rejeitou oito dos nove destaques apresentados ao texto. O único destaque aprovado elevou o fundo eleitoral de 2020 de R$ 2 bilhões para R$ 3,8 bilhões.

Edição: Denise Griesinger

Fonte: EBC Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana