conecte-se conosco


Carros e Motos

VEMP, o 4×4 militar da VW brasileira

Publicado

source

Motor Show

VEMP arrow-options
Divulgação

VW VEMP: Veículo militar que quase compôs a frota do exército brasileiro

Começando pelo Type 82 Kubelwagen usado pelas tropas alemãs na Segunda Guerra Mundial, passando pelo VW Type 181/Safari e o mais recente Type 183 Iltis, a presença de utilitários da Volkswagen nos exércitos europeus é tão antiga quanto a própria marca. E no Brasil, quase tivemos um VW militar exclusivo. Conheça a história do VEMP.

LEIA MAIS: Volkswagen BY: avô do Up! era o anti-Uno na década de 80

Sigla para “ Veículo Militar Protótipo”, o utilitário VEMP surgiu nos anos 1970 para atender a uma licitação do Exército Brasileiro para um “veículo todo terreno”, com tração 4×4 e capacidade para puxar até 500 kg de carga. O objetivo era buscar um substituto para os Jeep Willys militarizados, que por aqui recebiam a designação M-520.

Conjunto mecânico

VEMP arrow-options
Evandro Enoshita/ Motor Show

Interior é simples, projeto é robusto e a mecânica une os dois atributos

No lugar de criar uma versão local do então Type 181 usado pelas forças armadas da então Alemanha Ocidental, a filial brasileira partiu para um projeto local. Usando a construção de carroceria sobre chassi, o VEMP trazia tração traseira, com caixas de redução nas rodas, e rodas dianteiras motrizes acionadas por uma alavanca. Já a suspensão dianteira era composta por barras de torção longitudinais presas diretamente ao chassi. O motor era o mesmo 1.6 a ar usado na época em outros produtos da empresa.

Leia mais:  Carro do filme “Curtindo a Vida Adoidado” vai a leilão nos Estados Unidos

LEIA MAIS: VW Apollo GLS e Ford Verona GLX eram faces da mesma moeda

No final das contas, os militares brasileiros abandonaram o projeto de substituir os Willys, que foram modernizados e ficaram em serviço por mais alguns anos. Foram montados apenas dois protótipos do VEMP e o carro das fotos é o único sobrevivente. Depois do cancelamento do projeto, o exemplar acabou sendo descaracterizado e era usado para o transporte de peças dentro da fábrica da VW em São Bernardo do Campo (SP).

Salvo de virar sucata, o protótipo hoje integra o acervo mantido pela montadora alemã (leia mais aqui) . Mas o processo de restauração foi trabalhoso. Com poucas informações sobre o VEMP disponíveis, o trabalho de recuperação foi feito tendo como base as fotografias de época.

LEIA MAIS: Troller TX4 chega com câmbio automático

Atualmente, as únicas concessões feitas no trabalho de recuperação foram a adoção de bancos dianteiros do Fox e da instalação de uma mecânica 1.6 a ar moderna, a mesma que era usada nas últimas Kombi refrigeradas a ar. O VEMP é mais uma das estrelas não reveladas do universo automotivo.

Leia mais:  Toyota RAV4 ganha versão híbrida plug-in

Fonte: IG Carros
Comentários Facebook
publicidade

Carros e Motos

Mercedes-Benz Classe A 200 Sedan Advance: evolução da espécie

Publicado

por

source
Mercedes Classe A  200 Sedan arrow-options
Carlos Guimarães/iG

Mercedes Classe A 200 Sedan: linhas arrojadas, aerodinâmica exemplar e conjunto mais equilibrado que o do hatch

Depois de ter saído do Mercedes CLA 180, no ano passado, fiquei curioso de por as mãos no A200 Sedan, vindo do México e bem mais moderno. Pois bem, passei quase uma semana com a novidade, que mostrou claros sinais de evolução, embora ainda tenham faltando alguns itens que um carro que custa quase R$ 170 mil deveria ter de série.

 LEIA MAIS:  Mercedes A250 Vision: as aparências enganam. Confira a avaliação

Como pode não terem incluído no pacote de equipamentos retrovisor interno fotocrômico, abertura e fechamento das portas sem chave, ajustes elétricos do banco do passageiro e ar-condicionado bizone? Além disso, a entrada USB fica escondida debaixo do porta-objetos no console central. 

De qualquer forma, afora a ausência desses equipamentos, o sedã da Mercedes causou melhor impressão que o hatch A250, com um conjunto mais equilibrado e eficiente. No lugar do 2.0, de 224 cv e 35,7 kgfm a 1.800 rpm o A200 vem com o 1.3, turbo, desenvolvido em parceria com a Renault-Nissan, que rende mais modestos 163 cv e 24,4 kgfm a 1.620 rpm.

Com isso, a tração dianteira funciona melhor em qualquer situação. E são números para respostas ágeis ao pisar no acelerador gastando pouco combustível (10,5 km/l na cidade e 14,5 km/l na estrada, diz o Inmetro). Com tanque de 43 litros, a autonomia teórica é de bons 452 km em trechos urbanos e 623 km nos rodoviários, nada mau.

Leia mais:  Fiat Uno 1.6 R: Swap de motor para 1.9 leva o hatch aos 137 cv

 LEIA MAIS:  Audi A3 Sedan ganha força para encarar Corolla, Civic e Cruze

As questões da eficiência e da modernidade no Mercedes A200 Sedan foram levadas a sério. Acoplado ao engenhoso motor 1.3 turbo fica o câmbio de dupla embreagem, de 7 marchas bem escalonadas, com trocas rápidas e precisas. Não é preciso subir muito o giro do motor para fazer ultrapassagens com segurança, sempre em silêncio e precisão.

Sem nenhuma pretensão de ser um esportivo, o Mercedes A200 Sedan tem uma direção com assistência elétrica leve nas manobras e que vai ganhado o peso ideal conforme o aumento da velocidade. Mas com rodas de aro 18 montadas em pneus 225/45R 18 (Hankook), alguns solavancos tanto em piso irregular, quanto em lombadas e valetas são inevitáveis. Em contrapartida, com asfalto liso, o carro mostra boa estabilidade nas curvas.

As linhas do Mercedes A200 Sedan também são mais atuais que as do CLA 180. No modelo novo, a parte aerodinâmica foi muito bem cuidada, com coeficiente de arrasto de meros 0,25. Isso contribui com a economia de combustível na estrada e com o baixo nível de ruído. Bom também é que o porta-malas leva bons 430 litros e que o acabamento interno é caprichado, com couro, alumínio e apliques pintados de preto brilhante.

Mercedes Classe A arrow-options
Divulgação

Interior sofisticado e com acabamento caprichado. Mas faltam itens como retrovisor fotocrômico e ar bizone

Também há que se elogiar a ergonomia, como comandos ao alcance das mãos e fáceis de ser acionado na maioria dos casos. É preciso algum tempo para se acostumar com todos os controles no volante, mas é possível controlar até a tela do sistema multimídia. O botão do volume do som no console central também ajuda algumas vezes, mas o destaque fica por conta do comando de voz pelo sistema MBUX, que usa inteligência artificial.

Leia mais:  Carro mais caro de todos os tempos não vale o que custa

O sistema funciona como a Siri da Apple, ou a Bixby dos celulares da Samsung. Basta pronunciar uma saudação, como “Olá, Mercedes”, ou “E aí, Mercedes”, para que a central pergunte o que você deseja fazer. Há uma verdadeira infinidade de comandos, que vão desde ajustes do ar-condicionado, informações sobre o veículo e dados da rota. A nova tecnologia atende até mesmo comandos muito específicos, como ligar a luz de leitura do lado esquerdo. 

LEIA MAIS: Mercedes-Benz CLA 180: é melhor resistir à tentação do sedã de estilo arrojado

Conclusão

O Mercedes Classe A200 Sedan é a versão mais interessante da nova linha da marca alemã. Além de conseguir aliar bom desempenho com baixo consume ainda se mostraum conjunto bem equilibrado, estilo arrojado e tem boa dose de sofisticação. Falta apenas alguns itens essenciais para um carro que beira os R$ 170 mil na versão mais simples.

Ficha técnica

Mercedes-Benz A 200 Sedan
Preço: R$ 169.900
Motor: 1.3, gasolina, turbo, quatro cilindros 
Potência: 163 cv a 5.500 rpm 
Torque: 25,5 kgfm a 1.620 rpm 
Transmissão: sete marchas, dupla embreagem 
Suspensão: McPherson (dianteira), eixo de torção (traseira) 
Pneus: 225 / 45 R18 
Porta-malas: 430 litros 
0 a 100 km/h: 8,1 s 
Vel. Máx: 230 km/h 

Fonte: IG Carros
Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana