conecte-se conosco


Mato Grosso

Veja cidades do interior de Mato Grosso que lideram ranking do PIB

Publicado

Cidades do interior de Mato Grosso lideram o ranking dos 20 municípios de Mato Grosso com o maior Produto Interno Bruto (PIB) per capita, ou seja, a riqueza produzida pela localidade dividida pelo número de moradores. Encabeça o ranking Campos de Júlio (553 km a noroeste de Cuiabá). Os dados são referentes ao ano de 2018.

Cidade cerca de 7 mil moradores, Campos de Júlio teve um PIB per capita de R$ 206.667, ou seja, se a riqueza produzida no município fosse dividida em partes iguais entre os moradores, cada um teria o direito a esse valor.

Em segundo lugar está Santa Rita do Trivelato (445 km ao norte), município que tinha 3.330 habitantes em 2018, ano do levantamento. Por lá, o PIB per capita é de R$ 177.534. Essa não é a primeira vez que Santa Rita se destaca economicamente, entre 1991 e 2003 o município ficou conhecido por ter o maior crescimento econômico do país, de 82% ao ano.

Reprodução

PIB per capita MT 2018

 

Leia mais:  Operação integrada prende três pessoas em flagrante por tráfico de drogas

Logo depois no ranking vem Sapezal (480 km a noroeste), com PIB per capita de R$ 116.764; Ipiranga do Norte (530 km ao norte), com R$ 114.518; e Campo Novo do Parecis (396 km a noroeste), com R$ 104.853.

 

Já no valor total do PIB, o município mato-grossense com maior produção de riqueza foi Cuiabá, com PIB de R$ 27,7 bilhões. Em segundo está Rondonópolis (212 km ao sul), com R$ 11,2 bilhões, e Várzea Grande, que teve PIB de R$ 7,9 bilhões em 2018.

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Igrejas e templos religiosos de Mato Grosso estão com o horário de funcionamento limitado

Publicado

Igrejas e templos religiosos de Mato Grosso estão com o horário de funcionamento limitado, por conta do novo decreto governamental com medidas de contenção à Covid-19. As celebrações e outras atividades nesses locais só podem ocorrer entre às 5h da manhã e às 19h, de segunda a sexta-feira. Nos finais de semana, o horário permitido é entre 5h e 12h.

Além disso, os líderes de cada segmento religioso devem ficar atentos às regras que limitam a quantidade de pessoas que podem participar de cada reunião. Conforme o decreto assinado pelo governador Mauro Mendes (DEM),  são permitidas, no máximo, 50 pessoas por encontro, respeitando sempre a ocupação de apenas 30% da capacidade do local.

Os cristãos católicos, neste momento, vivem o importante período religioso que antecede a Páscoa, conhecido como quaresma, que rememora os dias em Jesus ficou no deserto, jejuando e orando e foi tentado pelo diabo antes de iniciar sua vida como líder religioso.

De acordo com o censo de 2010, os católicos representam a maior população religiosa em Mato Grosso, com quase 2 milhões de fiéis. Em seguida vem os evangélicos, com quase 800 mil.

Leia mais:  Operação integrada prende três pessoas em flagrante por tráfico de drogas

Apesar de o decreto ter ganhado respaldo jurídico do Tribunal de Justiça (TJ), devendo ser seguido em todos os municípios do estado, diversas lideranças têm pedido a flexibilização das normas para garantir a normalidade no funcionamento das atividades religiosas.

Na Câmara Municipal de Cuiabá, tramita um projeto de lei apresentado pelo vereador Eduardo Magalhães (Republicanos), que prevê a inclusão das igrejas e templos de qualquer denominação religiosa entre as atividades essenciais.

“As igrejas e templos realizam trabalhos de voluntariado na comunidade dando amparo a pessoas normalmente de baixa renda, incluindo aí população carcerária e indivíduos em situação de vulnerabilidade. Além da evangelização, as denominações religiosas mobilizam-se para auxílio de pessoas atingidas pela crise econômica ora em curso em função da pandemia da Covid 19”, argumenta o parlamentar.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana