conecte-se conosco


Entretenimento

Tristeza! Mari Alexandre chora morte de seu pai na véspera do Natal

Publicado

“Saudade é dor que nunca acaba, mas que o tempo espaça para deixar a gente tocar a vida”. Expressão que cai como uma luva para quem já perdeu alguém muito especial. Caso de Mari Alexandre, que usou as redes sociais para lamentar a morte do pai: “Estou devastada, a tristeza é muito grande em saber que seu corpo não estará mais aqui! O que me conforta, é saber que Jesus, juntamente com Deus, preparou um lugarzinho especial para uma pessoa tão iluminada e do bem como o senhor”, escreveu a ex-modelo e atriz em um dos trechos da homenagem, publicada no Instagram nesta segunda-feira (24).


Mari Alexandre sofre com a morte de seu pai, Manoel Alexandre, na véspera do Natal
Toni Escalante/Divulgação

Mari Alexandre sofre com a morte de seu pai, Manoel Alexandre, na véspera do Natal

Leia também: Luto! Confira os famosos que já nos deixaram em 2018


Mari Alexandre chora morte do pai, Manoel
Reprodução/Instagram

Mari Alexandre chora morte do pai, Manoel

Na sequência,  Mari Alexandre
fez uma série de agradecimentos: “Obrigada por tantos momentos de amor e carinho que a gente pôde compartilhar e obrigada por me deixar fazer as compras do final de mês quando o senhor recebia! (eu era a filha que ele pegava em casa e levava, porque eu amava)”, relembrou, cheia de saudades.

Famosos como Nubia Oliiver, Gisele Fraga e Kiko, do KLB, deixaram mensagens de apoio à família. Para quem não se lembra, Mari já havia perdido um irmão paterno, Maurício Alexandre, o Lilo, em 2011, vítima da violência urbana. O crime ganhou bastante repercussão na época.

Ilustrações realistas


Junior Costa e Anna Hickmann
Divulgação

Junior Costa e Anna Hickmann

Um lápis, um papel e muito talento se transformam em arte nas mãos de Junior Costa, que assim como grande parte do público sempre foi fascinado pela história de Marilyn Monroe. E o amor do rapaz pela estrela é tão grande que ele escolheu alguns famosos para desenhar no melhor ‘estilo Monroe’. Entre os nomes selecionados estão o de celebridades como Beyoncé, Gisele Bündchen, Gretchen, Hebe Camargo, Xuxa e Ana Hickmann, apresentadora do “Hoje Em Dia”, da RecordTV
. “Entregar a obra para ela pessoalmente foi um grande sonho. Dia mágico em minha vida”, destacou. “E mais do que um trabalho, para Junior, desenhar é uma paixão. “A atividade que mais gosto de fazer na vida”, confessou.

Leia mais:  Samuel Rosa anuncia fim do Skank “sem previsão de volta”

Novos queridinhos do vídeo


Cassius Zeilmann, Daniel Adjuto e Átila Amaral
Divulgação

Cassius Zeilmann, Daniel Adjuto e Átila Amaral

Seja pela beleza, pela juventude ou pelo texto arrojado, Cassius Zeilmann e Daniel Adjuto têm chamado a atenção à frente dos telejornais do SBT
. Mas não estão sozinhos nessa, não. O “boa pinta” e simpático Átila Amaral também já garantiu um lugar de destaque no coração das telespectadoras do SBT
, principalmente as do Rio de Janeiro. Descoberto através de um canal no YouTube, o multitalentoso integra o time de repórteres do “Cariocou”, programa semanal de variedades apresentado pela jornalista Liane Borges. E não é só isso! Em 2009, o também bailarino e coreógrafo foi campeão do quadro “Dança dos Famosos”, do “Domingão do Faustão”, ao lado de Paolla Oliveira.

Leia também: Deu ruim! Dez vezes que o jornalismo rendeu processos milionários

Tudo novo de novo


Janaína do Mar e Márcio Xavier
Carol Marchese

Janaína do Mar e Márcio Xavier

Janaína do Mar, que já está junto do hairstylist Márcio Xavier há mais de uma década e com quem tem dois filhos, renovou os votos e escolheu uma criação exclusiva da grife Nova Noiva, que, de acordo com estimativas, custou cerca de R$ 30 mil (que, claro, ela não pagou, já que foi a convidada especial da nova edição da Expo Noivas Espertas).


Janaína do Mar e Márcio Xavier
Carol Marchese

Janaína do Mar e Márcio Xavier

A troca das alianças aconteceu em uma das unidades da Casa Bertolazzi, do chef de cozinha Carlos Bertolazzi, em São Paulo. “Sei que estamos indo na contramão de muitos. É que nós acreditamos que os defeitos no casamento não devem ser julgados, mas ajustados”, destacou a ex-participante do “Big Brother Brasil 11”, que acrescentou ainda que nunca deixou de acreditar no conto de fadas dos “felizes para sempre”. Por fim, Jana se desligou do programa de rádio “Meu Jeito de Ser” para se dedicar exclusivamente a um novo projeto na TV.

Leia mais:  Grupo Pipoca vence primeira prova do “BBB” e garante imunidade

Conta Bandeira


Ratinho e Marcos Vidal, que integra o elenco do quadro
Divulgação

Ratinho e Marcos Vidal, que integra o elenco do quadro “DNA”

As experiências boas na vida de Ratinho não se restringem apenas ao sucesso de seu programa no SBT. Um exemplo disso? A festa de confraternização da Rede Massa, que aconteceu em uma de suas fazendas, em Apucarana, no Paraná. Por lá, é dono de cinco emissoras de televisão e 28 de rádio que levam seu sobrenome.


César Menotti e Fabiano cantam na festa de confraternização pilotada por Ratinho
Juliano Mendes/Divulgação

César Menotti e Fabiano cantam na festa de confraternização pilotada por Ratinho

E não é só. Mas voltando ao tema anterior, o apresentador disponibilizou um ônibus para buscar funcionários em São Paulo. Além disso, fez questão de ir de mesa em mesa para agradecer a colaboração de cada um e desejar paz, harmonia e muita prosperidade no novo ano.

Pensa que acabou? Ratinho ainda presenteou os convidados com o show dos sertanejos César Menotti e Fabiano. Entre as canções estavam Disco Arranhado, Palmas, Leilão, Anjo e Palavras de Amor.

Colhendo os louros


Glória Mello
Divulgação

Glória Mello

Glória Mello fez parte da primeira edição do “Dança Kids”, quadro do “Mais Show”, da Rede Vida, e brilhou no elenco do musical infantil “Masha e o Urso – Live Show”, inspirado na série que faz sucesso na televisão. No Brasil, a animação é transmitida nos canais SBT, Boomerang e Cartoon Network. Soma-se a isso a participação no espetáculo “Catwalk Brasil — Natal em Paris”, que foi produzido pela agência Max Fama e que levou à passarela do Boavista Shopping, em São Paulo, muita moda, diversão e música. Ela dividiu a cena com a não menos talentosa Fernanda Ouro, ex-participante do “The Voice Kids”, da TV Globo, entre outros artistas.

Pode isso, Arnaldo?

Leia também: Relembre as principais vezes que Ratinho causou (muita) polêmica

Convidado para um jantar, um cantor que fez muito sucesso como vocalista de uma boy band, passou por certos apuros. Primeiro que ele não é lá muito chegado em palmito, mas mesmo assim não recusou uma das entradas: ceviche vegano de pupunha. Na sequência, veio o prato principal: risoto de arroz negro com mini-camarões, que também não pôde provar, já que tem restrições a frutos do mar. Então, o jeito foi passar adiante… Que situação difícil!

Comentários Facebook
publicidade

Entretenimento

A Voz do Brasil faz 85 anos

Publicado

O programa de rádio A Voz do Brasil completa 85 anos nesta quarta-feira (22). Idade avançada para pessoas e para instituições no Brasil. Uma frase atribuída a Leonardo da Vinci, que morreu idoso para o seu tempo (aos 67 anos), sentencia que “a vida bem preenchida torna-se longa”.

Em oito décadas e meia, A Voz do Brasil preencheu a vida dos ouvintes com notícias sobre 23 presidentes, em mandatos longínquos ou breves. Cobriu 12 eleições presidenciais, e manteve-se no ar durante a vigência de cinco constituições (1934, 1937, 1946, 1967 e 1988).

programa cobriu a deposição dos presidentes Getúlio Vargas (1945) e João Goulart (1964), o suicídio de Vargas (1954), a redemocratização do país em dois momentos (1946 e 1985), o impeachment e renúncia de Fernando Collor (1992) e o impeachment de Dilma Rousseff (2016).

Além de notícias dos palácios do governo federal, A Voz do Brasil levou aos ouvintes informações sobre a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). O programa narrou as conquistas do país em cinco Copas do Mundo e a derrota em duas – a mais traumática em 1950. A Voz registrou a inauguração de Brasília (1960) e cobriu a morte de ídolos como Carmen Miranda (1955) e Ayrton Senna (1994).

Pelo rádio, e pela A Voz do Brasil, muitos brasileiros souberam da invenção da pílula anticoncepcional (1960), da descida do homem na Lua (1969), dos primeiros passos da telefonia móvel (1973), da queda do Muro de Berlim (1989) e da clonagem da ovelha Dolly (1998).

Leia mais:  Atores de “A Dona do Pedaço” postam foto dos bastidores da novela: “Noronhe-se”

Vida longa

A longevidade do programa A Voz do Brasil é assunto de interesse de historiadores e pesquisadores da mídia de massa no país. “É curioso como um programa de rádio se torna uma constância em um país de inconstância institucional, jurídica e legislativa”, observa Luiz Artur Ferrareto, autor de dois dos principais livros de radiojornalismo editados no Brasil.

Para Sonia Virginia Moreira, professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, a longa duração do programa “tem muito a ver com a própria longevidade do rádio como meio de comunicação. A morte do rádio foi anunciada várias vezes e ele segue como um veículo muito importante no Brasil.”

“Nenhum governo abriu mão dessa ferramenta fantástica. A longevidade vem da percepção que os diferentes governos tiveram que manter essa ferramenta era algo que trazia uma vantagem enorme para o governo do ponto de vista das suas estratégias e para seus objetivos”, acrescenta Henrique Moreira, professor de jornalismo e especialista em história da mídia no Brasil.

Curiosidades sobre A Voz do Brasil 

 A Voz Brasil nem sempre teve como trilha sonora de abertura trecho da ópera O Guarani (1870), de Carlos Gomes. O Hino da Independência (1822), composto por Dom Pedro I, e Aquarela do Brasil (1939), de Ary Barroso, também serviram para marcar o início do programa.

Inauguração da transmissão do programa A Voz do Brasil, Brasília, DF.
Inauguração da transmissão do programa A Voz do Brasil, Brasília, DF. – Arquivo Nacional

A longevidade do programa A Voz do Brasil é assunto de interesse de historiadores e pesquisadores da mídia de massa no país. “É curioso como um programa de rádio se torna uma constância em um país de inconstância institucional, jurídica e legislativa”, observa Luiz Artur Ferrareto, autor de dois dos principais livros de radiojornalismo editados no Brasil.

Leia mais:  Âncora encerra o “Jornal Nacional” citando Djavan: “Não aguentei”

Para Sonia Virginia Moreira, professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, a longa duração do programa “tem muito a ver com a própria longevidade do rádio como meio de comunicação. A morte do rádio foi anunciada várias vezes e ele segue como um veículo muito importante no Brasil.”

“Nenhum governo abriu mão dessa ferramenta fantástica. A longevidade vem da percepção que os diferentes governos tiveram que manter essa ferramenta era algo que trazia uma vantagem enorme para o governo do ponto de vista das suas estratégias e para seus objetivos”, acrescenta Henrique Moreira, professor de jornalismo e especialista em história da mídia no Brasil.

Curiosidades sobre A Voz do Brasil 

 A Voz Brasil nem sempre teve como trilha sonora de abertura trecho da ópera O Guarani (1870), de Carlos Gomes. O Hino da Independência (1822), composto por Dom Pedro I, e Aquarela do Brasil (1939), de Ary Barroso, também serviram para marcar o início do programa.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana