conecte-se conosco


Mato Grosso

Trajetória do artista Benedito Nunes é perpetuada em site e documentário

Publicado


Apelidado carinhosamente de Van Gogh do Cerrado, a trajetória do artista plástico Benedito Nunes está eternizada no site que leva o nome dele, e que conta com detalhes a história de vida e o legado cultural deixado pelo mato-grossense, que gostava de retratar a natureza da região e o cotidiano da cuiabania. Aprovado no edital Conexão Mestres da Cultura, da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel), o projeto ‘Tributo ao Mestre do Cerrado: Benedito Nunes’, conta também com o documentário ‘Se essa rua fosse Nunes’, com estreia para esta sexta-feira (26.11), na plataforma digital que homenageia o artista.

Falecido em março do ano passado, aos 63 anos de idade, Benedito Nunes é considerado um dos mais importantes artistas da famosa ‘Geração 80’. Nascido em 1956, era pintor, desenhista, professor e escultor. Ganhou reconhecidos prêmios nas artes visuais, participou de importantes exposições no Brasil e fora do país. E, os seus 30 anos de história com a arte, a biografia é contada pelo professor e crítico de arte Laudenir Antônio Gonçalves, disponível no site lançado pelo projeto.

Leia mais:  Lei completa 13 anos com foco no atendimento, segurança e justiça às vítimas

A plataforma traz também o documentário ‘Se essa rua fosse Nunes’, produzido a partir das imagens e narração sobre as obras do artista. Também estão disponíveis no site uma galeria virtual e uma oficina apresentada pela proponente do projeto ‘Tributo ao Mestre do Cerrado: Benedito Nunes’, a artista Tânia Pardo.

“Nunes, além de ser um artista acessível e carismático, era famoso por retratar o cenário mato-grossense. Assim ficou conhecido como o Van Gogh do Cerrado, deixando sua marca na arte brasileira. Foi um grande artista, premiado em vários salões, não só em Mato Grosso, mas também fora. Reconhecido no Brasil por seu estilo, nos deixou um grande legado”, destaca Tania Pardo. 

Conexão Mestres da Cultura – O edital surgiu para compartilhar os saberes e fazeres artísticos e culturais do estado, reconhecendo o trabalho desenvolvido por pessoas impactaram a cultura mato-grossense, considerando sua contribuição para o fortalecimento da cultura do estado e sua importância para a comunidade que atua.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

PM lamenta o falecimento do ex-comandante-geral da instituição

Publicado


É com profundo pesar que a Polícia Militar de Mato Grosso informa o falecimento do ex-comandante da PMMT, coronel Jorge Luiz de Magalhães, de 53 anos, no início da noite desta segunda-feira (06.12), na Capital.  

Coronel Jorge Luiz passava por um procedimento de cateterismo no Hospital São Mateus, quando sofreu uma parada cardíaca e não resistiu. O policial militar ingressou na instituição no ano de 1991. Comandou importantes unidades da PMMT na região metropolitana e no interior do Estado, além de conquistar o mais alto cargo da instituição, o de comandante–geral da PMMT, nos anos de 2016 a 2017. Atualmente, Jorge Luiz estava trabalhando na Coordenadoria Militar do Ministério Público Estadual. 

Para o comandante–geral da PMMT, coronel Jonildo José de Assis, o ex-comandante deixa seu legado na história da corporação. “O coronel Jorge Luiz formou na Polícia Militar do Estado de Goiás, serviu em unidades importantes, como o 1º Comando Regional de Cuiabá, Água Boa, e tantas outros Batalhões. É sem dúvida uma grande perda para nossa instituição”.  

Leia mais:  Veículo roubado em São Paulo tinha placa gerando multa em Santa Catarina

O Comando Geral da Polícia Militar e toda sua tropa lamenta a repentina perda do oficial, que deixa esposa e filhos, para os quais oferece apoio e as mais sinceras condolências. Para se despedir do valoroso militar, a PM está organizando o cortejo fúnebre para prestar as merecidas honras militares ao coronel.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana