conecte-se conosco


Carros e Motos

Toyota Etios Sedan xVW Voyage: sedãs compactos automáticos se enfrentam

Publicado

VW Voyage automático e Toyota Etios Sedan 1.5 estão entre as melhores e poucas opções do segmento no Brasil
Divulgação

VW Voyage automático e Toyota Etios Sedan 1.5 estão entre as melhores e poucas opções do segmento no Brasil

Os sedãs compactos continuam sendo uma boa alternativa com preço relativamente baixo, mas com espaço considerável para levar bagagem. E com a chegada do VW Voyage automático no segmento, consegue-se incluir uma certa dose de conforto para enfrentar o anda e para do trânsito caótico das grandes cidades.

LEIA MAIS: Conheça os sedãs compactos que mais perdem valor no Brasil

Entre as melhores opções do segmento que temos hoje no mercado, estão o Toyota Etios Sedan (parte de R$ 59.990) e o VW Voyage automático
(R$ 62.900), ambos disponíveis com caixa com conversor de torque, nada de automatizado, algo que está fadado a sumir das lojas em breve. Se você pensou que o modelo da marca alemã irá superar fácil o rival, saiba que não é bem assim.

Tudo bem, o Voyage acaba sendo um pouco melhor que o Etios no cômputo geral, mas a briga entre os dois é mais acirrada do que se imagina. Mesmo com câmbio de quatro marchas, ante o de seis do VW, o Toyota consegue manter diferenças menores de desempenho e consumo do que se pensa, ajudado pela cilindrada (1.5 contra 1.6) e peso ligeiramente menores (965 kg ante 1.058 kg).

 O motor 1.5 do Etios rende até 107 cv e 14,7 kgfm de torque a 3.100 rpm, contra 120 cv e 16,8 kgfm a 4.000 rpm do Voyage. Mas apenas o Toyota tem variador de fase não apenas na admissão mais no escape também. Sobe de giro rápido e funciona com suavidade. Entretanto, o VW ainda conta com mais potência específica: 75,1 cv/l ante 71,5 cv/l.

LEIA MAIS: VW Voyage 1.6 automático: mais conforto ao sedãzinho veterano

E segue a luta com o VW Voyage automático

VW Voyage automático ao lado do rival Toyota Etios Sedan, seu principal rival além do Ford Ka Sedan 1.5
Guilherme Menezes/iG

VW Voyage automático ao lado do rival Toyota Etios Sedan, seu principal rival além do Ford Ka Sedan 1.5

 Acelere e verá que o Voyage é um pouco mais bem disposto, indo de 0 a 100 km/h em 10,2 segundos, ante 12 s do Etios, que mostra que tem bom isolamento acústico e de vibrações, mesmo em rotações mais altas, o qiue deixa claro que o Toyota evoluiu bastante desde o lançamento no Brasil, em 2012.  Um dos grandes avanços fica por conta da inclusão dos controles eletrônicos de estabilidade e tração entre os itens de série, o que o VW não tem.

Leia mais:  Honda NXR 160 Bros 2019 recebe novos grafismos e freios combinados por R$ 12.250
VW Voyage automático tem interior um pouco mais moderno e ergonômico que do rival...
Divulgação

VW Voyage automático tem interior um pouco mais moderno e ergonômico que do rival…

Nas curvas, o Voyage tem como aliado o conjunto de rodas de aro 15 montadas em pneus mais largos e de perfil mais baixo que os do Etios (195/55R15 ante 175/65 R 14). Em ambos, a susoensão consegue absorver bem as irregularidades do piso e, ao mesmo tempo, manter certa estabilidade.

Em contrapartida, por ter assistência elétrica e não hidráulica, como a do VW, o Toyota é mais fácil de manobrar por exigir menos esforço para girar o volante. E em velocidades mais altas, o sistema da marca japonesa mantém a sensação de segurança ao aumentar o peso da direção conforme o ponteiro do velocímetro vai ganhando altitude, mas sem prejudicar o conforto.

LEIA MAIS: Saiba quais são os 5 sedãs compactos 1.0 mais econômicos do Brasil

Mas apesar de ter recebido várias melhorias ao longo dos útimos 6 anos, o Etios Sedan
não deixa de ter um projeto de baixo custo e continua com itens como painel de plastico duro e quadro de instrumentos no centro que não tem informacões como temperatura externa, por exemplo. No Voyage, o nível de simplicidade é menor.  A economia feita no VW é notada por detalhes como os botões dos vidros elétricos traseiros no painel e não nas portas, onde deveriam estar.

...que vem com mostrador no centro do painel de plástico duro, ao contrário do VW Voyage automático
Divulgação

…que vem com mostrador no centro do painel de plástico duro, ao contrário do VW Voyage automático

Na questão do espaço interno, porém, o Etios fica na frente do Voyage.  Não apenas pelo entre-eixos (2,55 metros, ante 2,47 metros), o que ajuda a ter maior distância entre as costas dos bancos dianteiros e os joelhos de que vai sentado atrás. O porta-malas do Toyota também fica na frente do concorrente, com cavernosos 562 litros, ante 480 litros do VW.

Leia mais:  VW Tiguan 2021 aparece com dianteira inspirada no Novo Golf

Quando o assunto é estilo, o Voyage também fica um passo a frente do Etios Sedan, mas com certa discrição. O sedã da VW
recebeu frente renovada na linha 2019 com detalhes vindos da Saveiro, o que inclui faróis maiores, bem como grade e para-choque redesenhados, mudanças que acabam transmitindo uma ideia de robustez ao carro. De qualquer forma, a versão três volumes do Gol ainda se mantém atual, mas não por muito tempo, uma vez que uma nova geração de compactos da VW está sendo esperada para 2021.

Conclusão

Os dois sedãs compactos automáticos são recomendáveis. Mas o VW Voyage automático
fica um na frente do rival nesse comparativo, embora com uma diferença menor do que se pode imaginar num primeiro momento. Mesmo com câmbio de quatro marchas, o Etios consegue supreender quando o assunto é economia de combustível e desempenho, além de ter mostrado que evoluiu ao longo dos anos no Brasil.

Ficha Técnica – Toyota Etios X 1.5 AT

Preço: a partir de R$ 59.990

Motor:  1.5, quatro cilindros, flex

Potência:  107 cv (E) / 102 cv (G) a 5.600 rpm

Torque:  14,7 kgfm (E) / 14,3 (G) a 4.800 rpm

Transmissão:  Automático, quatro marchas , tração dianteira

Suspensão: Independente, McPherson (dianteira) / eixo de torção (traseira)

Freios: Discos ventilados (dianteiros) / tambores (traseiros)

Pneus:  175/65 R14

Dimensões: 4,37 m (comprimento) / 1,70 m (largura) / 1,51 m (altura), 2,55 m (entre-eixos)

Tanque: 45 litros

Porta-malas: 562 litros

Consumo gasolina: 12,2 km/l (cidade) / 14,9 km/l (estrada)

0 a 100 km/h: 12 segundos

Velocidade máxima: 186 km/h

Ficha Técnica – VW Voyage 1.6 automático

Preço: a partir de R$ 62.900

Motor:  1.6, quatro cilindros, flex

Potência:  120 cv (E) / 110 cv (G) a 5.750 rpm

Torque:  16,8 kgfm (E) / 15,8 (G) a 4.000 rpm

Transmissão:  Automático, seis marchas, tração dianteira

Suspensão: Independente, McPherson (dianteira) / eixo de torção (traseira)

Freios:  Discos ventilados (dianteiros) / tambor (traseiros)

Pneus:  195/55 R15

Dimensões: 4,21 m (comprimento) / 1,66 m (largura) / 1,46 m (altura), 2,47 m (entre-eixos)

Tanque: 55 litros

Porta-malas: 480 litros

Consumo gasolina: 11 km/l (cidade) / 14,3 km/l (estrada)

0 a 100 km/h: 10,2 segundos

Velocidade máxima:  190 km/h

Comentários Facebook
publicidade

Carros e Motos

General Motors confirma o fim da fabricante australiana Holden

Publicado

por

General Motors arrow-options
Divulgação

Parceira da General Motors desde a década de 30, Holden encerrará suas operações na Austrália, Nova Zelândia e Tailândia até o fim do ano

Em mais um passo no processo de reestruturação global, a General Motors anunciou que fechará a marca Holden na Austrália, Tailândia e Nova Zelândia, encerrando as operações nos países. A GM ainda terá o compromisso de abastecer os mercados com peças e serviços de manutenção até o fim da década.

LEIA MAIS: FCA e PSA anunciam acordo de fusão; confira os detalhes

Estima-se que 600 funcionários perderão o emprego no encerramento da Holden na Oceania. Em Detroit (EUA), Mary Barra, chefe-executiva da GM Global, afirma que fechar a representante no continente é uma decisão difícil, porém correta. 

Mark Reuss, presidente da GM, complementa a declaração de Barra dizendo que a marca tinha planos de reerguer a Holden, mas continuar atuando em um mercado fragmentado como a Oceania teria custo alto.

LEIA MAIS: Renault, Nissan e Mitsubishi revelam novas estratégias para 2020

Leia mais:  Novo BMW X1 2020 é revelado com design atualizado e versão híbrida

Scott Morrison, primeiro-ministro da Austrália, se diz inconformado com a situação. “Estou desapontado, mas não surpreso. Sei que muitos australianos estão irritados neste momento”, disse ele. “Os nossos contribuintes colocaram milhões de dólares nesta companhia multinacional e eles simplesmente encerraram as operações”.

LEIA MAIS: Veja como a parceria entre Ford e VW vai impactar os carros elétricos

Aos poucos, a GM está abandonando mercados não-lucrativos para focar em regiões pontuais, como Estados Unidos, China, Coreia do Sul e Brasil. Em 2017, a fabricante vendeu as marcas Opel e Vauxhall para a Peugeot-Citroën.

Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana