conecte-se conosco


Cidades

Toque de recolher começa neste sábado em Cuiabá

Publicado

Começa neste sábado (13) o toque de recolher em Cuiabá. A partir das 22h30, os moradores da Capital deverão estar em casa e só poderão sair às 5h do dia seguinte, quem for pego circulando dentro do período poderá ser advertido ou até mesmo detido.

Nesta semana, o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) publicou o decreto 7.956 determinando a proibição de locomoção de qualquer pessoa entre às 22h30 às 5h, de 13 de junho até o dia 28. A medida foi adotada para tentar conter a disseminação do novo coronavírus (covid-19) na cidade que já registrou mais de 40 mortes causada pela doença, sendo que 27 ocorreram em uma semana.

De acordo com o decreto só será permitida a circulação de pessoas no horário de toque de recolher para acesso aos serviços essenciais – como compra de remédio, ir ao hospital -, comprovando a necessidade, e preferencialmente sem acompanhante. Está permitido também às pessoas que estão de partida ou retornam de viagens oriundas do Terminal Rodoviário de Cuiabá ou do Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande.

Durante esse período poderão funcionar – entre as 22h30 às 5h – estabelecimentos hospitalares; clínicas veterinárias, clínicas odontológicas e clínicas médicas em regime de emergência; farmácias e laboratórios; funerárias e serviços relacionados; serviço de segurança pública e privada; serviços de táxi e aplicativo de transporte individual remunerado de passageiros; profissionais da área fim da Saúde; servidores públicos das áreas de fiscalização das Secretarias Municipais de Meio Ambiente, Mobilidade Urbana e Ordem Pública, quando em pleno exercício da função; atividades inerentes a circulação de cargas de qualquer espécie que possam acarretar desabastecimento de gêneros necessários à população.

Leia mais:  Projeto quer fim de uso de dinheiro público para contratação de artistas que exponham mulheres, homofobia e racismo

O prefeito determinou que apenas 20% da frota de ônibus do transporte coletivo circule à noite para atender exclusivamente os trabalhadores das áreas que poderão funcionar no período de toque de recolher.

Além disso, estabeleceu um novo horário de funcionamento dos bares e restaurantes que poderão atender de terça à domingo, das 11h às 15h para almoço e das 17h30 às 21h30 para jantar.

Punição

De acordo com a Secretaria Municipal de Ordem Pública a medida não visa penalizar as pessoas com multas ou prisão, mas a pessoa que for encontrada na rua no período de recolher será orientada e caso haja resistência ou desobediência será conduzida para delegacia. O estabelecimento que for encontrado em desobediência será autuado e enquadrado pela infração de causar risco a saúde pública (lei 004/92), com a pena que varia de uma multa de R$ 609 ou até a suspensão da atividade comercial.

Fiscalização

A pasta elaborou um plano de ação prevê a intensificação da fiscalização nos bairros que até agora apresentaram maiores números de denúncias por descumprimento das medidas baixadas pelos decretos anteriores, e também nas regiões de maiores incidências de contaminação.

Leia mais:  Brasil autoriza importação de uva e alho do Egito

Toda a operação terá participação das secretarias municipais de Ordem Pública, Mobilidade Urbana e Meio Ambiente e apoio da Polícia Militar.

Segundo a Secretaria Municipal da Ordem Pública, do dia 23 de março até o dia 29 de maio foram registradas 1.380 denúncias, sendo que a maioria das reclamações foram registradas na região Leste, que concentra os bairros Jardim Imperial, Jardim Aclimação e Jardim Itália, locais que entre os dez bairros com mais pessoas contaminadas pelo vírus.

Veja o decreto na íntegra.

 

Por: repórterMT

Comentários Facebook
publicidade

Cidades

Forças Armadas transportam equipes para conter focos de incêndios no Pantanal

Publicado

Brasília (DF), 06/08/2020 – O Ministério da Defesa, por meio de militares das Forças Armadas, prossegue no combate a incêndio que atinge o Pantanal de Mato Grosso do Sul. Em parceria com agências federais e estaduais, integrantes da Marinha, Exército e Aeronáutica também empregam aeronaves que transportam brigadistas e despejam água, durante os sobrevoos, para conter as chamas.

Nesta quarta-feira (05), foi realizado o transporte de pessoal para combate de focos de incêndio na região de Corumbá. A ação ocorreu com apoio do helicóptero HM-1, do Exército, na área de atuação do 6º Distrito Naval, localizado em Ladário (MS). Além disso, teve início o deslocamento do Centro de Coordenação da Operação para as localidades de Cuiabá e Poconé, ambas no estado mato-grossense, com o apoio da aeronave da Força Aérea Brasileira C-105.

Operação Pantanal
As Forças Armadas atuam, desde o dia 25 de julho, no combate a incêndio no Pantanal sul-mato-grossense. O Ministério da Defesa atende à solicitação recebida em 24 de julho, do governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, que decretou também estado de emergência.

Leia mais:  Comissão de Segurança Pública discute comercialização de produtos em unidades prisionais

Para a execução da operação, a Defesa estabeleceu um Centro de Coordenação no Comando do 6º Distrito Naval, no município de Ladário, Mato Grosso do Sul. Participam da operação helicópteros da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, além de brigadistas, conforme as necessidades.

Por Tenente Fraga

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana