conecte-se conosco


Entretenimento

“Tinta Bruta” ecoa LGBTs marginalizados com naturalismo e sensibilidade

Publicado

A ideia do corpo traduzir os labirintos emocionais de um personagem é perseguida com alguma frequência por diretores entusiastas de um cinema afeito a experimentalismos e sensações e esse é o caso de “Tinta Bruta”, eleito melhor filme no último Festival do Rio, de Felipe Matzembacher e Marcio Reolon.

Leia também: “O Ódio que Você Semeia” acredita que o amor é capaz de vencer o preconceito


Shico Menegat em cena de Tinta Bruta, que estreia nesta quinta-feira (6) em diversos cinemas do País
Divulgação

Shico Menegat em cena de Tinta Bruta, que estreia nesta quinta-feira (6) em diversos cinemas do País

Pedro
(Shico Menegat) é um jovem que tenta sobreviver em meio a um processo criminal, à partida da irmã e única amiga e aos olhares que recebe sempre que sai na rua. Tudo contribui para uma Porto Alegre sufocante, algo que “Tinta Bruta”
é muito efetivo em rapidamente tangenciar.

Sob o codinome GarotoNeon, Pedro se apresenta no escuro do seu quarto para milhares de anônimos ao redor do mundo, pela internet. Suas performances eróticas se destacam justamente pelo uso da tinta. Este é o Pedro que conhecemos, mas não exatamente o que deixamos ao fim do filme. Isso porque o tempo que passamos com ele se prova fulgurante.

Leia mais:  História de orquídea registrada com o nome de Ricardo Boechat comove o Twitter

Tudo começa quando ele descobre que tem um imitador no universo cam. Com Leo (o ótimo Bruno Fernandes) ele estabelece uma dinâmica intensa e carnal que diretores e atores abordam com naturalismo cênico e sensibilidade dramática.

Leia também: Cineastas negros respondem pelos melhores e mais complexos filmes de 2018


Cena de Tinta Bruta: naturalismo e sensibilidade
Divulgação

Cena de Tinta Bruta: naturalismo e sensibilidade

São muitos os olhares conjugados aqui. Há o pendor social sobre um jovem introspectivo e raivoso, há o inconformismo do marginalizado, há o entorpecimento emocional em contraposição ao alvoroço do desejo e tudo isso organizado narrativamente com muita imaginação e esmero.

Este é um filme que trata do seu personagem
– um francamente fascinante – mas que adensa o estado de espírito de um perfil muito específico de jovem. É um filme que assume um lugar de fala remoto dentro do cada vez mais plural universo cinematográfico LGBT e o faz com uma propriedade argumentativa ímpar.

Leia também: Ministério da Cultura facilita direitos autorais na TV e no cinema

Pedro sente-se vilipendiado pela existência e a maneira como reage a esse sentimento no curso do filme – e a forma específica com que sua relação com as tintas se encaixa neste comentário – galvaniza um dos maiores trunfos de “Tinta Bruta”
, que é revelar o mais íntimo de seu personagem por meio de seu corpo. A gestualidade se descobre metafísica.

Comentários Facebook
publicidade

Entretenimento

“Foram noites sem dormir”, diz Chay Suede sobre cena de Amor de Mãe

Publicado

 

 

Chay Suede foi o nome do capítulo de Amor de Mãe dessa terça (6/4). Desde o início da noite, o ator brilhou nas cenas em que Danilo descobre as mentiras de Thelma (Adriana Esteves) e terminou deixando o telespectador arrepiado com o encontro entre ele e Lurdes (Regina Casé). Não à toa, Chay foi elogiadíssimo nas redes sociais. A emoção, aliás, continua no capítulo desta quarta (7/4). “Podem preparar o lencinho porque ainda tem muita cena emocionante até o final”, avisa o ator, que considera a cena de ontem uma das mais difíceis de fazer. “Essa novela foi marcante para mim do início ao fim, mas o encontro deles tem um lugar especial na minha vida. Foram noites sem dormir para gravar”.

Chay também não tem dúvida sobre a sua personagem preferida em Amor de Mãe: “Dona Lurdes, claro. Não só em Amor de Mãe, mas de todas as novelas que eu já vi na vida”. Sem contar como vai ficar a relação entre Danilo e Thelma, o ator afirma que é impossível entender e perdoar tudo que ela fez. “Ela deu ré e matou a mãe biológica da esposa do filho. Depois, mandou matar a esposa do filho atropelada. Matou a melhor amiga asfixiada numa garagem e atirou e manteve em cárcere privado a outra melhor amiga. Acho que não dá, né”.

Comentários Facebook
Leia mais:  Vem 2019! Mariana Rios faz ensaio sensual para exibir novo corte de cabelo
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana