conecte-se conosco


Esportes

STJD punirá gritos homofóbicos nos estádios brasileiros após a Copa América

Publicado

taça do brasileirão
CBF/Divulgação

STJD punirá gritos homofóbicos no Campeonato Brasileiro

A retomada do Campeonato Brasileiro terá uma novidade após a Copa América. Na tarde desta quarta-feira o presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva – STJD, Paulo César Salomão Filho, afirmou que os gritos homofóbicos de torcida serão punidos.

Leia também:  Caso Neymar – Najila Trindade entrega aparelho celular ‘errado’ para a polícia

A informação foi passada pelo próprio Paulo César pelo Globoesporte.com . “O tribunal [ STJD ] está atento a essa questão. Em um primeiro momento, vamos exercer um papel pedagógico. O objetivo nunca foi e nunca será punir ninguém. E, sim, melhorar o espetáculo”, disse o dirigente.

A decisão vem após a criminalização da LGBTfobia ser aprovada pelo Supremo na última semana. Dentro do âmbito do futebol, a decisão do STJD se ampara no artigo 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva que trata de punição a quem

“Praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência”

A pena para o artigo 243-G é de suspensão de cinco a dez partidas, se a infração for praticada por atletas, e suspensão por 100 dias a 360 dias, se praticada por qualquer outra pessoa submetida ao Código, além de multa de R$ 100 a R$ 100 mil.

Leia mais:  Tribunal rejeita recurso do Boca Juniors e mantém final da Libertadores

Caso os gritos homofóbicos sejam praticados simultaneamente por considerável número de pessoas vinculadas a uma mesma entidade de prática desportiva, esta também será punida com a perda do número de pontos atribuídos a uma vitória no regulamento da competição. 

“O campo de futebol não é uma terra sem lei. Pelo contrário, é um lugar que tem de ser lúdico para que as pessoas possam se divertir e possam levar as suas famílias sem violência e atos discriminatórios e homofóbicos”, explicou Paulo César.

Leia também:  Cabem na Série A do Brasileirão? Veja quem lidera as estatísticas da Série B

A punição do STJD não é novidade. Na semana passada a CBF foi multada pelos gritos de “bicha” que a torcida do Brasil desferiu contra o goleiro boliviano, Lampe, na estreia da seleção na Copa América. O mesmo ocorreu durante as Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia, quando a Fifa cobrou 123 mil francos suíços (R$ 450 mil) pelas ofensas dos torcedores.

Fonte: IG Esportes
Comentários Facebook
publicidade

Esportes

“Filme de terror”, relata Mattos sobre turbulência em voo do Palmeiras; assista

Publicado

por

“Foi um verdadeiro filme de terror.” É assim que o diretor de futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos, definiu o episódio de tensão vivenciado pela delegação do clube paulista na madrugada deste domingo (21) , durante voo para a cidade argentina de Mendoza.

Jogadores, dirigentes, integrantes da comissão técnica e demais membros do estafe do Palmeiras embarcaram por volta da meia-noite de sábado (20) em Fortaleza, onde o Verdão foi derrotado pelo Ceará em jogo do Campeonato Brasileiro. O grupo deveria desembarcar por volta das 6h da manhã em Mendoza, onde o alviverde paulista enfrentará o Godoy Cruz, pela Libertadores.

alexandre mattos arrow-options
Reprodução/TV Palmeiras

“Muito barulho, muita tensão”, relembra Alexandre Mattos sobre turbulência em voo do Palmeiras

Momentos antes da aterrisagem, no entanto, uma turbulência atingiu o voo palmeirense e o piloto do avião precisou arremeter duas vezes por conta do mau tempo. Após a segunda arremetida, o voo foi desviado para a cidade de Rosario.

“A turbulência foi aumentando. A sensação que dava é de que tinha alguma coisa empurrando as asas de baixo para cima. Foi bem aterrorizante”, relatou Mattos em depoimento à TV Palmeiras. “Eu olhava para o lado e era uma aflição muito grande, um clima de tensão. Uns rezando, os outros você via a cara de desespero, a sensação de impotência… Era muito barulho, muita tensão”, complementou.

Leia mais:  Eurocopa 2020: Roma instala telões de LED em aeroporto para contagem regressiva

O segurança do clube Cristiano Oliveira disse ter pensado “é hoje” devido ao chacoalhar da aeronave, mas que jogadores como o lateral/volante Jean e o atacante Deyverson tentaram tranquilizar a todos. O episódio de pânico para os palmeirenses durou cerca de 40 minutos, segundo seu relato.

A delegação do Palmeiras passou o domingo na capital argentina, Buenos Aires, e fará nova tentativa de chegar a Mendoza nessa segunda-feira (22). A partida contra o Godoy Cruz, pelas oitavas de final da Libertadores, será disputada na terça-feira.

Leia também: Torcedores arremessam pipocas e cobram elenco do Palmeiras no Ceará

Confira o depoimento dos palmeirenses:

Fonte: IG Esportes
Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana