conecte-se conosco


Agricultura

Sisbravet entra em funcionamento para notificação de emergências veterinárias

Publicado

Em funcionamento desde 16 de janeiro, o Sistema Brasileiro de Emergência Veterinária (e-Sisbravet), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) já tem 725 usuários cadastrados desde o início da operação. A estimativa é chegar a cerca de 3 mil usuários, conforme o diretor do Departamento de Saúde Animal (DSA), Geraldo Moraes.

“Com o sistema, será possível acompanhar as medidas adotadas em uma emergência veterinária, desde a notificação, atendimento até a solução de uma suspeita de doença em animais”, completa o diretor.

Com o Sisbravet, o produtor ganhou mais um canal de comunicação com o serviço veterinário oficial, pois pode entrar na página do Ministério da Agricultura ou na página dos órgãos executores de saúde animal do estado apresentar notificação de suspeita de doença. Essa informação é imediatamente disparada, eletronicamente, para todas as unidades veterinárias responsáveis pela propriedade com os animais sob suspeita. A partir daí, o veterinário irá a campo, o mais rápido possível, para iniciar a investigação.

Cerca de 4.700 veterinários do país poderão abastecer o sistema com dados sobre detecção e atendimento de doenças dos rebanhos com agilidade, evitando a rápida dispersão, reduzindo os custos para os produtores e o risco de perda de mercados externos.

Leia mais:  Conab prevê recuperação do milho e estima safra em 233,3 milhões de toneladas

De acordo com o diretor, o atendimento às doenças é uma das atividades mais importantes de todo sistema de saúde animal. Essa é também uma atribuição dos órgãos executores dos estados. “Para atender rapidamente às suspeitas, é preciso agilidade, já que a propagação é rápida. O Sisbravet veio trazer modernidade para esse processo. Com esse sistema, destinado à contenção da doença, todos ganham”, afirma. 

Hoje a proximidade do produtor com o serviço veterinário oficial é fundamental para esse tipo de trabalho. Quanto mais cedo o serviço veterinário toma conhecimento de suspeita de doenças em animais, mais ágil é a intervenção, evitando um problema mais grave.

Geraldo Moraes alerta que é fundamental o máximo de produtores se inscreverem e utilizarem o Sisbravet, que está aberto para qualquer cidadão fazer a notificação de suspeita. Não precisa de uma inscrição específica. Basta acessar o canal do Ministério da Agricultura e preencher as informações mínimas para que o veterinário oficial possa identificar a propriedade com suspeita de doença. Na notificação, o produtor pode se identificar ou pode fazer uma notificação anônima. 

Leia mais:  Dez defensivos agrícolas biológicos e orgânicos têm registro publicado

Clique aqui para ouvir a matéria da Rádio Mapa

Informações à imprensaJanete Lima
[email protected]

Comentários Facebook
publicidade

Agricultura

Portaria libera uso de agrotóxicos para combater nuvem de gafanhotos

Publicado

O Ministério da Agricultura autorizou, em caráter emergencial, o uso de determinados agrotóxicos para o controle da praga de gafanhotos que ameaça as colheitas no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. Pela portaria publicada nesta terça-feira (30), o uso de inseticidas biológicos, à base de fungos e bactérias, e outros produtos podem ser usados no caso de surto comprovado da praga de gafanhotos. Entre os princípios ativos autorizados em caráter temporário, estão o acefato ou organofosforato, a cipermetrina, deltametrina, melationa, entre outros.

Os responsáveis pelo registro dos produtos ficam desobrigados de modificar a bula para o uso desses inseticidas. A portaria do Ministério da Agricultura ainda determina que o plano para o controle da praga deve ser estabelecido pelo Órgão de Defesa Agropecuária de cada estado a partir de procedimentos gerais determinados pela Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério.

 

Os órgãos estaduais devem apresentar ainda a instância federal do setor relatórios trimestrais com todas as ações realizadas durante o período emergencial, incluindo a quantidade de agrotóxico usado nas plantações.

Leia mais:  Na FAO, ministra defende fim do protecionismo dos países desenvolvidos na agricultura

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana