conecte-se conosco


Polícia

Servidor da Prefeitura de Colíder é preso pela Polícia Civil após descumprir medidas protetivas

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Um funcionário público da Prefeitura Municipal de Colíder (650 km ao Norte) foi preso pela Polícia Judiciária Civil, na tarde de domingo (19.05), por descumprimento de medidas protetivas no âmbito da Lei Maria da Penha. J.J.C., de 34 anos, foi autuado em flagrante na esfera da violência doméstica, pelos crimes de lesão corporal, violação de domicílio, danos materiais e injúria.

O suspeito foi detido pelos policiais civis após invadir a casa da ex companheira no bairro da Torre, município de Colíder. A vítima de 32 anos foi surpreendida pelo agressor, o qual violou a residência e veio a agredir novamente.

Conforme o delegado Ruy Guilherme Peral da Silva, esse foi o terceiro episódio que o servidor municipal se envolve. No início do mês de maio J.J.C. agrediu fisicamente a ex companheira, e ainda a puxou pelo pescoço, arrastando-a pela rua.

Na ocasião a polícia foi acionada porém o agressor conseguiu fugir. A vítima foi conduzida à Delegacia de Polícia, ouvida e requesitou pelas medidas de proteção impostas pela Justiça.

Leia mais:  Polícia Civil cumpre prisão contra 03 envolvidos em morte de adolescente em Acorizal

No entanto, o suspeito acabou detido na tarde de domingo após invadir novamente o imóvel onde a vítima reside. Ao ser preso, J.J.C. foi interrogado e posteriormente autuado em flagrante delito.

“Visando garantir a ordem pública e assegurar a lei a aplicação da lei penal, a Polícia Civil representou perante o Poder judiciário, pela conversão da prisão em flagrante pela prisão preventiva” destacou o delegado Ruy Guilherme Peral da Silva.

 

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
publicidade

Polícia

Governador visita sede da diretoria geral da Polícia Civil

Publicado

por

Assessoria | PJC-MT

O governador de Mato Grosso, Mauro Mendes, visitou na manhã desta terça-feira (18.06), a sede da Diretoria Geral da Polícia Civil, em Cuiabá, para um café com os diretores objetivando conhecer de perto os projetos administrativos que estão em execução pela instituição, destinados à modernização da infraestrutura, economia e  otimização de efetivo na atividade fim de investigação.   

Na reunião o delegado geral, Mario Dermeval de Resende, agradeceu a presença do governador, que esteve acompanhado do secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho. Dermeval apresentou um panorama sobre a real situação da Polícia Civil, visando levar ao conhecimento do chefe do Poder Executivo, as necessidades e demandas institucionais que permitirão a Polícia Civil continuar progredindo.

“Estamos trabalhando de forma inspiradora, buscando soluções para sanar os problemas que surgem. Temos projetos para melhorar nossa infraestrutura e dar o melhor atendimento ao cidadão, assim como condições melhores aos nossos servidores”, disse Mário Dermeval.

O delegado geral pontuou alternativas buscadas pela gestão para modernizar as estruturas das delegacias de polícia de todo Estado, mostrando, especialmente,  preocupação com número reduzido de servidores. Na questão tecnológica, falou do projeto carro-chefe da Polícia Civil, que é o inquérito policial eletrônico, que trará grande impacto na qualidade das investigações, controle das informações e economia no gasto de mais de R$ 10 milhões em impressão. Ele também mencionou o projeto para construção da sede da Polícia Civil, em um prédio de 8 mil metros quadrados.

Leia mais:  Criminoso com várias passagens tem prisão cumprida pela Polícia Civil em Cuiabá

“O projeto da obra está pronto e estamos em tratativas com o Ministério Público para obtenção de recursos. Esse projeto do inquérito eletrônico é imprescindível para o futuro da Polícia Civil”, afirmou.

A “Central de Intimações” foi outro projeto apresentado ao governador pelo investigador Fábio Arruda Goes Ferreira. A ideia é criar uma central de recebimento de intimações automatizada, que traz como vantagem a redução de custo (financeiro e temporal), melhor distribuição geográfica das informações e atividades, contribuindo assim com a eficácia dos trabalhos investigativos.

O governador Mauro Mendes elogiou o projeto de destacou como prioritário diante da redução de custos e eficiência que trará ao Estado. “Isso que faz a diferença, pois Mato Grosso caminhou para uma situação ruim. Se conseguirmos fazer a tecnológica exercer algumas funções por nós, ganhamos capacidade para aumentar a produtividade, consequentemente, melhoramos o atendimento ao cidadão”, enalteceu Mendes.

Ao final o governador solicitou à Diretoria da Polícia Civil, para apresentar um estudo completo do cenário ideal, com informações quantificadas, para demandar soluções e alternativas aos problemas enfrentados hoje pela instituição.

Leia mais:  MPE acusa Unic de 'enganar' alunos e pede indenização de R$ 250 mil por dano moral

Também participaram da reunião todos os diretores da Polícia Judiciária Civil.

 

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana