conecte-se conosco


Polícia

Servidor da Prefeitura de Colíder é preso pela Polícia Civil após descumprir medidas protetivas

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Um funcionário público da Prefeitura Municipal de Colíder (650 km ao Norte) foi preso pela Polícia Judiciária Civil, na tarde de domingo (19.05), por descumprimento de medidas protetivas no âmbito da Lei Maria da Penha. J.J.C., de 34 anos, foi autuado em flagrante na esfera da violência doméstica, pelos crimes de lesão corporal, violação de domicílio, danos materiais e injúria.

O suspeito foi detido pelos policiais civis após invadir a casa da ex companheira no bairro da Torre, município de Colíder. A vítima de 32 anos foi surpreendida pelo agressor, o qual violou a residência e veio a agredir novamente.

Conforme o delegado Ruy Guilherme Peral da Silva, esse foi o terceiro episódio que o servidor municipal se envolve. No início do mês de maio J.J.C. agrediu fisicamente a ex companheira, e ainda a puxou pelo pescoço, arrastando-a pela rua.

Na ocasião a polícia foi acionada porém o agressor conseguiu fugir. A vítima foi conduzida à Delegacia de Polícia, ouvida e requesitou pelas medidas de proteção impostas pela Justiça.

Leia mais:  Preso último suspeito de matar vendedor de doces em General Carneiro

No entanto, o suspeito acabou detido na tarde de domingo após invadir novamente o imóvel onde a vítima reside. Ao ser preso, J.J.C. foi interrogado e posteriormente autuado em flagrante delito.

“Visando garantir a ordem pública e assegurar a lei a aplicação da lei penal, a Polícia Civil representou perante o Poder judiciário, pela conversão da prisão em flagrante pela prisão preventiva” destacou o delegado Ruy Guilherme Peral da Silva.

 

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
publicidade

Polícia

Operação realiza ações repressivas e preventivas de combate à criminalidade no interior do Estado

Publicado

por

Assessoria | PJC-MT

O enfrentamento e a prevenção à criminalidade foram focos da operação Herácles, deflagrada pela Polícia Judiciária Civil, nos meses de julho e setembro, em 11 Regionais do interior do Estado. A operação coordenada pela Diretoria do Interior cumpriu 30 ordens judiciais, entre mandados de prisão e de busca e apreensão domiciliar, além da apreensão de grande quantidade de entorpecentes, objetos de origem ilícita e a abordagem de centenas de pessoas e veículos.

Os trabalhos foram realizados pelas Delegacias Regionais de Alta Floresta, Barra do Garças, Cáceres, Guarantã do Norte, Juína, Nova Mutum, Pontes e Lacerda, Primavera do Leste, Nova Mutum, Rondonópolis, Tangará da Serra e Vila Rica.

A operação de cunho repressivo e preventivo foi deflagrada em duas etapas, com o objetivo de intensificar as ações policiais visando coibir os crimes contra o patrimônio, tráfico Ilícito de entorpecentes, homicídio entre outros, além de dar cumprimento a mandados judiciais contra pessoas foragidas da Justiça ou alvos de investigações policiais.

O trabalho desenvolvido em diversas cidades do interior também teve como um dos focos principais os municípios que sofreram com a suspensão temporária de Delegacias (Luciara, Novo Santo Antonio, Alto Paraguai, Nova Marilândia, Santo Afonso, Nova Lacerda, Bom Jesus do Araguaia, Ponte Branca, São José do Povo, Tesouro, Carlinda, Castanheira, União do Sul, Acorizal, Jangada e Nossa Senhora do Livramento).

Leia mais:  Autores de roubo a estabelecimento comercial de Barra do Garças são presos pela Polícia Civil

Para operação, foi empregado um efetivo de 88 policiais civis, entre investigadores escrivães e delegados e 22 viaturas, além de contar com apoio da Polícia Militar. No total, foi realizada a abordagem de 235 pessoas e checagem de mais de 60 veículos, além do cumprimento de 30 ordens judiciais, sendo 5 mandados de prisão e 25 e busca e apreensão domiciliar. 

Na segunda fase da operação, na Regional de Nova Mutum, foram cumpridos 9 ordens judiciais entre mandados de prisão e de busca e apreensão domiciliar, em ações desencadeadas pelas Delegacias de Arenápolis, Nortelândia, e Municipal e Regional de Nova Mutum.

Os trabalhos resultaram em duas pessoas presas, uma em flagrante e outra por força de mandado, além da apreensão de diversos aparelhos celulares de outros investigados, com objetivo de obter indícios da prática dos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico. 

Em Alta Floresta, dois homens que planejavam roubar uma aeronave na cidade foram presos. Os suspeitos, V.S.R.J, 23 anos, e F.F.A., 24 anos, são do estado de Goiás e estavam na cidade com a intenção de conseguir um avião para levar até a Bolívia.

Leia mais:  Polícia Civil prende 5 e fecha casa de distribuição para traficantes do interior do Estado

Os suspeitos despertaram atenção, após percorreram aeroportos do município na tentativa de conseguir fretar uma aeronave. A Polícia Civil foi acionada e ao abordar os suspeitos encontrou com eles um revólver cromado calibre 38, com 13 munições, R$ 5.861,00, 3 celulares, GSP, e outros objetos.

Ainda dentro da operação, uma carga de mais de 250 quilos de cloridrato e cocaína foi apreendida em uma ação integrada da Polícia Civil, Polícia Militar e Polícia Federal, realizada, em Nova Bandeirantes (1.026 km ao Norte). No total, foram apreendidos 241 tabletes da substância, localizados em uma propriedade rural do município.

Palestras

Além das ações repressivas, a operação também realizou atividades preventivas como palestras em escolas e empresas.

As ações preventivas têm o objetivo de alertar a população sobre a prática de diferentes crimes e situações de riscos que podem causar. As palestras abordaram diferentes temas como combate às drogas, abuso sexual infantil, e combate a violência doméstica e familiar contra a mulher.

 

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana