conecte-se conosco


Educação

Senado convoca Weintraub a explicar falas em reunião ministerial

Publicado

Da CNN, em São Paulo

O plenário do Senado aprovou nesta segunda-feira requerimento de convocação do ministro da Educação, Abraham Weintraub, para prestar esclarecimentos sobre declarações que fez na reunião ministerial de 22 de abril, após a divulgação de vídeo do encontro por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

Ministro da Educação, Abraham Weintraub
15/05/2019
REUTERS/Adriano Machado

O dia da participação de Weintraub no Senado –que é obrigatória, por se tratar de convocação– ainda não está definida.Entre outras declarações, o ministro da Educação defendeu, na reunião de abril, que botaria “vagabundos todos na cadeia, começando no STF”.

A fala de Weintraub foi revelada no vídeo da reunião que faz parte do inquérito em que, segundo o ex-ministro da Justiça Sergio Moro, o presidente Jair Bolsonaro tentou pressioná-lo a mudar o comando da Polícia Federal.

Na decisão em que autorizou a divulgação do vídeo, o ministro Celso de Mello, do STF, disse ter constatado a ocorrência de “aparente prática criminosa” cometida por Weintraub ao se referir à Corte.

Leia mais:  CST dos agentes comunitários divulga cronograma de cursos de capacitação

A autora do requerimento foi a senadora Rose de Freitas (Podemos-ES). “Eu achei que estava vendo um filme de terror. Mas quando vi o ministro da Educação, tive certeza que era uma panaceia, um desrespeito”, disse Freitas. “Quero perguntar quem são os ‘vagabundos’ que precisam ser presos? Palavras não são em vão.”

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) também apresentou um requerimento. “Nos vídeos e na sua transcrição, Weintraub destila ódio, em termos claros, enfáticos e chocantes, contra o povo indígena e o povo cigano, nos seguintes dizeres”, diz o senador no requerimento.

O senador Eduardo Braga (MDB-AM) também apoiou a convocação. “Não é cabível continuar nessa posição galopante de declarações contras as liberdades individuais, instituições”, disse.

O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), pediu apenas que a convocação ficasse restrita ao ministro da Educação. “As falas do ministro cruzam uma linha que é a linha do respeito às instituições”, disse. “Ele deve, sim, satisfação ao Senado Federal”, afirmou.

Outros ministros que participaram da reunião do dia 22 de abril também são alvos de requerimentos de convocações para as duas Casas. Randolfe, por exemplo, quer explicações do ministro Ricardo Salles (Meio Ambiente).

Leia mais:  AL cobra informações de empréstimo de US$ 332 milhões do Estado

Salles declarou na reunião que é preciso aproveitar a “oportunidade” que o governo federal ganha com a pandemia do novo coronavírus para “ir passando a boiada e mudando todo o regramento e simplificando normas”. Segundo o ministro, a cobertura da imprensa focada em Covid-19 daria “um pouco de alívio” para a adoção de reformas infralegais de regulamentação e simplificação.

Comentários Facebook
publicidade

Educação

Governador manda chamar professores interinos a partir do dia 14

Publicado

por

Prestes ao retorno das aulas na modalidade a distância, o governador Mauro Mendes (DEM) determinou que a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) proceda o chamamento dos professores interior a partir do dia 14 de julho. Os professores passarão por um processo de qualificação e os estudantes iniciam às aulas on-line no dia 3 de agosto.

 

Os professores interinos do Estado já fizeram o processo de contagem de pontos, mas a contratação de cerca de 1,4 mil profissionais foi interrompida por conta da pandemia do novo coronavírus, causador da covid-19.

 

As escolas que não ficaram em greve em 2019 já haviam iniciado o ano letivo de 2020, essas tiveram os interinos recontratados. Mas, as que ficaram em greve não começaram o ano letivo de 2020 e os profissionais não foram contratados. O governo passou a oferecer estudo com base em apostilas, e aula por televisão, somente uma vez por semana e com foco voltado ao Enem.

 

Em mensagem aos professores, o governador disse que um plano está sendo finalizado pela Seduc para retorno das atividades, mas só será colocado em prática depois de ouvir a Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM) e os interessados no tema. Na Assembleia Legislativa uma comissão debate o assunto.

Leia mais:  Dia Internacional da Dança será comemorado no Teatro Zulmira neste sábado (27)

 

“O planejamento da Seduc neste momento é reiniciar às aulas, apenas on-line, no dia 3 de agosto. Porque elas poderão ser contabilizadas no calendário escolar deste ano e nós vamos começar a contratar no dia 14 deste mês os professores contratados que poderão compor a grade curricular e a grade necessária para os alunos”, disse.

 

Mauro reforçou que os profissionais irão passar por um processo de qualificação e também os professores efetivos antes do retorno das atividades.

 

O governo ainda não detalhou o plano de retorno das atividades. Aulas on-line já são realidade no setor privado, mas no Brasil todo as escolas públicas ainda estão com dificuldade.

 

A situação em Mato Grosso se agrava já que o estado registra um dos maiores crescimento dos casos de infecção pelo novo coronavírus no Brasil, outro limitador é quanto a internet. O serviço não é ofertado com qualidade na maioria dos municípios do estado.

Por: gazetadigital

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana