conecte-se conosco


Polícia

Secretário destaca que ‘faxina’ na PCE é a maior na história

Publicado

lexandre Bustamante, secretário de Estado de Segurança Pública, informou que a Penitenciária Central do Estado (PCE) passa pela maior faxina já vista desde a sua criação, onde celas, blocos e alas estão sendo higienizadas, restauradas e reorganizadas. Destacou também que não há motivos para as famílias se preocuparem e que há muitas coisas dentro do presídio que não deveria estar.

“Não vou falar quem colocou para dentro, mas estamos fazendo uma faxina”, disse o secretário para explicar a operação que começou na terça-feira (13), quando reecudandos e familiares foram surpreendidos com a suspensão de visitas, seja das famílias ou dos advogados, bem como a entrada de produtos.

As primeiras informações davam conta de que a operação seria para combater o crescimento do crime organizado dentro das unidades. Segundo o secretário, trata-se de uma operação de limpeza.

“Estamos tirando todos os materiais de dentro das celas, reorganizando, pintando, tirando tomadas internas e melhorando a qualidade de ventilação”.

Pensada há meses, a operação é muito sensível, reservada e nunca feita antes no Estado, afirmou Bustamante.

Leia mais:  Polícia Civil prende suspeito de integrar organização criminosa envolvida em arrombamentos de caixas eletrônicos

“São hoje cerca de 2.400 reeducandos, então, imagina fazer uma obra dentro de casa com todas essas pessoas dentro, é complicado. Imagina esse tipo de trabalho”.

Secretário destacou que todo o processo está sendo acompanhado pelos órgãos de controle, como Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Defensoria Pública, Ministério Público Estadual (MPE) e Judiciário.

“A colaboração dos presos é muito bom. Estamos melhorando a qualidade de vida. Então, para eles é muito importante. Vai incomodar? Claro, eles vão sair da zona de conforto, mas é necessário. Por isso operação foi pensada detalhe por detalhe”.

 

Tirando ‘confortos’

Bustamante afirmou que freezers, fogões e vários objetos velhos estão sendo retirados das celas. “Também estamos tirando equipamentos que a lei não permite”.

Ao que tudo indica as celas não terão mais energia elétrica. As tomadas internas estão sendo retiradas e os ventiladores, por exemplo, serão fixados na parede. “Isso já é feito nos novos presídios”.

“Tem muito tecido, pedaços de panos e coisas antigas também, que acabam resultando em doenças respiratórias nos próprios reeducandos. Então, estamos tirando tudo e só volta para dentro o que está dentro e permitido por lei”.

Leia mais:  Polícias Civil e Militar prendem 6 pessoas em operação de combate a criminalidade

Sindicato dos Servidores do Sistema Penitenciário (Sindispen) divulgou imagens do que já foi retirado das celas, tal como ventiladores, recipientes de plásticos, rádio e outros.

Um balanço será divulgado no final da operação.

 

Compreensão das famílias

O secretário pediu ainda a compreensão das famílias nesse momento de ‘faxina’, já que as visitas estão suspensas, no primeiro momento, por 30 dias.

“As visitas estão suspensas de forma temporária, que as famílias entendam isso. As visitas geram uma movimentação de 600 pessoas em média. Para cada reeducando colocamos profissionais de escolas, então imagina isso durante o período da reforma, não conseguiríamos fazer o necessário”.

Por; Gazetadigital

Comentários Facebook
publicidade

Polícia

Polícia Civil cumpre prisão de três envolvidos em furto de veículos de concessionária em Várzea Grande

Publicado

por

Assessoria | PJC-MT

Três membros da organização criminosa envolvida no roubo e receptação dos veículos de uma concessionária em Várzea Grande tiveram mandados de prisão cumpridos pela Polícia Judiciária Civil, na quinta-feira (14.11), em ação realizada pela Divisão de Roubos e Furtos, Divisão de Homicídios e 1ª Delegacia de Polícia de Cáceres (228 km a Oeste de Cuiabá).

As ordens de prisão preventiva foram cumpridas contra os suspeitos, J.B.O, conhecido como “Barriga”, G.S.F. e J.M.F., por envolvimento em crimes de receptação e associação criminosa.

A ação criminosa ocorreu na madrugada de 21 de outubro em uma empresa localizada no bairro Construmat, em Várzea Grande, quando criminosos invadiram a empresa e subtraíram 16 veículos. No mesmo dia, as forças policiais localizaram os primeiros veículos.

A Polícia Militar encontrou os carros nos bairros Parque Atalaia, Jardim Humaitá, Jardim União e Parque Cuiabá, em Cuiabá, e no bairro da Manga, em Várzea Grande. Os outros seis foram localizados pela Polícia Civil em Cáceres e Barra do Bugres.

Em Cáceres, os veículos foram localizados em uma residência no bairro Rodeio, sendo constatado em investigação, que o imóvel foi alugado pelos três suspeitos. Diante das evidências, foi representado pelos mandados de prisão contra os envolvidos, os quais foram decretados pela Justiça e cumpridos na quinta-feira (14).

Leia mais:  Polícia Civil prende suspeito de integrar organização criminosa envolvida em arrombamentos de caixas eletrônicos

No momento da prisão, o suspeito J.B.O. fez várias ameaças aos policiais que davam cumprimento a ordem judicial, dizendo que “a prisão não ficaria barata e que ele tomaria providências de dentro da cadeia”.

 

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana