conecte-se conosco


Cidades

Saiba como funciona a Política de Saúde Mental do SUS em Cuiabá

Publicado

USC DIVULGAÇÃO

Clique para ampliar

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), mais de 400 milhões de pessoas necessitam de algum atendimento em saúde mental em todo o mundo. Deste total, 24 milhões são brasileiros. Para diminuir essa triste estatística, que durante anos foi considerada tabu mas que atualmente ocupa cinco posições no ranking das dez principais causas de incapacidades e suicídios, o Ministério da Saúde adotou, por meio da Política Nacional de Saúde Mental, estratégias e diretrizes com o objetivo de organizar a assistência às pessoas com necessidades de tratamentos e cuidados específicos em Saúde Mental em todo o país.

Em Cuiabá, essa Política do Sistema Único de Saúde (SUS) – conduzida pela Rede de Serviço de Saúde Mental oferta atenção especializada a pessoas com necessidades relacionadas a transtornos mentais como depressão, ansiedade, esquizofrenia, transtorno afetivo bipolar, transtorno obsessivo-compulsivo, incluindo aquelas com quadro de uso nocivo e dependência de substâncias psicoativas (álcool, cocaína, crack e outras drogas).  

De acordo com a coordenadora da Rede Assistencial, Rosely Batista, após intenso cuidado de reestruturação e de equipe feito pela atual gestão, a Capital possui uma ampla rede de assistência. Entretanto, segundo ela, é preciso observar a especificidade de cada paciente, para saber onde ele será melhor acolhido. “Se o paciente estiver em surto, ele pode ser encaminhado para as Unidades de Pronto Atendimento 24 horas – UPA Norte, que fica no bairro Morada do Ouro, Sul que está situada no bairro Pascoal Ramos, ou para as Policlínicas do Verdão, Planalto, Coxipó e Pedra 90”, explicou. 

Leia mais:  Sine Municipal oferece mais de 40 vagas; confira

A coordenadora ainda elucidou que depois de estabilizados os pacientes são encaminhados para receberem atendimentos e acompanhamentos psicológicos em um dos Centros de Atendimento psicossocial (CAPS). As equipes psicossociais e multiprofissionais que compõem estes locais são formadas por psicólogos, assistentes sociais, enfermeiros, médicos nas especialidades de clínica geral e psiquiatria, farmacêuticos, técnicos de enfermagem e outros habilitados para atender os casos de psicoses e neuroses graves. 

“Os acolhimentos têm caráter multidisciplinar e trabalham buscando a valorização, autonomia e inserção e reinserção dos pacientes, evitando a sua internação. Na subdivisão, o atendimento de adultos com transtornos mentais graves é feito pelo CAPS I, localizado do Bairro CPA IV e o CAPS II, no Jardim Paulista. As crianças, adolescentes e jovens até 18 anos com patologia de distúrbios, incluindo as com dependência de substâncias psicoativas, são atendidos pelo CAPS AD Infanto-Juvenil, no Bairro Jardim Europa”, completou Rosely. 

 

PORTA ABERTA

Os CAPS oferecem serviços de “portas abertas”, ou seja, atendem à demanda espontânea e é facultada a apresentação de encaminhamentos para realizar o acolhimento.  Com a estabilização do quadro, os pacientes tem alta do CAPS e passam a ter acompanhamento nos ambulatórios de saúde mental, localizados nas policlínicas e nas Unidades Básicas de Saúde, por meio do Programa Saúde da Família (PSFs) de acordo com o endereço de residência do usuário.

Leia mais:  O Shopping Popular arrecadou mais de 150 cestas básicas em prol do Natal da Solidariedade

Os casos mais graves, onde o paciente está em crise, são regulados pela rede para o atendimento de internação no Complexo do Adauto Botelho.  

 

MAIS CUIDADO 

Outro importante instrumento da Rede de Saúde Mental é o Serviço de Residência Terapêutica (SRT). Segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde seis unidades atendem aproximadamente 51 pessoas oriundas de internação de longa permanência nos hospitais psiquiátricos ou de custódia (com mais de 02 anos ininterruptos, de acordo com a Portaria Ministerial nº 3.090/2011).

Além disso, existem as unidades responsáveis pelo atendimento aos pacientes referenciados pela rede de serviços e egressos de internações hospitalares, ou seja, o Serviço Ambulatorial de Saúde Mental, nas Policlínicas do Coxipó, Planalto e Verdão e no Centro de Especialidades Médicas (CEM), este último direcionado ao atendimento Infanto-Juvenil.

 

Comentários Facebook
publicidade

Cidades

Prefeitura publica calendário de pagamento do IPTU; veja datas

Publicado

A Prefeitura de Cuiabá estabeleceu a programação para pagamento do IPTU em 2021, que deve começar a partir de 1º de março. O Decreto nº 8.285, que determina o cronograma, foi publicado na Gazeta Municipal.

 

Assim como em outras edições, o pagamento poderá ser feito em cota única ou em até oito parcelas. O valor mínimo de cada parcela será de R$ 57,26.

 

Aqueles que não tiverem débitos de anos anteriores e optarem por quitar o IPTU em cota única até o dia 14 de abril, terão desconto de 10%. Os carnês serão enviados para todos os contribuintes que contam no Cadastro Imobiliário do Município.

 

Já as guias do IPTU de imóveis territoriais deverão ser retiradas nos postos de atendimentos do Município ou por meio do site.

 

A retirada presencial poderá ser feita no Centro Integrado de Atendimento ao Contribuinte (CIAC), nas Lojas de Atendimento ao Contribuinte (LAC-Norte e LAC-SUL), e em outros postos de atendimento que serão indicados pela Prefeitura de Cuiabá.

Leia mais:  Jorge Aragão abre Festival do Chopp nesta sexta-feira

 

Outra informação que o munícipe deverá ficar atento é em relação ao pedido de isenção do pagamento, que neste ano poderá ser feito no período de 1º de junho a 30 de julho, com validade até 2024.

 

Caso a solicitação seja indeferida, será concedido um prazo de 30 dias, a partir da ciência do contribuinte quanto à decisão, para que o valor seja pago sem desconto e sem a incidência de juros e multa.

 

“De acordo com os termos do art. 5º da Lei nº 5.355/2010, alterado pela Lei nº 5.797/2014, estão isentos do Imposto Predial e Territorial Urbano os imóveis residenciais com valor venal atualizado igual ou inferior a R$ 33.921, excluindo-se os imóveis territoriais, comerciais, unidades autônomas desdobradas com cadastro individualizado para fins tributários, chácaras de recreio e garagens de edifícios”, explica o decreto municipal.

 

Veja calendário de pagamento: 

 

Primeira parcela e cota única: 14 de abril

 

Segunda parcela: 14 de maio

 

Terceira parcela: 14 de junho

Leia mais:  Alunos e a comunidade do Coxipó do Ouro participam de atividades de incentivo à leitura

 

Quarta parcela: 14 de julho

 

Quinta parcela: 13 de agosto

 

Sexta parcela: 14 de setembro

 

Sétima parcela: 14 de outubro

 

Última parcela: 12 de novembro

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana