conecte-se conosco


Entretenimento

Sabrina Sato sobre sexo com Duda Nagle: “Não sinto tesão”

Publicado

Recentemente Sabrina Sato concedeu uma entrevista à revista TPM . Durante o papo, a apresentadora deu detalhes de sua vida sexual, chegando a considerar seu marido, Duda Nagle, um irmão.

Leia também: Marido de Sabrina Sato diz que vida sexual mudou drasticamente após Zoe

Sabrina Sato%2C Duda Nagle e Zoe arrow-options
Reprodução / Instagram

Sabrina Sato, Duda Nagle e Zoe

Segundo Sabrina Sato , depois que Zoe veio ao mundo, tudo mudou em sua relação com Duda Nagle . Questionada se o sexo melhorou, ela respondeu. “Como melhora se não existe? Quem faz sexo depois de ser mãe? Não dá vontade nem de bater uma punheta para o marido. É difícil, a vontade não vem”, disse.

Leia também: Sabrina Sato aposta em look sem sutiã para ensaio de carnaval

A apresentadora ainda ressaltou que não enxerga o marido da mesma forma. “Quando você vira mãe, tudo muda. Atualmente, eu amo o Duda como se fosse meu irmão [risos]. É um amor gigantesco, eu olho para ele e sinto gratidão, mas não tesão. A gente precisa começar a falar sobre isso. Não é tudo maravilhoso [na maternidade]”.

Leia mais:  Última gravação de Beth Carvalho é lançada no Youtube

Leia também: Sabrina Sato volta de viagem e reação de Zoe é impagável

Em continuidade, Sabrina Sato falou um pouco mais de Zoe e sua vida íntima: “Eu, que fiz cesárea, fiquei cheia de gases e cheia de pontos. A cicatriz dói até hoje. E você não quer sair de perto da sua filha, não quer sair do quarto. Mas eu tô tranquila com isso, sabia? O Duda e eu conversamos muito e estamos bem. Antes a gente era um casal, agora a gente é uma família, uma potência.”

Sabrina Sato%2C Duda Nagle e Zoe arrow-options
Reprodução / Instagram

Sabrina Sato, Duda Nagle e Zoe



Sabrina Sato%2C Duda Nagle e Zoe arrow-options
Reprodução Instagram

Zoe e Sabrina Sato


Comentários Facebook
publicidade

Entretenimento

Instagram proíbe conteúdo que promova a terapia de conversão sexual

Publicado

por

O Instagram proibirá qualquer conteúdo que promova terapia de conversão depois que ativistas pediram que ela impedisse os provedores de anunciar seus serviços online. A plataforma de mídia social informou a decisão à CNN na sexta-feira (10).

A mídia social, de propriedade do Facebook, disse que expandiria suas políticas existentes sobre discurso de ódio em todo o mundo para incluir na política postagens que anunciam ou promovem a prática.

A terapia de conversão ou terapia de reorientação sexual, um processo pseudocientífico que professa mudar a sexualidade de uma pessoa, é amplamente desacreditada e condenada como prejudicial pelas principais associações médicas. Mesmo assim, ela é legal na maior parte do mundo, inclusive nos Estados Unidos e no Reino Unido.

A ação do Instagram segue os apelos dos usuários para remover uma conta usada pelo Core Issues Trust, um serviço de terapia de conversão com sede no Reino Unido.

“Não permitimos ataques contra pessoas com base em orientação sexual ou identidade de gênero e estamos atualizando nossas políticas para proibir a promoção de serviços de terapia de conversão”, afirmou Tara Hopkins, diretora de políticas públicas do Instagram para Europa, Oriente Médio e África, em um comunicado.

Leia mais:  Torta de climão marca a participação de Petrix no “Mais Você”: “Eu errei”

“Removemos o conteúdo violador do perfil @coreissuestrusttv. Estamos sempre revisando nossas políticas e continuaremos a consultar especialistas e pessoas com experiências pessoais para informar nossa abordagem”, acrescentou.

Além disso, a plataforma deixará de recomendar conteúdo relacionado à terapia de conversão, como depoimentos sobre sua eficácia ou postagens com elogio ou apoio à prática, exceto aqueles em um contexto legislativo.

No início deste ano, o Instagram proibiu anúncios pagos desse tipo de serviço.

Terapia de conversão é qualquer tentativa de alterar a orientação sexual ou a identidade de gênero de alguém. Não funciona, e estudos mostram que aqueles que se sujeitam a ela correm um risco maior de depressão e suicídio.

Vários estados dos EUA o proibiram e, em maio, a Alemanha se tornou um dos primeiros países grandes a proibi-la para menores de idade.

No Reino Unido, uma proibição total prometida pela ex-primeira-ministra Theresa May em 2018 ainda não se concretizou e não foi incluída em nenhuma das agendas legislativas do primeiro-ministro Boris Johnson.

O Facebook e o Twitter não responderam imediatamente a perguntas sobre suas políticas.

Leia mais:  Bill Murray e Selena Gomez  matam zumbis no trailer de “The Dead Don’t Die”

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês).

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana