conecte-se conosco


Cidades

Resultados dos indicadores do PDI são apresentados em Ciclo de Monitoramento

Publicado

Foi aberto na manhã desta segunda-feira (25) o 4º Ciclo de Monitoramento e Avaliação dos Indicadores e Metas do Plano Estratégico da Prefeitura de Cuiabá de 2019. O encontro tem como principal objetivo fazer uma avaliação e apresentação dos resultados dos indicadores do Plano de Desenvolvimento Integrado (PDI) dos primeiros três anos da gestão Emanuel Pinheiro (2017,2018 e 2019) e realizar uma análise geral para elaboração do plano de trabalho de 2020.

Para o encontro, as secretarias estão sendo organizadas por eixos de planejamento: Sistêmico, Econômico/Ambiental e Social. Cada equipe será estimulada a refletir sobre o comportamento dos indicadores de Cuiabá desde o início da gestão até este momento (2017/2019). O intuito é avaliar se as metas foram alcançadas, se os objetivos estratégicos foram atingidos e a apresentação das principais entregas do Plano de Governo.

“Esse 4º ciclo é de fundamental importância, pois teremos a oportunidade de analisar todos os pontos e propostas e elaborar um planejamento estratégico. Iremos avaliar se está sendo cumprida a missão estabelecida pela Prefeitura de Cuiabá, sendo executada pelas secretarias, que é a de garantir políticas públicas  efetivas por meio de uma gestão participativa, humanizada, e inclusiva para o bem estar do cidadão”, disse o secretário municipal de Governo, Lincoln Sardinha.

Leia mais:  Prefeito recebeu visita do desembargador Marcos Machado na última sexta-feira

As boas práticas de gestão são amparadas por alguns conceitos básicos, sendo eles, planejamento, transparência e controle social, educação continuada, eficiência, inovação e participação. “Com todos esses itens sendo trabalhados em conjuntos e alinhados entre si, cada vez mais atingiremos a visão da nossa administração municipal que é de transformar a Capital como uma cidade acolhedora, humanizada, moderna e de oportunidades. Feito isso, tenho a plena convicção que iremos fechar a gestão Emanuel Pinheiro com chave de ouro”, declarou o secretário municipal de Planejamento, Zito Adrien.

O encontro faz parte do cronograma de ações do PDI sendo coordenado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). “Essa parceria de trabalho com o TCE é uma determinação do prefeito Emanuel Pinheiro que atende ao compromisso firmado em seu plano de Governo”, disse a representante da Assessoria Especial de Planejamento do Município (ASPLAN), Silvina Maria dos Anjos.

O analista do planejamento de Gestão do Tribunal de Contas do Estado, Volmir Manhabosco, fez questão de evidenciar os bons resultados que já vêm sendo alcançados. Segundo ele, os números dos benefícios que os municípios já estão apresentando por estarem aplicando o sistema de gestão embasado na aplicação no Plano de Desenvolvimento Integrado (PDI) são imensuráveis. “Estamos aqui para fazer um trabalho que vem de um aprendizado que tivemos no ano passado, onde o trabalho é feito nas secretarias de forma individualizada. Agora, nesse final estamos falando em sistema de gestão. No ano passado alcançamos bons resultados, esse ano tenho certeza que o resultado também será satisfatório”, completou.

Leia mais:  Agentes da Semob são capacitados para utilização de sistema da Serpro

O evento que vai até esta terça-feira (26), está sendo realizado no auditório da Escola de Contas do Tribunal de Contas do Estado (TCE), em período integral e no período da manhã.

PDI

Instituído em 2012, o Plano de Desenvolvimento Integrado (PDI) tem como objetivo contribuir para a melhoria da eficiência dos serviços públicos, fomentando e incentivando a adoção da gestão voltada para resultados em benefícios da sociedade. Pautado pela transparência e controle social, educação continuada, eficiência, inovação e planejamento, o PDI passou a auxiliar a Prefeitura no trabalho focado nas necessidades da população e na prestação de serviço eficiente.

 

Comentários Facebook
publicidade

Cidades

MTI apresenta novo contrato de gestão unificada de tecnologia a gestores de órgãos públicos

Publicado

por

A Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação (MTI) apresentou o novo Contrato Unificado de Prestação de Serviços em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) aos gestores de TI dos órgãos do Governo do Estado. Neste ano, o documento trouxe mudanças significativas que permitirão um novo formato de cálculo dos custos nos serviços prestados.

O contrato é formalizado pela Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) e Secretaria de Fazenda (Sefaz) junto à MTI para a prestação de serviços de TI ao Poder Público Estadual.  O documento permite ao Estado ter maior facilidade na contratação dos referidos serviços, de acordo com o secretário-adjunto de Estado de Planejamento e Gestão de Políticas Públicas, Anildo Cesário Corrêa.

“É por isso que vem se fazendo esse contrato unificado. Facilita um pouco para o Estado de uma forma geral. A cada ano, o contrato vem evoluindo e a Seplag está intervindo junto com a MTI para a gente melhorar o contrato e o serviço. Neste ano teve algumas mudanças consideráveis”, disse Anildo Corrêa.

Dentre as principais mudanças está o novo formato de cálculo do faturamento de serviços. A partir de agora, os órgãos terão mais flexibilidade na adição e remoção de serviços durante a vigência do contrato e, com isso, pagarão o valor correspondente aos quantitativos de serviços de fato consumidos. O ajuste atende a uma solicitação da Procuradoria Geral do Estado (PGE) e da Controladoria Geral do Estado (CGE).

Leia mais:  Em MS, secretários discutem com Marinha envio de navio-hospital à Cuiabá

O gerente da Unidade de Gestão Estratégica de Negócios da MTI, Sandro Aguiar, explica que anteriormente o valor do contrato era fixo, independentemente do uso dos serviços, tanto a menos quanto a mais.  Com a mudança no contrato de gestão, será realizada a mensuração quadrimestral do uso do serviço e será cobrado o valor de acordo com o consumo no período. “Alguns serviços eram faturados no ano e era difícil de atestar isso – e agora vai ficar mais fácil”, disse.

Secretário-adjunto de Estado de Planejamento e Gestão de Políticas Públicas Anildo Cesário Corrêa explica mudanças no contrato

Segundo Sandro, considera-se como serviços consumidos as quantidades auferidas por termo de entrega dos serviços ou aceites registrados em sistemas de controle de demandas.  Desse modo, o uso dos serviços será classificado como último consumo, média do consumo anterior e consumo realizado.

Para assegurar maior transparência, o novo contrato de gestão prevê ainda que seja enviado quadrimestralmente, ao gestor do contrato em cada órgão, a mensuração do uso dos serviços. Assim, cada gestor terá 15 dias corridos para validação e eventuais ajustes nos valores apresentados.

Leia mais:  Ouvidoria e Procon atendem os moradores do Pedra 90

O contrato de gestão prevê também que haverá um rito diferenciado do padrão para faturamento nos casos dos serviços prestados pela MTI, através dos contratos de parceria estratégica, a fim de atender ao modelo de parcerias. Até o momento, a MTI já formalizou parcerias com a RW3 Tecnologia, parceiro da Google no Brasil, e com a Oi/SA para a oferta dos serviços de colaboração do MTI G-Suite e da Fiscalização Eletrônica, respectivamente.

Para o vice-presidente da MTI, Cleberson Gomes, o contrato traz mudanças importantes para a garantia de continuidade na prestação de serviços de tecnologia. Por isso, a MTI está à disposição de todos os órgãos públicos para esclarecer eventuais dúvidas.

“Cada cliente tem um gerente específico na MTI e eles irão auxiliar a todos a esclarecer quaisquer dúvidas e resolver quaisquer problemas, pois nosso principal objetivo é levar tecnologia a todos os órgãos. Nossa equipe comercial está de portas abertas para que possamos pensar e concretizar os importes projetos estratégico do Governo do Estado”, encerrou.

Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana