conecte-se conosco


Mato Grosso

Relatório trimestral traz aumento de ocorrências em relação ao primeiro de 2021

Publicado


O relatório trimestral da Ouvidoria Geral de Polícia apresentou um aumento de 13% nas ocorrências que chegaram ao órgão de controle social no segundo trimestre de 2021, em relação ao primeiro trimestre. Além dessa informação há recortes que permitem analisar melhor as motivações e quem denuncia.

Apesar desse aumento, houve uma redução em relação ao mesmo período de 2020, os primeiros meses da pandemia, quando ocorreu um salto nas queixas de pessoas em situação de rua. Das 78 manifestações, 20 foram encaminhadas para a Polícia Militar.

Para o ouvidor-geral de Polícia, Lúcio Andrade, “existe uma predominância de manifestações feitas em Cuiabá (44), isso pode ser motivado pelo fato de que os agentes de segurança estão mais próximos da população no interior (21), mas pode se dar por ainda haver o desconhecimento das pessoas sobre a Ouvidoria Geral de Polícia”.

O relatório ainda aponta a predominância de mulheres que buscam a OGP (37 do gênero feminino, 24 masculino e 17 não informados). A principal manifestação foi de denúncias (28) e a menor de sugestão (01).

Leia mais:  Polícia Militar localiza e recupera oito veículos roubados na capital e no interior

Ouvidoria Geral de Polícia

O cidadão pode realizar denúncias, reclamações, solicitações ou elogios com a garantia do sigilo do reclamante. A Ouvidoria Geral de Polícia recebe comunicações pertinentes à Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), Detran, Sistema Penitenciário e Socioeducativo.

O contato com a Ouvidoria pode ser feito por telefone, e-mail ou ainda por meio do Fale Cidadão, disponível no site oficial do Governo do Estado de Mato Grosso.

(65) 3614-3103

(65) 9962-4270

[email protected]

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Seduc esclarece comunidade sobre mudanças em escolas do Grande Cristo Rei

Publicado


A secretaria de Estado de Educação esclarece que o redimensionamento da Educação Básica é uma ação de planejamento da rede pública estadual e municipal. É feito com base nas necessidades e particularidades de cada município.

Em Várzea Grande, a Seduc vai ceder o prédio da Escola Heroclito Leôncio Monteiro, no bairro Cristo Rei, para o município de Várzea Grande. O redimensionamento, neste caso, também envolve a Escola Estadual Dom Bosco, localizada na mesma região. Para tirar dúvidas da comunidade escolar e explicar como será essa etapa do redimensionamento, a Seduc realizou uma reunião na unidade nesta terça-feira (21.09).

Hoje, a Escola Heroclito Leôncio Monteiro possui 492 estudantes matriculados, sendo 241 nos anos iniciais do Ensino Fundamental e 251 nos anos finais do Ensino Fundamental.

A Escola Dom Bosco atende 639 alunos, sendo 291 nos anos iniciais do Ensino Fundamental e 348 nos anos finais.

Planejamento para 2022

Recebendo o prédio da Escola Heroclito, a partir de 2022, o planejamento da secretaria municipal de Educação é atender estudantes do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental e vai abrir matrículas para crianças de 4 e 5 anos.

Leia mais:  MT Prev arrecada R$ 1,3 bilhão a menos que o necessário para pagar aposentados

Além dos 241 alunos dos anos iniciais que já estão na escola, vai receber os 291 da Escola Dom Bosco.

A Escola Dom Bosco continuará atendendo os 348 estudantes dos anos finais do Ensino Fundamental e receberá os 251 dos anos finais da Heroclito.

Entenda o redimensionamento

O redimensionamento cumpre a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB – 9.394/96), que passou a ser estruturada por etapas e modalidades de ensino, englobando a Educação Infantil, o Ensino Fundamental obrigatório de nove anos e o Ensino Médio.

Trata-se da organização dos alunos que estão na mesma etapa/modalidade em uma única unidade escolar, otimizando, assim, o espaço existente, ampliando o número de vagas, buscando garantir o acesso à educação básica.

O reordenamento das estruturas físicas de educação inclui a cessão de uso de escolas aos municípios, transferência de alunos para outras unidades e entrega dos prédios alugados pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc). Nos casos da cessão aos municípios, o Governo dará todo suporte, inclusive financeiro, com as reformas necessárias.

Leia mais:  Secretaria promove capacitação para servidores do Sistema Penitenciário

Profissionais

O profissional pedagogo pode escolher se permanece na escola que for cedida ao município ou se quer ser atribuído para outra unidade da rede estadual. Vale destacar que o profissional que permanecer na unidade, o Estado fará um termo de cooperação com o município. Esse profissional não terá nenhum prejuízo em sua carreira, continua com o mesmo subsídio e pode participar dos processos seletivos da Seduc.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana