conecte-se conosco


Saúde

Reestruturação do Hospital Regional de Rondonópolis reflete na qualidade e ampliação do atendimento à população.

Publicado

Desde que o Hospital Regional de Rondonópolis Irmã Elza Giovanella passou para a administração do Instituto Gerir, a qualidade no atendimento vem sendo elogiada pelos pacientes e acompanhantes. Além disso, as metas estabelecidas no contrato de gestão com o Governo do Estado, apesar das adversidades, estão sendo cumpridas e o número de pessoas atendidas foi ampliado. O HR de Rondonópolis também está passando por uma série de melhorias na infraestrutura após muitos anos sem manutenção e reforma, e apesar de estar em obras, a unidade hospitalar mantém o atendimento humanizado aos pacientes, com foco no seu bem estar e recuperação.

Nesta quarta-feira (21.11), a mãe da paciente Mayara Bianca Barbosa Rodrigues, de 29 anos, moradora do município de Alto Taquari, que esteve internada por três dias, escreveu um elogio registrado através do Serviço de Relacionamento com o Usuário que o Hospital mantém. “Em nome da minha filha quero expor minha gratidão pelos serviços prestados em seu benefício. Quero agradecer a cada membro das equipes médica, enfermagem, cozinha e limpeza pela atenção, dedicação e pelos trabalhos prestados. E principalmente por atender e restaurar a saúde/ou a vida da minha filha por um milagre e pelas abençoadas mãos e competência”, escreveu.

Lauro de Moraes Xavier está internado há 23 dias no HR devido a um acidente de moto, recebendo todo suporte dos profissionais e do Hospital. “Tenho sido bem atendido no Hospital Regional. Já realizei três cirurgias e tudo que preciso para minha recuperação está sendo feito”, afirmou.

Leia mais:  Farmácias vão poder fazer testes rápidos para diagnosticar COVID-19

Atendimentos normalizados

“Hoje com a estabilização do Hospital serão reabertos 25 leitos da Clínica Cirúrgica, e mais quatro salas cirúrgicas, totalizando 6 salas para a realização de cirurgias. Estão sendo retomadas as cirurgias eletivas, e já estão programadas cerca de 20 cirurgias para a próxima semana, principalmente para a área de cirurgia geral e ortopédica, além da retomada das cirurgias de oftalmologia, como catarata. O Hospital está todo reabastecido, ainda tem previsão de chegada de novos insumos e medicamentos para o abastecimento total da unidade. O objetivo é passar o final de ano sem intercorrências, por isso também será reaberta a agenda externa para exames, como ultrassom, raio-x, tomografia, ou seja, as atividades ambulatoriais voltam na próxima semana para toda a região”, explicou o secretário-adjunto de Gestão Hospitalar, Cassiano Falleiros.

Prorrogação do contrato

Com relação ao contrato de gestão hospitalar do Governo do Estado com o Instituto Gerir, o mesmo será prorrogado. “A prorrogação será até o dia 31 de janeiro de 2019, devido a não conclusão do chamamento público, por determinação do Ministério Público, e para que não haja a paralisação de nenhum tipo de serviço essencial e eletivo no HR”, completou Cassiano Falleiros.

Cumprimento de metas

A meta estabelecida para atendimento de urgência e emergência, por exemplo, de 800 atendimentos mensais, foi cumprida sempre acima de 100% desde dezembro de 2017, sendo que alguns meses, como março e agosto de 2018 o número de atendimentos foi quase 25% superior à meta, chegando a 986 e 973 pessoas no mês, respectivamente.

Leia mais:  ‘Falava que não existia, que era politicagem’, diz mãe de caminhoneiro que morreu de Covid-19 em MT

Com relação à meta para atendimento ambulatorial, estabelecida em 1.600 no mês, também foi cumprida na média, sendo que em alguns meses, como em março de 2018, foram realizadas 2.278 consultas médicas/não médicas e procedimentos.

O número de internações nas Clínicas Médica, Cirúrgica, Pediátrica, Ortopédica e Hospital Dia, estipulado em 600 por mês, ultrapassou a meta em meses como março de 2018, quando foram internados e tiveram alta 668 pacientes.

Reforma para ampliação do atendimento

Após a conclusão da reforma que está sendo realizada no hospital, a capacidade de atendimento será ampliada em diversos setores, como o de Emergência, que hoje possui apenas 08 lugares na sala de espera e 11 leitos, passará a ter 20 leitos, sendo 02 boxes vermelhos, 10 boxes amarelos, 05 observações verdes, 01 isolamento e 02 observações pediátricas, com uma ampliação total de 101,40 m² na área construída.

A recepção social terá um espaço moderno e confortável de 116,11 m² para acomodar pacientes, acompanhantes e visitantes, além de contar com sala de triagem, um avanço para toda a população da região que terá a sua disposição um atendimento de qualidade com espaço adequado.

Recentemente também foram contratados profissionais de enfermagem para o Núcleo de Segurança do Paciente e para o Ambulatório, além do investimento em instalação do conjunto radiológico com digitalização de exames, ampliando o número de exames realizados e aumentando a agilidade aos laudos.

Comentários Facebook
publicidade

Saúde

Vacina inédita contra HIV tem resultados promissores

Publicado

Resultado de uma parceria entre a Iniciativa Internacional pela Vacina da Aids (Iavi) e o Scripps Research Institute, nos Estados Unidos, uma vacina inédita contra o HIV apresentou resultados promissores em estudo de fase 1.

O imunizante é apontado por pesquisadores como um dos primeiros a superar um dos maiores desafios no desenvolvimento de compostos contra o vírus: estimular a produção pelo organismo dos chamados anticorpos amplamente neutralizantes – ou BNAbs.

Consideradas raras, essas proteínas são capazes de neutralizar diversas cepas de um vírus, mecanismo que representa a principal forma de combater o HIV – uma vez que o agente infeccioso sofre mutações com velocidade notável. Nesta primeira etapa da pesquisa, dos 48 adultos saudáveis que receberam o imunizante, os anticorpos foram observados em amostras sanguíneas de 97% dos voluntários. Um ponto-chave foi responsável para atingir tal feito, segundo William Schief, diretor executivo do Centro de Anticorpos Neutralizantes (NAC) da Iavi, cujo laboratório foi responsável pela elaboração da vacina: ativar com precisão os linfócitos B, células que estão por trás da secreção dos BNAbs. “Os dados deste ensaio afirmam a capacidade do imunógeno da vacina de fazer isso”, assegura o imunologista, em nota à imprensa. Chamada de “direcionamento de linha germinativa”, a estratégia adotada pelos pesquisadores consiste em direcionar a produção de células B virgens com propriedades específicas, capazes de atacar diferentes variações do HIV. E a aplicação do método, segundo os pesquisadores, pode ir além do vírus causador da aids: vacinas contra outros patógenos desafiadores, como gripe, dengue, zika, hepatite C e malária poderão se beneficiar da técnica. “Acreditamos que esse tipo de engenharia de vacina pode ser aplicado de forma mais ampla, inaugurando uma nova era na vacinologia”, avalia Dennis Burton, presidente do Departamento de Imunologia e Microbiologia da Scripps Research Institute. Apesar de promissores, os testes com a vacina deverão ter sua eficácia comprovada nos estudos posteriores correspondentes às fases 2 e 3, que envolvem um número maior de voluntários.

Comentários Facebook
Leia mais:  Farmácias vão poder fazer testes rápidos para diagnosticar COVID-19
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana