conecte-se conosco


Política

Reeducandos são aprovados para Engenharia e outros cursos em MT

Publicado

Dezesseis recuperandos de Mato Grosso foram aprovados na 1ª chamada do SISU/2021. Eles participaram do Exame Nacional do Ensino Médio para Pessoas Privadas de Liberdade (Enem/PPL) e três conquistaram a vaga em Engenharia Florestal, um em Engenharia Mecânica, dois em Engenharia Agrícola e Ambiental, um em Zootecnia, três em Física, um em Ciências Econômicas, um em Matemática, um em Administração, dois em Letras e um em Educação Física.

Dos novos estudantes de ensino superior, nove conquistaram as vagas na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), seis na Universidade Federal de Rondonópolis (UFR) e um na Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat).

Os aprovados cumprem pena na Penitenciária da Mata Grande (4), Centro de Ressocialização de Cuiabá (6), Cadeia Pública do Capão Grande (1), Cadeia Pública de Santo Antônio de Leverger (3), Cadeia Feminina de Rondonópolis (1), Cadeia Pública de Diamantino (1).

Com esses 16 aprovados, atualmente 26 pessoas privadas de liberdade cursam curso superior no Estado, mesmo cumprindo pena em regime fechado nas unidades penais.

Leia mais:  Regras para incentivo à tecnologia da informação podem mudar

“Para ter acesso às aulas, a família por meio dos defensores e advogados solicitam a saída para estudarem presencialmente nas universidades. Cabendo ao juiz decidir se acata ou não a solicitação. Em alguns casos, os estudantes colocam a tornozeleira para ir à universidade. Mas na maioria das situações, o recuperando está perto da progressão e o juiz libera para prisão domiciliar com uso de tornozeleira”, explicou a coordenadora do Núcleo de Educação em Prisões da Secretaria Adjunta de Administração Penitenciária, Fabiana Flávia de Magalhães Nascimento.

 

Mestrado a presos e servidores

Nesta terça-feira (27.04), às 19h, a Rede MT UBUNTU, junto ao Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário de Mato Grosso (GMF) em parceria com a Secretaria Adjunta de Administração Penitenciária da Sesp lançam o projeto de extensão “Direito Humanos e Justiça em Mato Grosso: O GMF e o Acesso a Mestrados Reconhecidos Pela Capes” via meet, através do link http://meet.google.com/inq-offx-wgm.

O projeto visa realizar mentoria acadêmica para pessoas privadas de liberdade e atualmente conta também com a inclusão de vagas destinadas exclusivamente aos servidores do sistema prisional de Mato Grosso.

Leia mais:  1ª dama é escolhida madrinha do MC Dia Feliz e disponibiliza ponto de venda na Prefeitura

“Temos 31 recuperandos com nível superior de Cuiabá e de Rondonópolis aprovados e matriculados no curso de extensão para que possam se preparar ao mestrado acadêmico. Também serão destinadas 20 vagas aos servidores do Sistema Penitenciário para que possam concorrer a vagas em programa de mestrado”, informou Fabiana Nascimento.

Comentários Facebook
publicidade

Política

Projeto que valoriza profissionais da educação é aprovado em 2ª votação

Publicado

A proposta aprovada nesta quarta-feira (5) pretende implementar campanhas publicitárias de valorização dos professores

O deputado estadual Paulo Araújo (Progressistas) manifestou no plenário da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) nesta quarta-feira (5), contentamento pela aprovação em segunda votação do Projeto de Lei  n°563/19, que pretende criar campanhas publicitárias permanentes nas escolas públicas do ensino fundamental e médio no Estado de Mato Grosso de valorização e respeito ao trabalho do professor.

O autor da proposta justifica que existem inúmeros casos de educadores se tornam reféns de alunos, devido ao fato de alguns estudantes não ter interesse em acompanhar nas aulas, e acabam por fim fazendo desordem na sala, com casos até de estarem estão armados nas escolas.

“Muitos professores ficam reféns desses alunos que fazem ameaças aos professores de diversas formas, ficando estes impossibilitados de se defender ou de tomar qualquer providência diante da situação, por isso nossa intenção de criar mecanismo para deter essa pratica, se faz necessário que alguma atitude seja efetivamente tomada para que o docente seja respeitado, seu trabalho seja valorizado e possa desenvolver suas aulas em paz”, argumentou o parlamentar.

Leia mais:  Aprovado calendário para apresentar metas fiscais do Poder Executivo

Consta na propositura que órgãos públicos competentes criarão campanha publicitária permanente nas escolas públicas do ensino fundamental e médio do Estado de Mato Grosso de valorização e respeito ao trabalho do professor. Será realizada ainda campanha, através de cartazes impressos a serem fixados sobre o assunto em todas as escolas públicas do ensino fundamental e médio no Estado de Mato Grosso.

Além disso, a proposta requerida pelo parlamentar defende a colocação de cartazes, que, deverão conter mensagens, entre outras, que induzam o respeito dos alunos ao professor e às suas decisões, bem como de valorização do seu trabalho.  Em destaque também no projeto em relação às despesas decorrentes da aplicação desta lei, que cita que correrão a conta de dotações orçamentárias consignadas no orçamento vigente e suplementadas se necessário.

“É necessário que alguma atitude seja efetivamente tomada para que o docente seja valorizado, a nossa proposta é simples e de baixo custo. Tem que existir uma ampla campanha publicitária permanente nas escolas públicas de ensino fundamental e médio, com cartazes impressos fixados nas paredes dos estabelecimentos, que tragam mensagens de respeito aos professores.

Leia mais:  João Batista participa do maior encontro de parlamentares da América Latina

Entendemos que se trata de uma medida simples, mas que pode ajudar a reverter esse estado de violência que muitos professores sofrem na sua labuta diária”, finalizou Araújo.

Dados – A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) realizou uma pesquisa com mais de 100 mil professores e diretores de escola do segundo ciclo do ensino fundamental e do ensino médio (alunos de 11 a 16 anos), que apontou que o Brasil lidera um ranking de violência nas escolas. O levantamento considera dados de 2013, quando 12,5% dos professores brasileiros ouvidos relataram serem vítimas de agressões verbais ou de intimidação de alunos ao menos uma vez por semana. A média entre os 34 países pesquisados é de 3,4%. O Brasil é seguido por Estônia (11%) e Austrália (9,7%).

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana