conecte-se conosco


Mato Grosso

Projeto de lei sugere a utilização de drones no combate às queimadas em MT

Publicado

Essa tecnologia fornece informações de qualidade, em tempo real, mas sem expor as equipes a maiores riscos.

Um projeto de lei que tramita na Assembleia Legislativa regulamenta a utilização de veículo aéreo não tripulado (Vant) ou drone para as ações de fiscalização da Polícia Militar Ambiental e do Corpo de Bombeiros no combate a incêndios florestais e outras ações de fiscalização em Mato Grosso. Essa tecnologia fornece informações de qualidade, em tempo real, mas sem expor as equipes a maiores riscos.

Conforme o deputado estadual Dr. Gimenez (PV), autor do projeto, os drones são ferramentas de apoio que podem ser cruciais no combate a incêndios florestais de grande escala e que tendem a ficar fora de controle rapidamente, colocando em perigo os profissionais das equipes de resgate e de combate ao fogo.

Com a tecnologia, os profissionais das forças de segurança terão mais condições de tomar decisões rápidas e assertivas sobre o deslocamento da equipe de brigadistas e, se necessário, fazer a evacuação de comunidades que possam ser impactadas. Os drones também voam em altitudes mais baixas que os helicópteros e navegam em espaços apertados ou perigosos, fornecendo uma imagem mais sutil da situação.

Leia mais:  Seduc repassa R$ 22,9 milhões para unidades educacionais e municípios do Estado

A proposição surgiu diante das perdas que aconteceram no Pantanal mato-grossense, que de janeiro até o final de agosto, havia queimado uma área correspondente a 12 cidades de São Paulo – 18.646 km2, cerca de 12% da área total do bioma –, segundo dados do Laboratório de Aplicações de Satélites Ambientais divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Assembleia mantém horário reduzido até 13 de novembro

Publicado

A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, em nova resolução administrativa, publicada na quinta-feira (29), prorrogou para o período de 3 a 13 de novembro o funcionamento do Parlamento em condição de horário especial, das 7h às 13h.

 

A medida vem sendo adotada pela Mesa Diretora desde o início do mês de outubro, em função do aquecimento do sistema central de ar-condicionado do Edifício Dante Martins de Oliveira, sede da ALMT, neste período de calor mais intenso. Esta é a terceira mudança neste sentido por conta da não redução da temperatura e a o rendimento do sistema de refrigeração trabalhar em sobrecarga sem proporcionar um rendimento satisfatório para um ambiente de trabalho confortável.

O parágrafo único do artigo 1º da resolução administrativa diz que o expediente da Supervisão de Qualidade de Vida, as perícias e a unidade de atendimento à Covid-19 permanecem inalterados. O artigo 2º mantém suspenso o atendimento presencial do público externo no Espaço Cidadania, que será regulamentado em resolução específica. E o artigo 3º autoriza “o desligamento dos equipamentos de refrigeração com a finalidade de preservação dos mesmos após o horário de encerramento do expediente”.

Leia mais:  Operação Lei Seca realiza 154 testes de alcoolemia e apreende 25 veículos

 

A decisão considera o risco de eventual perda dos equipamentos, comprometidos com o desgaste do tempo e a indisponibilidade de peças de reposição no mercado em decorrência do período de uso, “que teria como consequência a paralisação de todas as atividades na ALMT”, diz trecho do documento.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana