conecte-se conosco


Mato Grosso

Projeto de escola de Guiratinga usa o rádio como instrumento de ensino-aprendizagem

Publicado

A Escola Estadual Luiz Orione, localizada no município de Guiratinga (328 quilômetros ao sul Cuiabá), desenvolve o “Projeto Rádio na Escola”, com a participação de estudantes do ensino fundamental. A ideia inicial do projeto foi fazer do rádio uma ferramenta de acesso ao saber, mas os alunos gostaram tanto da ideia que criaram uma redação no estúdio.

Conforme o projeto, os alunos são os responsáveis pela organização das pautas da programação, que ocorre uma vez por semana durante o intervalo das aulas e com duração de 20 minutos.

Durante a programação, são tratados diversos assuntos, destacando a prestação de serviço, como educação no trânsito, histórico do Estado de Mato Grosso, alimentação, entrevistas, textos e poemas, elaborados pelos próprios alunos, ao entretenimento com os horóscopos e músicas a pedido do ouvinte.

“O interessante é que a cada semana um aluno fica responsável por elaborar sua respectiva pauta, de forma que haja revezamento e todos tenham a oportunidade de participar. Assim, a ferramenta rádio vem integrando o ensino-aprendizagem proposto pela instituição de forma instrutiva e principalmente interativa”, explica o coordenador pedagógico Natal Vieira da Silva.

Leia mais:  Entrega de kits da corrida de obstáculos ‘Rotam Extreme’ segue neste sábado

A responsável pelo projeto, Laura Angélica da Silva Baldoino, explica que para o desenvolvimento do projeto, foram realizadas pesquisas de campo na rádio local com a ideia de aprimorar o aprendizado dos alunos.

Dessa forma, os alunos tiveram acesso ao estúdio de gravação, bem como obtiveram conhecimento dos equipamentos necessários para produzir programas jornalísticos de uma emissora de rádio. A partir desse trabalho, os alunos traçaram o foco do projeto. 

Após a experiência “in loco”, os estudantes retornaram para a sala de aula e colocaram em prática todos os conhecimentos adquiridos, correlacionando-os as disciplinas da grade curricular.

Laura Angélica acrescenta que, entre os objetivos propostos, destaca-se a importância da rádio como instrumento de escola cidadã, as habilidades comunicacionais que eles irão adquirir. “Soma-se a isso, a instigação na formação de repórteres juvenis e utilizar do rádio como um instrumento eficaz de ensino”, destaca.

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Seduc esclarece comunidade sobre mudanças em escolas do Grande Cristo Rei

Publicado


A secretaria de Estado de Educação esclarece que o redimensionamento da Educação Básica é uma ação de planejamento da rede pública estadual e municipal. É feito com base nas necessidades e particularidades de cada município.

Em Várzea Grande, a Seduc vai ceder o prédio da Escola Heroclito Leôncio Monteiro, no bairro Cristo Rei, para o município de Várzea Grande. O redimensionamento, neste caso, também envolve a Escola Estadual Dom Bosco, localizada na mesma região. Para tirar dúvidas da comunidade escolar e explicar como será essa etapa do redimensionamento, a Seduc realizou uma reunião na unidade nesta terça-feira (21.09).

Hoje, a Escola Heroclito Leôncio Monteiro possui 492 estudantes matriculados, sendo 241 nos anos iniciais do Ensino Fundamental e 251 nos anos finais do Ensino Fundamental.

A Escola Dom Bosco atende 639 alunos, sendo 291 nos anos iniciais do Ensino Fundamental e 348 nos anos finais.

Planejamento para 2022

Recebendo o prédio da Escola Heroclito, a partir de 2022, o planejamento da secretaria municipal de Educação é atender estudantes do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental e vai abrir matrículas para crianças de 4 e 5 anos.

Leia mais:  Pivetta afirma que meta é cortar 50% dos comissionados: "muitos não têm função

Além dos 241 alunos dos anos iniciais que já estão na escola, vai receber os 291 da Escola Dom Bosco.

A Escola Dom Bosco continuará atendendo os 348 estudantes dos anos finais do Ensino Fundamental e receberá os 251 dos anos finais da Heroclito.

Entenda o redimensionamento

O redimensionamento cumpre a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB – 9.394/96), que passou a ser estruturada por etapas e modalidades de ensino, englobando a Educação Infantil, o Ensino Fundamental obrigatório de nove anos e o Ensino Médio.

Trata-se da organização dos alunos que estão na mesma etapa/modalidade em uma única unidade escolar, otimizando, assim, o espaço existente, ampliando o número de vagas, buscando garantir o acesso à educação básica.

O reordenamento das estruturas físicas de educação inclui a cessão de uso de escolas aos municípios, transferência de alunos para outras unidades e entrega dos prédios alugados pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc). Nos casos da cessão aos municípios, o Governo dará todo suporte, inclusive financeiro, com as reformas necessárias.

Leia mais:  Maratona de audiovisual propõe desafios para projetos em bibliotecas e museus

Profissionais

O profissional pedagogo pode escolher se permanece na escola que for cedida ao município ou se quer ser atribuído para outra unidade da rede estadual. Vale destacar que o profissional que permanecer na unidade, o Estado fará um termo de cooperação com o município. Esse profissional não terá nenhum prejuízo em sua carreira, continua com o mesmo subsídio e pode participar dos processos seletivos da Seduc.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana