conecte-se conosco


Esportes

Projeto da Prefeitura de SP contra a violência doméstica ganha apoio de clubes

Publicado


O São Paulo mantêm um projeto de acolhimento para vítimas da violência doméstica
Reprodução

O São Paulo mantêm um projeto de acolhimento para vítimas da violência doméstica

Três dos grandes clubes paulistas se juntarão nesta quinta-feira (17) para dar apoio a um projeto da Prefeitura de São Paulo que tem como objetivo combater a violência doméstica e familiar contra a mulher.

Leia também:  Jogador do Tottenham é preso por suspeita de agredir namorada na Inglaterra

Corinthians, Palmeiras e São Paulo irão se juntar as Secretarias de Desenvolvimento Economico e de Direitos Humanos e Cidadania do Estado para ampliar o projeto
Tem Saída, lançado em 2018 pela Prefeitura.

O encontro entre as equipes e as lideranças da prefeitura
acontecerá no centro de São Paulo às 14h. O prefeito Bruno Covas receberá os presidentes dos clubes para a assinatura de um acordo de cooperação. O programa visa oferecer autonomia financeira, por meio da geração de emprego às mulheres vítimas de violência doméstica.

Leia também:  Jogador da Irlanda do Norte é flagrado se masturbando no meio da rua


Cartaz do projeto Tem Saída, da Prefeitura de São Paulo
Reprodução

Cartaz do projeto Tem Saída, da Prefeitura de São Paulo

Além do prefeito, participam do evento a secretária de Desenvolvimento Econômico, Aline Cardoso, a secretária de Direitos Humanos e Cidadania, Berenice Giannella, o presidente do São Paulo Futebol Clube, Carlos Augusto de Barros e Silva, o presidente em exercício da Sociedade Esportiva Palmeiras, Paulo Buosi, e o presidente do Sport Club Corinthians Paulista, Andrés Sanchez.

Leia mais:  Pietro Fittipaldi vai pilotar Lotus-85 de Ayrton Senna em evento

Toda mulher que procurar o atendimento do programa Tem Saída
será encaminhada pelo sistema judiciário aos equipamentos de seleção de emprego da STME. O projeto tem apoio de diversas empresas além de ONGs e a Vara Especializada sem Violência Doméstica e Familiar da capital.

Não é a primeira vez que um dos três clubes da capital paulista toma medidas contra a violência doméstica contra mulheres.

Desde maio de 2018, o São Paulo disponibiliza o Morumbi para acolher mulheres vítimas de agressão e mantem essa parceria com a Justiça de Saia, um projeto liderado pela promotora Gabriela Manssur.

 Leia também:  De volta ao futebol feminino, SPFC anuncia a atacante Cristiane para 2019

Também no ano passado, o Corinthians desistiu de contratar o jogador Juninho, do Sport, após o atleta responder por agressões à namorada. O clube já chegou a realizar ações e apoiar projetos
 contra a violência doméstica em dias de jogos, além de orientar os torcedores a denunciar abusos e agressões.

Comentários Facebook
publicidade

Esportes

Fórmula 1 cancela GP Brasil este ano em Interlagos

Publicado

A Fórmula 1 cancelou hoje (24) o Grande Prêmio (GP) do Brasil que ocorreria em 15 de novembro. Será a primeira vez, desde 1973, que a corrida não será realizada no país. O anúncio feito nesta sexta-feira (24) por meio de nota oficial da  Fórmula One Management, organizadora do evento. 

Além do GP do Brasil no autódromo de Interlagos, também foram cortadas da temporada deste ano outras três provas: Canadá, Estados Unidos e México. As corridas estavam previstas para acontecer entre outubro e novembro, com exceção do GP do Canadá, que seriam em em junho.

O prefeito da cidade de São Paulo, Bruno Covas, comentou a decisão durante coletiva de imprensa sobre a situação da pandemia do novo coronavírus (covid-19), em São Paulo. Covas disse que a prefeitura vai respeitar a decisão dos organizadores da Fórmula 1. No entanto, ressaltou que a capital paulista, em novembro, estará em situação melhor do que nas cidades onde já ocorreram corridas este ano. Covas afirmou ainda que as tratativas pra renovação do contrato da Fórmula 1 em Interlagos no ano que vem continuam. O contrato termina este ano.

No início deste mês, o chefe da Mercedes, o austríaco Toto Wolff, já havia se pronunciado sobre a inviabilidade de realização do GP no país. Na ocasião, ele revelou o teor da conversa que teve com o diretor executivo da F1, o norte-americano Ross Brown, sobre o risco de realizar o GP no Brasil diante do descontrole da pandemia do novo coronavírus (covid-19) no país.

Leia mais:  Halloween polêmico! Fantasia de Pistorius assassino dá o que falar na Inglaterra

Por meio de mensagem publicada o Twitter, os organizadores comentaram a decisão.

“Com a pandemia da COVID-19 em curso, significa que, infelizmente, não será possível competir no Brasil, EUA, México e Canadá este ano. Esperamos voltar na próxima temporada para as Américas para fazer um show para nossos fãs apaixonados da região.” e ainda completou em nota publicada no site – “Também queremos prestar homenagem aos nossos incríveis parceiros nas Américas e esperamos voltar com eles na próxima temporada, quando mais uma vez conseguirem emocionar milhões de fãs ao redor do mundo.”

Por meio de nota oficial, a  assessoria de comunicação da empresa Interpub, responsável pelo GP Brasil, disse: “Sobre as notícias divulgadas hoje, 24/07/2020, dando conta do cancelamento do GP Brasil de Fórmula 1 e das demais corridas das Américas, comunicamos que não recebemos até o presente momento nenhuma comunicação oficial da Federação Internacional de Automobilismo e, dessa forma, não poderemos nos manifestar”.

A Fórmula 1 deveria iniciar em março, mas teve de ser adiada por causa da explosão de casos de covid-19 pelo mundo. Ao todo, 15 provas já foram afetadas pela insegurança sanitária, sendo que sete delas (Austrália, Mônaco, França, Holanda, Azerbaijão, Cingapura, Japão, Brasil, Canadá, Estados Unidos e México) foram canceladas. Já outras quatro provas acabaram adiadas (Bahrein, Vietnã, China e Espanha).

Leia mais:  Coluna: Érika, o malbec que harmoniza com grandes ambições

Por outro lado, mais três circuitos foram confirmados para a temporada 2020. Em Nürburgring (GP da Alemanha), acontecerá em 11 de outubro. Já o de Portimão (GP de Portugal) aparece como novidade. Ele foi agendado para 25 de outubro, e será a primeira vez que o Circuito Internacional de Algarve sediará uma corrida de F1. O país não recebia um evento de Campeonato Mundial da categoria desde 1996. Por fim, o de Ímola (GP da Emilia Romagna) está marcado para 1º de novembro, na Itália.

Com o calendário revisado devido à pandemia, os organizadores da Fórmula 1 reiteraram o objetivo de completar o Campeonato Mundial com a disputa de 15 a 18 provas. Inicialmente era previsto 22 circuitos. O encerramento da competição deverá acontecer em dezembro, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos.

Por Rafael Monteiro – Repórter da Rádio Nacional – Rio de Janeiro

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana