conecte-se conosco


Cidades

Professores da rede pública de Cuiabá participaram do encontro nacional de Matemática

Publicado

Jorge Pinho

Cerca de 150 professores da rede pública municipal de Ensino participaram esta semana do 13º Encontro Nacional de Educação Matemática (ENEM), que teve como tema, a “Educação Matemática com as Escolas da Educação Básica: Interações entre pesquisa e salas de aula”. Dividido em três eixos, Práticas Escolares, Pesquisa em Educação Matemática e Formação de Professores, o evento teve como objetivo, contribuir para melhorar os processos de ensinar e de aprender matemática nas Escolas da Educação Básica do Brasil.

Cerca de 4 mil pessoas, entre estudantes, pesquisadores, professores, mestres e doutores no assunto compartilharam suas experiências, novos métodos de ensino da Matemática e participaram de uma feira com 74 experimentos selecionados, mostrando atividades diferenciadas e aplicações da Matemática para a Educação Especial, Educação Infantil, Ensino Fundamental, Médio e Superior.

Segundo Márcio Rodrigues que é professor da Unemat, e coordenador local do 13º Encontro Nacional de Educação Matemática, essa é a primeira vez que Mato Grosso sedia um evento de tamanha importância para a ciência, pesquisa, ensino, qualificação e aprendizado de novas tecnologias da Matemática. O encontro também marcou as comemorações dos 300 anos de Cuiabá.

“O encontro de educação em Matemática congregou professores da Educação Básica, alunos da graduação, pedagogia, e pesquisadores de todos os estados brasileiros. Também participaram mais de 15 países, entre eles, da América do Sul, a Argentina e a Venezuela, entre outros no que é o maior encontro sobre o assunto do Brasil”, disse ele anunciando que a próxima edição do evento, a 14º, já tem cidade escolhida, será em Natal, no Rio Grande do Norte, em 2022.

Leia mais:  Apresentações do ‘Lê Pra Mim?’ encerram nesta quinta-feira

A Sociedade Brasileira de Educação Matemática é quem organiza todos os encontros. Sem fins lucrativos a entidade reúne professores das universidades para promover ações como essas. “Encontros como esses, servem para compartilhar experiências”, explicou Marcio Rodrigues avaliando que ao final, essa troca de conhecimentos, impacta positivamente no aprendizado das crianças.

O compartilhamento de experiências muda a prática de ensino da Matemática, por isso é importante que o professor da Educação Básica e o pesquisador, tenham esse tipo de contato, para balizar ações  do educador na sala de aula. “Nós como professores, quando fazemos o curso de graduação, saímos com uma única compreensão; devermos ser eternos aprendizes, para continuar aprendendo e levando sempre coisas novas para os alunos”, destacou Marcio Rodrigues.

Novas experiências

Para a professora Laura Izabel Marques Vasconcelos, da Escola Municipal de Educação Básica (EMEB) Profª Maria Dimpina Lobo Duarte, a experiência foi válida, e serviu para renovar e aprender novos conceitos.  A professora falou sobre os cursos oferecidos na Feira da Matemática, que vão contribuir para melhorar a prática pedagógica. “Acabei de sair de uma oficina de soroban (ábaco japonês), onde aprendi as quatro operações, de forma muito significativa. Nossos alunos aprendem o material para fazer as atividades em sala de aula”, comentou a professora Laura.

Rosélia Lanague, professora na EMEB Dep. Ulisses Silveira Guimarães, formada em Matemática e Pedagogia, disse que a experiência foi importante para os profissionais da rede que puderam participar e mostrou nas oficinas, maneiras diferenciadas e lúdicas do aluno aprender. “O que levo daqui são inovações tecnológicas na área de Educação que complementam o meu conhecimento, melhorando e vão melhorar minha atuação em sala de aula”, concluiu a pedagoga.

Leia mais:  Resultados dos indicadores do PDI são apresentados em Ciclo de Monitoramento

A professora Juscelda Matana, que trabalha na graduação, pós-graduação e ensino fundamental, além de ser professora da rede, também se disse entusiasmada com as palestras. Para ela, o treinamento é único e um fato inédito para os professores em Cuiabá, não importando a profissão que o cidadão exerce, porque a matemática é fundamental na nossa vida. “Nós vivenciamos a Matemática a cada momento, a cada instante em nossas vidas, então devemos pensar no ensino da Matemática não só na escola”, disse ela.

A professora Cecilia Batista Campos, ensina a disciplina na rede básica e integra a equipe de formação da Secretaria Municipal de Educação de Cuiabá. Para ela, os debates e experiências foram importantes para formação dos professores, já que as tecnologias fazem parte da educação e da prática pedagógica. “Os ensinamentos aprendidos aqui vão enriquecer a pratica do professores e ajudar na metodologia em sala de aula”, terminou a docente.

Encontro

O Encontro Nacional de Educação Matemática é uma iniciativa da Sociedade Brasileira de Educação Matemática, Regional Mato Grosso (SBEM), organizado pela Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), com apoio das prefeituras de Cuiabá e de Várzea Grande, por meio das secretarias municipais de Educação dos dois municípios. O evento foi aberto no domingo (14) e encerrado nesta quarta-feira (17).

Fonte: Prefeitura de Cuiabá
Comentários Facebook
publicidade

Cidades

Secretaria de Saúde realiza “Dia D” em Prevenção de Incapacidades Físicas

Publicado

por

Davi Valle

A campanha Janeiro Roxo, que tem o objetivo de conscientizar a população sobre a luta contra a hanseníase, começou em Cuiabá oficialmente no dia 09 de janeiro. Na data uma palestra foi proferida pela médica do PSF Renascer, Dra. Andreia Tomborelli, para os pacientes que aguardavam por atendimento na sala de espera da unidade.

Ela explicou que os principais sintomas da hanseníase são o aparecimento de manchas brancas, vermelhas ou roxas pelo corpo, ou de caroços. Além disso, a pessoa pode apresentar infiltrado da pele do rosto e da orelha, queda das sobrancelhas, cílios, dos pelos ao redor das manchas. Também pode acontecer perda de sensibilidade dos olhos, perda de força nas pálpebras, perda de força e sensibilidade nas mãos e pés. 

Para intensificar as ações de conscientização do conceito para as famílias e as comunidades, reforçando o reconhecimento dos sinais e sintomas da hanseníase, a Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Diretoria de Atenção Básica, vai realizar na próxima segunda-feira (20) o “Dia D” em Prevenção de Incapacidades Físicas.

Leia mais:  Apresentações do ‘Lê Pra Mim?’ encerram nesta quinta-feira

Segundo o Responsável Técnico do Programa Municipal de Controle da Hanseníase, Cícero Fraga, no dia 20 todas as unidades básicas de saúde realizarão ações como roda de conversa, palestras e avaliações das pessoas que estiverem esperando atendimento. “As mensagens centrais que queremos transmitir é que diagnosticar é prevenir, pois a hanseníase tem tratamento e cura e também que o diagnóstico tardio pode provocar incapacidades físicas e deformidades visíveis”, comentou Cícero.

A doença

A hanseníase, comumente conhecida como lepra, é uma doença infecciosa causada pela bactéria Mycobacterium leprae, ou bacilo de Hansen, que lesiona os nervos periféricos e diminui a sensibilidade da pele. Sua transmissão ocorre através do contato direto com doentes sem tratamento, pois estes eliminam os bacilos através do aparelho respiratório superior em meio a secreções nasais e gotículas da fala, tosse e espirro. No caso dos doentes que recebem tratamento médico, não há risco de transmissão.

A hanseníase tem cura e seu tratamento é realizado através de medicamentos via oral. Esta doença é tratada nas unidades de saúde e seu tratamento é gratuito. Os remédios são administrados via oral, pela poliquimioterapia (PQT), uma associação de medicamentos que evita a resistência do bacilo e deve ser administrada por seis meses ou um ano a depender do caso.

Leia mais:  Respirar em Cuiabá é como fumar meio maço de cigarro por dia

Uma importante medida de prevenção é a informação sobre os sinais e sintomas da doença, pois, quanto mais cedo for identificada, mais fácil e rápida ocorrerá a cura. Outra medida preventiva é a realização do exame dermato-neurológico e aplicação da vacina BCG nas pessoas que vivem com os portadores desta doença.

 

Fonte: Prefeitura de Cuiabá
Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana