conecte-se conosco


Polícia

Proerd forma 1.250 alunos de escolas privadas na prevenção às drogas em Cuiabá

Publicado

O Programa de Prevenção e Resistência às Drogas(Proerd), desenvolvido pela Polícia Militar, formou na última semana de abril 1.250 estudantes no curso de prevenção às drogas, bullying e violência em escolas da rede privada de Cuiabá.

Os formandos são crianças com idade entre 8 e 10 anos matriculadas no ensino fundamental, do 1º ao 4º ano. Eles freqüentaram o curso ‘Proerd Kids’ e tiveram lições diferenciadas, conforme a série, com dois tipos de conteúdos abordados.

Os estudantes do 1º ao 2º ano estudaram sobre Leis e Regras da convivência em sociedade, enfrentamento ao bullying e conflitos sem violência. Também aprenderam sobre o que podem comer e cheirar sem se expor a riscos.

Já com os alunos do 3º ao 4º ano as lições as lições foram sobre regras de trânsito e como conhecer os próprios sentimentos. Aprenderam também sobre as drogas a partir de questionamentos do tipo: o que o consumo pode fazer? Ajuda ou atrapalhar? Esse conteúdo incluiu drogas lícitas e ilícitas, como medicamentos de uso comum.

Leia mais:  Polícia Civil esclarece roubo contra motorista de aplicativo com apreensão de menores envolvidos no crime

O coordenador estadual do Proerd, tenente-coronel Darwin Salgado Germano, diz que a meta é iniciar este mês o currículo dos estudantes do 5º ao 7º, esse com conteúdo de 10 lições.

Darwin Germano explica que as atividades do Proerd foram lançadas em todo o Estado de forma com semipresencial, ou seja, parte na escola e parte virtual, seguindo todos os protocolos de prevenção à Covid-19, ou seja, uso obrigatório de máscara facial, higienização das mãos com álcool geral, entre outras. Atualmente, acrescenta o coordenador, os cursos estão sendo oferecidos milhares de estudantes em mais de 25 município

Comentários Facebook
publicidade

Polícia

Operação Sinal Vermelho cumpre medidas judiciais e afasta secretário de mobilidade urbana de Cuiabá

Publicado

Os trabalhos partiram de análises realizadas por auditores do TCE-MT, por meio da qual foram identificadas diversas irregularidades no sistema de semáforos inteligentes adquiridos pela Prefeitura da Capital

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Combate à Corrupção (DECCOR), deflagrou na manhã desta quarta-feira (05.5) a operação “Sinal Vermelho”, após a conclusão dos trabalhos investigativos envolvendo a rede de semáforos adquiridos pela Prefeitura da Capital.  As medidas foram deferidas pela juíza da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Ana Cristina Silva Mendes.

Os trabalhos partiram de análises realizadas por auditores do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT), por meio da qual foram identificadas diversas irregularidades no sistema de semáforos inteligentes adquiridos pela Prefeitura de Cuiabá ao valor de R$ 15.447.745,12.

A contratação ocorreu por meio de adesão a uma ata do município de Aracajú (SE). Os auditores do TCE identificaram a inviabilidade do funcionamento do controle remoto de priorização de transporte público adquirido pela Prefeitura de Cuiabá, pois em Aracajú há o modal BRT que viabiliza o funcionamento, enquanto que na capital mato-grossense não existe tal modalidade de transporte, impossibilitando o cumprimento dessa parte do objeto contratual.

Leia mais:  Comissão de Segurança discute situação dos Conselhos Comunitários de MT

Ao analisar o relatório de auditoria, a Delegacia de Combate à Corrupção verificou que ao promover a contratação na forma detectada, com a impossibilidade de realizar o controle remoto de priorização de transporte público, entende-se que houve um dano ao erário no valor de R$ 553.884,32 em face da liquidação do item 13 do Contrato nº 258/2017 “Software de Gerenciamento Semafórico Spinnaker/EMTRAC”, diante da impossibilidade de funcionamento, uma vez que há ausência de comunicação do sistema.

Após todas as análises dos documentos foi deferida judicialmente a  medida cautelar de afastamento do cargo do secretário de Mobilidade Urbana de Cuiabá, bem como o bloqueio de valores até o limite de R$ 553.884,32 (quinhentos e cinquenta e três mil, oitocentos e oitenta e quatro reais e trinta e dois centavos), em face do secretário, do representante legal da empresa contratada e nas contas da própria empresa.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana