conecte-se conosco


Mato Grosso

Produtividade de café bate recorde nos municípios de Colniza e Nova Santa Helena em MT

Publicado

A colheita do café bateu recorde em produtividade e atingiu 114,28 sacas por hectare na propriedade do agricultor familiar Edmar Mutz, no município de Colniza (1.065 km a Noroeste de Cuiabá). Numa área de dois hectares, o agricultor colheu 240 sacas de café. No município de Nova Santa Helena (622 km ao Norte da capital), a colheita também é comemorada pelos cafeicultores que atingiram a média de 45 sacas de café por hectare. É a maior colheita de grãos registrada nos municípios.

O engenheiro agrônomo da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Ronaldo Benevides, destaca que foi utilizada tecnologia para produção com a análise de solo, correção e adubação de plantio, adubação de cobertura, podas, irrigação, monitoramento e controle de pragas e doenças com o objetivo de obter boa produtividade e altos rendimentos econômicos. “Investir em tecnologia, além de proporcionar uma alta produtividade, facilita a colheita, que é realizada pelo produtor. A mão-de-obra é o grande responsável pelo custo da produção”, esclarece.

O agricultor Edmar possui dois plantios de café em sua propriedade, um com apenas seis meses de cultivo, e outro com mais de dois anos, somando um total de 13 mil pés da cultura. Na safra anterior, produziu em média 20 sacas de café por hectare. Conforme Ronaldo, a tecnologia proporcionou um salto na produção e deixou o produtor animado com o cafezal. Na região estão comercializando a saca de café (60 quilos) por R$300,00. Com a venda de 240 sacas, o produtor poderá ter um lucro de R$ 72 mil em apenas dois hectares.

O agricultor Edmar colheu 240 sacas de café

 

Leia mais:  Pastores recebem moções de aplauso na ALMT

Na safra anterior, o município de Colniza registrou uma produção de quase 18 toneladas numa área de 11,5 mil hectares. O município é responsável mais da metade do café produzido em Mato Grosso. Benevides enfatiza que a colheita foi realizada no mês de abril, em plena pandemia do novo Coronavírus, e os cuidados foram redobrados para evitar a contaminação e a transmissão da Covid-19. “Os produtores receberam orientações na colheita e instruções para armazenar o produto”, explica.

Os agricultores familiares Moacir Carrara e Jamil Pinheiro, do município de Nova Santa Helena, estão comemorando os resultados da boa colheita do café clonal, que foi plantado na Comunidade Santa Cruz, tradicional no cultivo do café. Em parceria, os agricultores plantaram numa área de dois hectares, e já na segunda colheita atingiram a marca de 45 sacas de café por hectare. “A produção aumentou muito após a utilização da tecnologia clonal, sempre fomos cafeicultores e utilizamos métodos de baixa produção. Hoje já pensamos em ampliar a área com o cultivo do café”, comenta Jamil.

O engenheiro agrônomo da Empaer, Thiago Tombini, estima que neste ano (2020), haverá um aumento de mais 11 novas famílias aptas para o cultivo da cultura do café no município. “A alta produtividade e a qualidade dos grãos superaram as expectativas dos produtores e dos técnicos da Empaer, que acompanharam o manejo das áreas cultivadas. O município possui atualmente oito produtores de café”, esclarece.

Leia mais:  Comissão da ALMT convoca secretária de Educação para prestar esclarecimentos sobre estrutura das escolas

Tombini explica que alguns agricultores estão cultivando a variedade BRS Ouro Preto, oriunda da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e outros cultivam as variedades crioulas Conilon (Coffea canephora) e clones dos novos materiais de Robusta Amazônicos (Coffea canephora). O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (Seaf) e a Empaer, com apoio das prefeituras, através do Programa Mato Grosso Produtivo-Café, está implantando no Estado a produção de café clonal, uma técnica desenvolvida pela Embrapa de Rondônia.

Extensionista | Empaer

As mudas de café estão sendo produzidas nos Campos Experimentais da Empaer

Atualmente as mudas de café para o programa estão sendo produzidas pelos Centros de Pesquisas e Transferência de Tecnologia da Empaer dos municípios de Sinop, Tangará da Serra e Cáceres. As mudas serão entregues para o plantio ainda no ano de 2020, somente para os agricultores cadastrados. Serão atendidos 49 municípios de todas as regiões do Estado. Segundo Tombini, mais de 16 mil mudas de café serão entregues nos municípios de Sinop e Feliz Natal.

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Justiça Eleitoral já registrou mais de 55 mil pedidos de candidaturas

Publicado

Expectativa do TSE é de 700 mil candidaturas

Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já registrou mais de 55 mil pedidos de candidatura para concorrer aos cargos de prefeito, vice-prefeito e vereador nas eleições municipais de 2020, até as 17h deste sábado (19). Seguindo a tradição brasileira, os homens são maioria na disputa, representando 66,9% dos pedidos, enquanto as mulheres 33,1%. A faixa etária predominante é de pessoas entre 40 anos e 44 anos de idade e mais da metade se declararam casados 53,1%.

A plataforma desenvolvida pelo TSE DivulgaCandContas aponta ainda que brancos e pardos estão em maior número entre os postulantes a uma vaga eletiva municipal, 53,61% e 33,94%, respectivamente, seguidos de pretos, 10,4%. Amarelos e indígenas não chegam a 1% dos registros até agora.

Em relação ao grau escolaridade, a plataforma aponta que 37,56% têm ensino médio completo, na sequência vem os que têm nível superior completo, 26,3% , fundamental incompleto, 12,4%, fundamental completo, 11,74%, superior incompleto, 4,83%, ensino médio incompleto, 4,68%. Os que declararam que apenas leem e escrevem somavam 2,48%.

Leia mais:  AL deve votar criação de 9 vagas de desembargador e 90 para assessor do Judiciário em MT

A maioria dos candidatos não se encaixou em nenhuma das ocupações mais frequentes listadas pela Justiça Eleitoral e marcou “outros” nessa opção. Já servidores públicos, agricultores e empresários aparecem na sequência, com 7,16%, 6,92% e 6,54% dos registros. Comerciantes, vereadores e donas de casa representam 5,51%, 5,14% e 3,76%, respectivamente.

A quantidade exata de candidatos nas eleições de novembro ainda está muito aquém da previsão do TSE, de 700 mil. O prazo de entrega da documentação exigida pela Justiça Eleitoral para a solicitação dos registros pela internet expira às 8h do dia 26 de setembro. Após esse horário, a entrega terá que ser presencial e agendada, exigindo deslocamento ao cartório e os devidos cuidados sanitários.

O agendamento para atendimento presencial será feito pelos meios informados por cada TRE e cartórios eleitorais, e estará disponível das 8h30 às 19h. O atendimento será marcado conforme a ordem de chegada dos pedidos – o interessado não poderá escolher o horário.

Depois de receber os requerimentos, a Justiça Eleitoral valida a documentação e a encaminha à Receita Federal para emitir o CNPJ. Tendo CNPJ e o registro, os candidatos já podem abrir conta corrente da campanha e estão aptos para iniciar a arrecadação de recursos após o dia 26 de setembro.

Leia mais:  Estudantes conhecem laboratórios da Escola Técnica Estadual de Rondonópolis

Nova data

Por causa da pandemia do novo coronavírus (covid-19), a data do primeiro e do segundo turnos das eleições municipais deste ano foram alteradas para os dias 15 e 29 de novembro, respectivamente. A mudança foi feita por meio da aprovação de uma emenda constitucional por deputados e senadores.

Por Karine Melo – Repórter Agência Brasil – Brasília

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana