conecte-se conosco


Esportes

Procon manda Palmeiras retirar rede do setor de visitantes do Allianz Parque

Publicado

Rede do setor de visitantes do Allianz Parque arrow-options
Reprodução / Fluminense

Rede do setor de visitantes do Allianz Parque incomodou torcedores do Fluminense

O Procon esteve presente na partida entre Palmeiras e Fluminense, pelo Campeonato Brasileiro, para verificar as condições de visão do setor de visitantes do Allianz Parque, e determinou que o clube paulista troque a rede que vem sendo usada por algum outro material.

Leia também: Mulher de Luiz Adriano rouba a cena no Allianz Parque, mas leva puxão de orelha

De acordo com o órgão, a rede presente no setor de visitantes do Allianz Parque não bloqueia a visão do jogo, mas atrapalha e impede parcialmente a visão do gramado, o que tem causado inúmeras reclamações de torcedores que visitam o estádio.

Em reunião com o clube, ficou decidido que a rede será substituída por um material mais apropriado. Outra atitude definida pela diretoria palmeirense foi dar um desconto de R$ 20 aos torcedores que comprarem ingressos para o setor de visitantes .

Leia também: Fora de festa do clube, ídolo do Palmeiras detona Alexandre Mattos

Confira a nota do Procon na íntegra

O Procon-SP, vinculado à Secretaria da Justiça e Cidadania, por meio de uma equipe de fiscalização, do diretor executivo, Fernando Capez e do diretor de fiscalização, Carlos César Marera, compareceu ontem (10/9) ao Allianz Parque, estádio do Palmeiras, durante o jogo Palmeiras x Fluminense. O objetivo foi averiguar a rede de proteção da torcida visitante.

Leia mais:  Escândalo na NFL! Companheiro de Tom Brady é pego com cocaína e vai a julgamento

A fiscalização, que esteve no setor numerado correspondente à torcida do Fluminense, pôde verificar que, embora não bloqueie a visão do jogo, a rede atrapalha e impede parcialmente a visualização do gramado. Inclusive, na ocasião, vários torcedores reclamaram.

Em reunião com o representante do Palmeiras, também na noite de ontem, ficou acertado que a rede será substituída por outra de material mais adequado. Além disso, o clube está promovendo um desconto de R$ 20,00 para quem comprar ingressos no referido setor.

Na oportunidade, o Procon-SP também reuniu-se com representantes da Polícia Militar do Estado de São Paulo para discutir a questão.

O Procon-SP seguirá acompanhando a situação e cobrará do Palmeiras a colocação de rede com material que não atrapalhe, ainda que parcialmente, a visão do gramado; na impossibilidade dessa opção, será solicitado a promoção de um desconto maior, que de fato compense financeiramente o desconforto causado.

Leia também: Galvão Bueno diz que foi ameaçado de morte por causa de vídeo falso

Fluminense protesta contra a rede

Último adversário do Palmeiras no Allianz Parque, o Fluminense emitiu uma nota oficial repudiando a utilização da rede de proteção no estádio do Verdão. O Tricolor ressaltou que é fundamental que o material seja retirado e que os preços dos ingressos sejam reduzidos para que haja maior respeito para com o torcedor visitante.

Leia mais:  Copa Santiago: Santos supera Nacional do Uruguai

“O Fluminense Football Club, no exercício da defesa de sua torcida, repudia a instalação de rede de proteção no setor de visitantes do Allianz Parque. 

Eventual solução que não seja a retirada da rede, tal como a aventada redução do valor dos ingressos para visitantes, não resolverá o problema causado, tampouco afastará a descabida presunção de que os torcedores visitantes objetivam atirar objetos na torcida local.

O Fluminense espera que, em respeito aos torcedores de todos os clubes do país, seja revisto este tratamento diferenciado e injustificado entre torcida local e visitante”, diz a nota do clube carioca sobre a rede do Allianz Parque.

Comentários Facebook
publicidade

Esportes

Fórmula 1 cancela GP Brasil este ano em Interlagos

Publicado

A Fórmula 1 cancelou hoje (24) o Grande Prêmio (GP) do Brasil que ocorreria em 15 de novembro. Será a primeira vez, desde 1973, que a corrida não será realizada no país. O anúncio feito nesta sexta-feira (24) por meio de nota oficial da  Fórmula One Management, organizadora do evento. 

Além do GP do Brasil no autódromo de Interlagos, também foram cortadas da temporada deste ano outras três provas: Canadá, Estados Unidos e México. As corridas estavam previstas para acontecer entre outubro e novembro, com exceção do GP do Canadá, que seriam em em junho.

O prefeito da cidade de São Paulo, Bruno Covas, comentou a decisão durante coletiva de imprensa sobre a situação da pandemia do novo coronavírus (covid-19), em São Paulo. Covas disse que a prefeitura vai respeitar a decisão dos organizadores da Fórmula 1. No entanto, ressaltou que a capital paulista, em novembro, estará em situação melhor do que nas cidades onde já ocorreram corridas este ano. Covas afirmou ainda que as tratativas pra renovação do contrato da Fórmula 1 em Interlagos no ano que vem continuam. O contrato termina este ano.

No início deste mês, o chefe da Mercedes, o austríaco Toto Wolff, já havia se pronunciado sobre a inviabilidade de realização do GP no país. Na ocasião, ele revelou o teor da conversa que teve com o diretor executivo da F1, o norte-americano Ross Brown, sobre o risco de realizar o GP no Brasil diante do descontrole da pandemia do novo coronavírus (covid-19) no país.

Leia mais:  Cristiano Ronaldo deixa gorjeta de R$ 87 mil para funcionários de hotel grego

Por meio de mensagem publicada o Twitter, os organizadores comentaram a decisão.

“Com a pandemia da COVID-19 em curso, significa que, infelizmente, não será possível competir no Brasil, EUA, México e Canadá este ano. Esperamos voltar na próxima temporada para as Américas para fazer um show para nossos fãs apaixonados da região.” e ainda completou em nota publicada no site – “Também queremos prestar homenagem aos nossos incríveis parceiros nas Américas e esperamos voltar com eles na próxima temporada, quando mais uma vez conseguirem emocionar milhões de fãs ao redor do mundo.”

Por meio de nota oficial, a  assessoria de comunicação da empresa Interpub, responsável pelo GP Brasil, disse: “Sobre as notícias divulgadas hoje, 24/07/2020, dando conta do cancelamento do GP Brasil de Fórmula 1 e das demais corridas das Américas, comunicamos que não recebemos até o presente momento nenhuma comunicação oficial da Federação Internacional de Automobilismo e, dessa forma, não poderemos nos manifestar”.

A Fórmula 1 deveria iniciar em março, mas teve de ser adiada por causa da explosão de casos de covid-19 pelo mundo. Ao todo, 15 provas já foram afetadas pela insegurança sanitária, sendo que sete delas (Austrália, Mônaco, França, Holanda, Azerbaijão, Cingapura, Japão, Brasil, Canadá, Estados Unidos e México) foram canceladas. Já outras quatro provas acabaram adiadas (Bahrein, Vietnã, China e Espanha).

Leia mais:  Ginasta quebra as duas pernas em competição e se aposenta aos 22 anos; assista

Por outro lado, mais três circuitos foram confirmados para a temporada 2020. Em Nürburgring (GP da Alemanha), acontecerá em 11 de outubro. Já o de Portimão (GP de Portugal) aparece como novidade. Ele foi agendado para 25 de outubro, e será a primeira vez que o Circuito Internacional de Algarve sediará uma corrida de F1. O país não recebia um evento de Campeonato Mundial da categoria desde 1996. Por fim, o de Ímola (GP da Emilia Romagna) está marcado para 1º de novembro, na Itália.

Com o calendário revisado devido à pandemia, os organizadores da Fórmula 1 reiteraram o objetivo de completar o Campeonato Mundial com a disputa de 15 a 18 provas. Inicialmente era previsto 22 circuitos. O encerramento da competição deverá acontecer em dezembro, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos.

Por Rafael Monteiro – Repórter da Rádio Nacional – Rio de Janeiro

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana