conecte-se conosco


Polícia

PRF em MT registra redução nos acidentes e feridos

Publicado

Queda na quantidade de ocorrências nas rodovias federais do Estado foi de 18,78% e na de feridos graves foi de 17%

Estatísticas da PRF (Polícia Rodoviária Federal) apontam que houve redução no número de acidentes e também de feridos em 2019 nas rodovias federais de Mato Grosso.

Em comparação com 2018, a queda na quantidade de ocorrências foi de 18,78%, passando de 2.631 para 2.137. O registro de feridos (2.369 em 2019 contra 2.560 em 2018) diminuiu 7,5%, sendo que o percentual de feridos graves foi menor em 17%.

A fiscalização mais efetiva é apontada como o principal fator para a redução da violência no trânsito. “Trabalhamos muito nas fiscalizações mais direcionadas e em todo o Estado ao mesmo tempo, focadas em alguns veículos como os de transporte de carga e nas infrações que mais causam acidentes e ferimentos como embriaguez e ultrapassagem”, explica o chefe de Operações, Alvino Domingues.

As ações incluem não apenas a repressão às infrações, mas também a conscientização dos condutores, o que reflete na positividade dos números. “As ações educativas são feitas diariamente e também em comandos específicos, entre elas, o Cinema Rodoviário em que os usuários da rodovia são convidados a assistir palestras e vídeos a respeito das condutas que mais ocasionam acidentes no trecho em que estão circulando”, destaca Domingues.

Leia mais:  Casal acusado de manter comércio de entorpecente é preso em Jaciara

No ano passado, mais de 54 mil pessoas foram atingidas pelas ações de educação para o trânsito da PRF em MT.

Um item que teve elevação no Estado é o de mortes que subiu de 227 para 230 (aumento de 1,3%). “Atuamos muito e conseguimos diminuir a quantidade de acidentes com mortes, mas o total de óbitos ainda não caiu. Porém continuaremos focados nisso em 2020”, frisa o policial.

Neocleciana Gonçalves – SECOM PRF MT

Comentários Facebook
publicidade

Polícia

Gefron intensifica barreira para impedir entrada de estrangeiros em Mato Grosso

Publicado

por

O Grupo Especial de Segurança na Fronteira (Gefron-MT) vai reforçar a atuação policial em toda faixa que liga o Brasil com a Bolívia. A medida visa restringir, de forma excepcional, a entrada de estrangeiros em Mato Grosso e evitar a propagação do coronavírus (Covid-19).

Com o empenho da tropa do grupamento e da Polícia Militar (PM-MT), a vigilância será contínua nos postos de fiscalização e por meio de barreiras volantes. A intensificação das ações atende à Portaria 125, de 19 de março deste ano, do Governo Federal.

A medida restritiva é de caráter excepcional e temporária no prazo de 15 dias, podendo ser prorrogado.

No período estão proibidos a entrada de cidadãos da Bolívia, Argentina, Colômbia, República Francesa, Paraguai, Peru, Suriname e Guiana. O trabalho será desenvolvido dentro “Operação Hórus”, do Programa Vigia, do Ministério da Justiça e Segurança Pública

“Vamos aumentar nosso efetivo de policiais atuando na fronteira para cumprir a determinação do Governo Federal. Já desempenhamos um trabalho periódico de enfrentamento aos crimes transfronteiriços e agora vamos intensificar ainda mais”, afirma o comandante do Gefron, tenente-coronel PM, Fábio Ricas.

Leia mais:  Polícia Civil apreende 170 lascas e prende suspeitos por crime ambiental

A base operacional do grupamento fica no município Porto Esperidião. Outros pontos de fiscalização estão distribuídos na região do Matão (no município de Pontes e Lacerda), Vila Cardoso, Avião Caído (em Cáceres), Canil Integrado (Cáceres).

A portaria traz algumas exceções. Fica autorizada a entrada de brasileiro, nato ou naturalizado, imigrante com prévia autorização de residência definitiva em território brasileiro, profissional estrangeiro em missão a serviço de organismo internacional, desde que devidamente identificado, funcionário estrangeiro acreditado junto ao Governo brasileiro.

A restrição de que trata esta portaria não impede o livre tráfego do transporte rodoviário de cargas, na forma da legislação vigente, a execução de ações humanitárias transfronteiriças previamente autorizada pelas autoridades sanitárias locais, o tráfego de residentes de cidades gêmeas com linha de fronteira exclusivamente terrestre.

O descumprimento das medidas disciplinadas nesta portaria implicará em responsabilização civil, administrativa e penal do agente infrator, a deportação imediata e a inabilitação de pedido de refúgio.

Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana