conecte-se conosco


Política

“Prefiro morrer de doença com barriga cheia”, diz prefeito de MT

Publicado

O prefeito de Sapezal Valcir Casagrande (PSL) afirmou, em áudio divulgado em um grupo de comerciantes da cidade, na noite de quarta-feira (25), que prefere morrer por coronavírus, mas alimentado do que passar fome. A veracidade do áudio foi confirmada por sua assessoria. “Mas morrer, todo mundo tem que morrer. Entre morrer de fome e de doença, prefiro morrer de doença com barriga cheia”, disse.

Na manhã desta quinta-feira (26), o prefeito decretou a reabertura de estabelecimentos comerciais, como restaurantes e academias, contanto que haja distanciamento de 1,5 metro entre cada cliente e higienização dos equipamentos. “Não adianta nada nós querermos que as pessoas fiquem em casa e todo mundo morre de doença, morre de fome. Não tem jeito. Não tem como fazer omelete sem quebrar os ovos”, afirmou no áudio.

Casagrande ainda disse que a decisão está alinhada com a última declaração oficial do presidente Jair Bolsonaro, que minimizou os riscos do Covid-19. “Concordo plenamente com Bolsonaro. Ele está certíssimo. Nunca tive dúvida disso. […] Morre muito mais gente de fome na Etiópia e ninguém fala nada. Morre muito mais gente em São Paulo e no Rio por hora do que esse vírus matou esses dias com todo esse barulho que fizeram”, declarou o prefeito.

Leia mais:  AL vai discutir PEC que reduz 1/3 dos senadores da República

Assim como Bolsonaro, Casagrande atribui à imprensa o papel por causar desespero na população com o vírus. “As pessoas que apertam muito a gente por causa do medo, o terror que a grande mídia coloca na população”.

Contudo, Casagrande divide a responsabilidade da flexibilização das medidas de prevenção contra o coronavírus com os comerciantes, que também querem a reabertura dos estabelecimentos. “Se chegar a dar errado, de começar a pandemia no Município, vocês vão ter que bater o pé e ajudar o prefeito porque o prefeito não vai responder sozinho”, alertou.

Por meio de nota, o prefeito reforçou o seu posicionamento dito no áudio divulgado. Para ele, sua fala não minimizou os riscos da pandemia, mas “utilizou de metáforas” para abordar a “necessidade e responsabilidade de cada cidadão garantir seu sustento”.

Ao final, Casagrande ainda afirma que “a mídia tem papel fundamental na democracia brasileira e no levar da infrmação”.

BIANCA FUJIMORI
Midianews

Comentários Facebook
publicidade

Política

Definida as regras para realização das audiências públicas da LDO

Publicado

por

Elas acontecem nos dias 7 e 14 de julho, às 10 horas. Cada uma terá duração de até três horas

Em caráter excepcional e temporário, como forma de prevenção à Covid-19, a Assembleia Legislativa realiza nos dias 7 e 14 de julho, audiências públicas virtuais para debater o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentária – PLDO 503/2020 – que dispõe as diretrizes à elaboração da Lei Orçamentária de 2021.

A primeira audiência pública acontece no dia 7 de julho, às 10 horas, e será conduzida pelo presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Redação, deputado Dilmar Dal Bosco (DEM). O 2º debate será no dia 14 de julho, às 10 horas, e desta vez cabe ao  presidente da Comissão de Fiscalização e Acompanhamento da Execução Orçamentária, deputados Romoaldo Júnior (MDB), conduzi-la. Cada uma terá duração de até três horas.

Para isso, a Mesa Diretora publicou o Ato 19/2020 normatizando de como serão realizadas as duas audiências públicas e o recebimento prévio por e-mail das sugestões da população e da sociedade civil organizada, que poderão ser transformadas em emendas ao PLDO.

Leia mais:  AL vai discutir PEC que reduz 1/3 dos senadores da República

De acordo com o Ato, as audiências públicas ocorrerão por meio da plataforma digital (https://zoom.us/) ou equivalente, e serão conduzidas pelos presidentes das respectivas Comissões Permanentes. As audiências virtuais serão transmitidas da sala das Comissões Deputada Sarita Baracat, 202.

Para as duas audiências públicas, o secretário de Estado de Fazenda, Rogério Gallo, ou o seu representante, fará a apresentação do PLDO-2020 deforma virtual. Para a participação no debate, a Assembleia Legislativa estendeu convites aos representantes do Poder Judiciário, Ministério Público do Estado, Tribunal de Contas do Estado e da Defensoria Pública.

O Ato autoriza ainda a participação de representantes da sociedade civil organizada e da população na reunião por meio da plataforma digital, sendo facultado o ingresso simultâneo de até 20 inscritos por audiência. O critério para a efetivação da inscrição é a cronologia das inscrições, que podem ser feitas pelo e-mail: [email protected].

Para a realização da inscrição pelo e-mail: [email protected], os interessados devem fazê-lo com antecedência de três dias de cada audiência pública. Os interessados devem informar a instituição que representa, o nome completo, e-mail e o contato telefônico.

Leia mais:  Augusto Aras participa de reunião de líderes do Senado

Durante a exposição do PLDO-2020, o secretário de Fazenda terá seu tempo limitado em até 30 minutos. O deputado relator da proposta tem o tempo garantido em até cinco minutos. Já os outros membros das Comissões Permanentes (CCJR e CFAEO) têm até três minutos, limitando tempo de três minutos às demais autoridades e aos representantes da sociedade. O tempo não será prorrogado.

As audiências públicas serão transmitidas ao vivo pela TV/AL (Canal 30.1), pela Rádio Assembleia FM 89.5, pelo Facebook, pelo canal do Youtube (transmissão ao vivo TVALMT), pelo site www.al.mt.gov.br no (link: TVAL ao Vivo). Será oferecida aos cidadãos a possibilidade de participação e apresentação de suas sugestões de forma virtual pela rede mundial de computadores endereço eletrônico: [email protected].

A medida adotada pela Assembleia Legislativa atende a orientação técnica nº 04/2020 elaborada no âmbito do Grupo de Trabalho Covid-19, instituído pela Portaria 046/2020 do Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT).

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana