conecte-se conosco


Educação

Prefeitura disponibiliza mais de 6 mil vagas para novos alunos de 04 a 14 anos

Publicado

As vagas são para as unidades de Educação Básica da rede pública municipal de Cuiabá

As matrículas para novos alunos poderão ser feitas a partir desta segunda-feira (7) até a próxima quinta-feira (10), por meio do portal Matrícula Web ou no link disponível no site da Prefeitura de Cuiabá. Mais de 6 mil vagas estarão disponíveis para as 81 Escolas Municipais de Educação Básica (EMEBs), localizadas nas quatro regionais da capital, além das escolas do campo.

O secretário de Educação de Cuiabá, Alex Vieira Passos disse que um número tão significativo de vagas é resultado do trabalho de gestão que vem sendo realizado pela Secretaria e também a revitalização de unidades educacionais. “No último ano, trabalhamos fortemente na gestão das vagas na rede pública municipal de Ensino e na revitalização de unidades, cumprindo as determinações do prefeito Emanuel Pinheiro, de avançarmos na qualidade dos serviços prestados à população, na melhoria das estruturas físicas das nossas unidades educacionais e na modernização dos processos administrativos e de gestão. Em 2019 vamos avançar ainda mais com a entrega de dois novos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs), e a construção e reconstrução total de novas unidades, aumentando o número de vagas nos anos iniciais, onde a demanda é bastante forte”, disse ele.

Leia mais:  Divulgada relação dos assessores pedagógicos designados

As matrículas para alunos novos nas unidades de Educação Básica, Pré-Escola/Educação Infantil e Ensino Fundamental, para as crianças de 04 a 14 anos, serão realizadas da seguinte forma: nos  dias 07 e 08 de janeiro, para as unidades educacionais  localizadas nas Regionais Norte e Leste e nos dias 09 e 10 de janeiro de 2019, para as Regionais Sul e Oeste.

No portal Matrícula Web os pais ou responsáveis encontrarão dois formulários, um deles o cadastro de informações, que deve ser preenchido caso haja mudanças de endereço, telefone ou de outras informações que precisarem ser atualizadas e o de matrícula.

A secretária-adjunta de Educação, Edilene Machado explicou que para as EMEBs, as matrículas acontecem de forma diferente. “Enquanto para creches e CMEIs os pais ou responsáveis fizeram uma solicitação, agora eles estarão realizando efetivamente a matrícula. Após a realização da matrícula, os pais ou responsáveis têm 48 horas para levar os documentos solicitados no edital, na unidade educacional”, disse Edilene Machado

É importante lembrar também que as matrículas na rede pública municipal de Cuiabá obedecem a critérios, descritos em Portaria do Executivo municipal que define a prioridade das vagas para alunos com deficiência, beneficiários do programa Bolsa Família, renda familiar e a proximidade da escola.

Sobre as matrículas nas unidades de creche, encerradas em dezembro, as listagens dos novos alunos estarão disponíveis no site da Prefeitura de Cuiabá e nas unidades de ensino, a partir do dia 22 de janeiro.

Leia mais:  Ministra suspende decisões judiciais que determinaram operações em universidades

Uma outra informação importante para os pais e responsáveis é que a Secretaria de Educação de Cuiabá, a partir deste ano, não fará mais atendimento presencial. Todo o atendimento será realizado por meio do Portal Matrícula Web ou pelo telefone 0800 6462003.

Rede municipal

A rede pública municipal de Cuiabá é composta por 51 creches, 20 Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs), dois Centros Emergenciais de Educação Infantil (CEEI), 81 Escolas Municipais de Educação Básica (EMEBs), e oito escolas do campo. Essas unidades de ensino atendem a 51.163 estudantes de 0 a 14 anos, além de alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Em 2019 a Prefeitura de Cuiabá vai entregar dois novos CMEIs nas regiões do CPA III e Recanto do Sol. Cada uma das novas unidades terá capacidade para atender 240 crianças com idades de 0 a 5 anos, sendo 140 dessas vagas para a faixa etária de 0 a 3 anos e 11 meses.

Outras seis unidades de ensino começaram as obras no último mês de dezembro. Até junho de 2020, a rede contará com mais mil novas vagas.

Comentários Facebook
publicidade

Educação

Fantástico mostra “escolas de latas” e salas em baias de cavalo em MT

Publicado

por

Uma reportagem do Fantástico (Rede Globo), exibida neste domingo (03), mostrou as “escolas de lata” no Estado de Mato Grosso. São salas de aulas em estruturas de  contêineres construídas sem ventilação e às vezes até sem energia elétrica.

A reportagem mostra que, a princípio, seriam estruturas provisórias e atualmente estão como permanentes. Além disso, as imagens mostraram que sem opção, alunos improvisaram a baia de cavalo como sala de aula.

A primeira denúncia apresentada na reportagem trata-se da Escola José Pedro Gonçalves, localizada no município de Rosário Oeste (120 km Cuiabá). Também destaca que é uma comunidade rural no interior e a escola tem uma estrutura de metal que reflete no “sol escaldante” da região.

Até 2016, os alunos estudavam em prédio de alvenaria em dois períodos. Para auxiliar a unidade, o Governo do Estado alugou o contêiner e resolveu colocar como sala de aula. Segundo dados exibidos na reportagem, com a falta de ventilação, estrutura básica  e de saneamento, em  2018, 1/3 dos alunos desta escola abandonaram os estudos.

O menino Laurito disse, ao ser entrevistado, que falta motivação para ir à sala de aula nos contêineres. O menino mostra para equipe do Fantástico a estrutura sem lâmpada, sem ar condicionado e as condições insalubres que acaba convivendo.

“Eu não gosto muito de lá não. Lá nos contêineres é quase impossível sobreviver, é muito quente, tipo um forno gigante”, lamentou o menino.

Leia mais:  Seduc realiza posse dos assessores pedagógicos nesta quinta-feira

A escola não tem refeitório, nem biblioteca, não tem banheiro com estrutura adequada. As crianças fazem necessidade no mato.

Para o médico pediatra, Arlan Azevedo, todo este cenário contribui para o mal desempenho do aluno.  “Essas crianças que ficam nessas condições insalubres por tempo indeterminado teoricamente vai ter uma desempenho escolar diminuída, então isso tem uma marca que vai ficar para o resto da vida dela”, descreveu o médico.

Outro lugar em que a “escola de lata” chegou foi no Pantanal. Porém, como as salas não correspondem à fiação elétrica do local, os contêineres estão parados, sem utilidade. Na unidade, os alunos estudam improvisados em um local que abrigava uma “baia de cavalo”.

Segundo a reportagem, o Governo do Estado alugou 110 contêineres para nove escolas da capital e do interior. Em Cuiabá, na escola Estadual professora  Hermelinda de Figueiredo os módulos de metal são usados para sala de aula para 160 alunos. Essa instalação foi feita após uma tempestade que destelhou metade da escola em outubro de 2017.  Na época, a previsão era que a reforma duraria seis meses,  mas quase um ano e meio depois, os buracos no teto ainda estão lá.

Leia mais:  Divulgada relação dos assessores pedagógicos designados

A empresa dos contêineres alega que o Governo não faz o pagamento desde julho do ano passado, por isso não faz nenhum tipo de manutenção. Sendo assim, o resultado é fiação exposta, ares condicionados caindo aos pedaços e chuvas dentro da sala de aula. A denúncia também está direcionada para a estrutura dos contêineres, com as paredes cobertas de PVC, tipo de plástico sem isolamento térmico. O teto tem placas de isopor, material considerado altamente inflamável.

Nenhum dos contêineres instalados nas escolas em Mato Grosso foi vistoriado pelo Corpo de Bombeiros.

O coronel da Reserva do Corpo de Bombeiros, Roger Martini, avisa do perigo e da falta de dispositivo de segurança nas imagens. “A gente vê vários riscos de insegurança ali, com relação a incêndio, a gente materiais combustíveis de toda ordem. A gente não vê dispositivo de segurança”.

A secretária de Estado de Educação, Marioneide  Kliemaschewsk, informou que vai acionar os bombeiros para fazer a vistoria, e pedir para que sejam adotadas medidas para sanar as dificuldades nos contêineres. “Essa é uma ação que podemos adotar para garantir a segurança das crianças, estaremos encaminhando uma equipe técnica para averiguar essas situações e verifica dentro das possibilidades atual da secretaria que medidas paliativas nós podemos tomar”, assinala.

Por: folhamax

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana