conecte-se conosco


Cidades

Prefeito Emanuel Pinheiro visita EMEB Santa Cecília para acompanhar o Projeto Garatuja

Publicado

O prefeito Emanuel Pinheiro visitou na manhã desta quarta-feira (14) a Escola Municipal de Educação Básica (EMEB) Santa Cecilia, localizada no bairro Pico do Amor, região Sul da capital. Pinheiro foi acompanhar o desenvolvimento do Projeto Garatuja, implementado em 60 unidades de ensino de Cuiabá. Na escola, Emanuel Pinheiro conversou com a equipe gestora e professores, e ganhou um livro com textos produzidos pelas crianças, mostrando os primeiros resultados da iniciativa, que incentiva as várias formas de expressões e linguagens no processo de alfabetização.

Na unidade escolar, 100 dos 230 alunos, na faixa etária dos 4 aos 6 anos já estão produzindo seus primeiros textos e poesias.

“O projeto Garatuja nasceu na minha gestão e é uma verdadeira revolução no processo ensino aprendizagem em que as nossas crianças da Educação Infantil começam a ter o hábito com a produção de textos a partir de desenhos e manifestações espontâneas. O projeto é uma grande ferramenta para uma educação pública de qualidade, estimulando o desenvolvimento humano, a criatividade e a aprendizagem. E o meu papel como gestor é esse, estimular, valorizar e dar as ferramentas e os instrumentos necessários, dar tudo do bom e do melhor para as nossas crianças. A execução fica com os profissionais da Educação da nossa rede, que são maravilhosos e sabem muito bem como fazer”, salientou o prefeito Emanuel Pinheiro.

Leia mais:  Servidores da Secretaria de Educação participam de curso sobre Atendimento na Gestão Pública

Na última sexta-feira (9), os pais puderam ver de perto esses resultados. Inserido na Política Municipal de Educação – Escola Cuiabana: cultura, tempos de vida, direitos de aprendizagem e inclusão, o projeto valoriza as manifestações infantis e a cultura cuiabana, com música, poesia, dança de roda, palhaços e brincadeiras, e tem como principal objetivo possibilitar aos alunos vivências literárias e de escrita espontâneas, trazendo significado e compreensão do que é a cultura retratada, explicou a coordenadora de Organização Curricular, da Diretoria de Ensino, Eliane Quinhone.

“Com essa experiência, a escola está conseguindo dar um novo significado a esse processo, proporcionando um espaço destinado à escrita espontânea, fazendo uma ponte para que a criança possa aliar a cultura cuiabana à escrita, o que já é um primeiro momento da alfabetização”, ressaltou Eliane Quinhone. “Nessa fase do aprendizado, a criança escreve apenas palavras ou frases. A partir do projeto, a criança começa a desenvolver textos com sentido, começo, meio e fim. Muitas unidades da rede pública municipal de ensino já estão conseguindo esse feito no primeiro ano, antecipando uma meta que é do segundo ano. Isso quer dizer que as nossas turmas estão à frente, é um marco, e vamos melhorar cada vez mais”, destacou.

Leia mais:  Procon Municipal orienta sobre os cuidados nas compras do Dia dos Pais

A professora Maria Aparecida Ribeiro Martini, diretora da EMEB Santa Cecília também falou sobre a experiência. “Com o Projeto Garatuja a escrita é apresentada de forma lúdica e o aluno se sente motivado. Então, porque não criar dentro do espaço escolar, um local onde as crianças possam se exercitar espontaneamente, a partir de um direcionamento pedagógico. Além disso, a proposta insere as crianças nos gêneros textuais desde cedo, fazendo com que a escrita seja desenvolvida de forma muito mais consistente”, avaliou Maria Aparecida.

O sucesso do projeto Garatuja se deve também à participação de toda a comunidade escolar. A ação direta das famílias além de reforçar os vínculos entre os pais, mães e filhos, incentivam as crianças. “Esse projeto veio para somar, no desenvolvimento das crianças, que começam nessa fase, quando ela está aprendendo a ler e a escrever. Acredito que é um grande avanço”, disse Paula Gonçalves, mãe de Joseph de 5 anos, que já está escrevendo. Paula foi aluna na EMEB Santa Cecilia e comemora as vitórias do filho.  

Comentários Facebook
publicidade

Cidades

Ano bissexto, família de SP tem dois filhos que nasceram em 29 de fevereiro

Publicado

por

Por Márcio Gomes

Uma família de São Paulo tem dois filhos que nasceram em 29 de fevereiro, e não são gêmeos. Neste ano de 2020, que é ano bissexto e fevereiro tem 29 dias, os dois poderão comemorar aniversário na data certa. A chance de alguém nascer no 29 de fevereiro é de uma em quase 1.500.

Os irmãos Leonardo, que fará 12 anos no sábado (29), e João Pedro, que fará 4, nasceram ambos no dia 29, por coincidência, diz a mãe.

Tânia Volpi, mãe das crianças, diz que todo ano é uma confusão e que ninguém sabe se parabeniza pelo aniversário no dia 28 de fevereiro ou em 1º de março. “O Leonardo nasceu porque a médica marcou e o João Pedro porque o plano liberou só nessa data”, explica a mãe.

Leia mais:  Prefeitura de Cuiabá publica retificação em edital de convocação

“Eles ficam em dúvida. Que dia que eu nasci realmente? Porque um ano é até o dia 28, outro ano até 29 então fica confuso realmente”, diz ela.

Em 2016, que também foi ano bissexto, foram registrados 12,5 mil nascimentos no dia 29 de fevereiro em todo país – 3.600 foram no estado de São Paulo.

A data enfrenta rejeição da maioria da população já que, como só ocorre a cada 4 anos, não facilita que seja lembrada.

O ano comum não tem 365 dias. Tem 365 dias e 6 horas. Essa pequena diferença de 6 horas, se fosse somada ao longo dos séculos daria uma tremenda confusão ao calendário. Por isso, a compensação que ocorre no ano bissexto. De 4 em 4 anos, essas 6 horas completam 24 horas e esse dia a mais é encaixado no mês de fevereiro.

Família tem dois filhos com aniversários no dia 29 de fevereiro — Foto: TV Globo/reproduçãoFamília tem dois filhos com aniversários no dia 29 de fevereiro — Foto: TV Globo/reprodução

Família tem dois filhos com aniversários no dia 29 de fevereiro — Foto: TV Globo/reprodução

A ligações para os cartórios, sobre o 29, aumentam neste mês. Muita gente querendo saber se tem problema nascer, se casar em um dia que só existe de quatro em quatro anos.

Leia mais:  Nova Miss Mato Grosso participa de ações sociais com a primeira-dama de Cuiabá

Segundo a Associação de Cartórios de São Paulo, os pais não podem trocar a data do registro. Desde 1992, uma lei determina que o médico que fez o parto preencha a declaração de nascido vivo. Por isso, se a criança nascer no dia 29 de fevereiro, é essa a data que vai pra certidão de nascimento.

O nascimento no dia 29 não traz nenhum problema prático na vida da pessoa já que, segundo os cartórios, é considerada a data de 1º de março para que a criança que nasceu no dia 29 de fevereiro complete 18 anos, em caso de atingir a maioridade em um ano que não seja bissexto.

Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana