conecte-se conosco


Polícia

Polícia Civil prende ex-marido por planejar roubo contra ex-mulher

Publicado

 

Assessoria PJC|MT

Um homem apontado como mandante do roubo cometido contra sua a ex-mulher, foi preso pela Polícia Judiciária Civil, na sexta-feira (14.06) no município de Rondonópolis (212 km ao Sul), durante ação da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf), para cumprimento de mandado de prisão preventiva decretado pela Comarca local.

O ex-marido, J.B.S., teve a ordem judicial de prisão expedida pela Justiça, após diligências da Derf de Rondonópolis para elucidar supostamente dois assaltos ocorridos em dias consecutivos. A primeira ocorrência no sábado (20.05) foi praticada contra a ex- esposa do acusado. Já o segundo roubo ocorreu no domingo (21.05).

No entanto as investigações apuraram que o marido foi quem planejou o roubo da ex- mulher, bem com no dia seguinte simulou ter sido vítima de um roubo mediante restrição de sua liberdade. Ambos episódios foram articulados pelo investigado que tinha como intensão reatar o relacionamento com sua ex-mulher.

O roubo no sábado (20) foi praticado por dois indivíduos armados, os quais entraram na casa da ex-mulher e subtraíram toda mercadoria (joias e semijóias) que a vítima utilizava para trabalhar. Na ocasião os suspeitos levaram todo material e um veículo da vítima. O automóvel foi no mesmo dia  queimado pelos criminosos. 

Leia mais:  PRF prende motoristas com armas em rodovias

No dia seguinte, J.B.S. registrou um boletim de ocorrência narrando ter sido vítima de outro roubo e que possivelmente seria os mesmos suspeitos que teriam roubado sua ex- mulher. 

Porém, os policiais civis descobriram que o suspeito foi mandante do roubo contra sua ex- mulher, além de falsear o outro roubo que alega ter sido vítima. Também foi apurado que a vítima vivia em uma situação de violência domestica e familiar. Como eles estavam separados, o ex- companheiro planejou o roubo, como forma de acabar com o sustento financeiro da vítima, assim ela sem opção reataria o relacionamento.

Conforme o delegado Santiago Rozeno Sanches da Silva, alguns fatos chamaram atenção da polícia. No dia roubo da vítima mulher, J.B.S. estava na residencia no momento do assalto, pois estava deixando os filhos na casa, quando todos foram abordados. Mas nada dele foi levado. Ele estava em um caminhonete, com dinheiro e celular. 

“Outro ponto foi que os assaltantes atearam fogo no carro, situação nada comum. O terceiro ponto que a Polícia Civil identificou os autores do roubo e eles confirmaram terem sido contratados para praticar o roubo a mandado do ex-marido”, destacou o delegado.

Leia mais:  Cinco mulheres são detidas tentando entrar com drogas e aparelho celulares na PCE

Diante dos fatos, a Polícia Civil representou pelo mandado de prisão preventiva do acusado, que acabou sendo preso na sexta-feira (14), sendo posteriormente colocado à disposição da Justiça.

 

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
publicidade

Polícia

Polícia Civil prende autor da morte da companheira em 2018 na Capital

Publicado

por

Assessoria | PJC-MT

O suspeito de assassinar a jovem Vanessa Tito Poquiviqui, 21, ocorrido em 31  de janeiro de 2018, no bairro Três Barras, em Cuiabá, foi preso pela Polícia Civil, na região do Coxipó do Ouro, na capital, na manhã desta quinta-feira (19.09). A vítima  não tinha nenhum registro de violência praticada contra ela anteriormente. 

Maycon  Junior da Silva Dantas, 32, estava com mandado de prisão preventiva, pelo  crime de feminicídio da companheira, expedido pela Segunda Vara de Violência Doméstica e Familiar de Cuiabá.

O suspeito era o último autor de feminicídio do ano de 2018, que estava foragido. No ano passado, em Cuiabá, foram registrados 11 mortes de mulheres, dos quais sete foram enquadrados na lei do feminicídio (13.104/2015), em inquéritos conduzidos pela DHPP.

Em Várzea Grande, foram 10 vitimas femininas mortas, das quais 4 foram tipificadas como feminicídios. Os dados são da Coordenadoria de Estatística e Análise Criminal, da Secretaria de Estado de Segurança Pública, no período de janeiro a dezembro de 2018.

Leia mais:  Polícia Civil cumpre 5 mandados em operação de combate a criminalidade em Nortelândia e Arenápolis

O preso foi entregue na Polinter que deve apresentá-lo em audiência de custódia, nesta quinta-feira (19). O inquérito desse crime foi concluído pela DHPP.

A morte

Na ocasião, a vítima foi localizada pela mãe do suspeito, que acionou a Polícia. No local, equipe de plantão da DHPP encontrou a jovem na cama do quarto do casal. O corpo apresentava lesões no rosto, um corte de faca no supercílio e outro corte superficial no queixo. A vítima estava com a blusa levantada, seios amostra e só de calcinha.

A vítima morava há cerca de 1 mês na casa dos pais do namorado, Maikon Junior da Silva Dantas, à época com 30 anos. O suspeito tem quatro passagens, sendo três por violência doméstica, com vítimas diferentes, mas nenhuma contra a jovem morta. A primeira foi registrada em 2009, por lesão corporal, com procedimento realizado pela Delegacia da Mulher de Cuiabá, tendo sido condenado nesse processo e, posteriormente, beneficiado com uso de tornozeleira.

Em 2011 respondeu procedimento na 2ª Delegacia de Polícia do Carumbé, por porte ilegal de arma de fogo de uso permitido, Lei 10826/03.

Leia mais:  Polícia Civil prende idoso acusado de estuprar criança de 11 anos em Cáceres

A terceira incidência criminal tramitou pela Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica), no crime de lesão corporal e injúria contra uma menor de idade.

A quarta passagem também está inserida na violência doméstica, no crime de lesão corporal. A autuação ocorreu no dia 5 de outubro de 2017, em inquérito na Delegacia da Mulher de Cuiabá.

Legislação

Os assassinatos de mulheres marcados pela condição de gênero passaram a ser enquadrados com a Lei 13.104/2015, que atribuiu punição especial pelo fato do homicídio ser praticado contra mulheres pela condição do sexo feminino. Foi acrescentado o inciso VI (Contra a mulher por razões da condição de sexo feminino) ao  § 2º do art. 121 do Código Penal. No § 2º- considera-se que há “razões de condição de sexo feminino” quando o crime envolve: I – violência doméstica e familiar; II – menosprezo ou discriminação à condição de mulher.

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana