conecte-se conosco


Polícia

Polícia Civil prende 6 ladrões de banco que sequestraram família de gerente em Rondonópolis

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Uma operação da Polícia Judiciária Civil, desencadeada após investigações da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Rondonópolis, com apoio da  Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), cumpriu na manhã desta quinta-feira (08), seis mandados de prisão temporária (30 dias) em desfavor de um grupo criminoso investigado em crime de extorsão mediante sequestro qualificado, praticado contra a família do gerente de uma agência bancária da cidade de Rondonópolis (212 km ao Sul). Os criminosos roubaram R$ 372 mil do cofre do banco.

A operação denominada “Safe Box” (em alusão ao cofre do banco) cumpriu cinco mandados  em Cuiabá, levando à prisão: Donizete Oliveira de Paula, Guilherme Domingos Ferri e Hudson Conceição Mendes. Os suspeitos  Jhonatha Willian Dueti Dourado e Romário Alves Pinheiro já estavam presos e  tiveram as ordens de prisão cumpridas dentro da Penitenciária Central do Estado, na capital.  Em Rondonópolis foi preso Gabriel Agnelo Wallauer dos Santos.

Todos tiveram mandados de prisão temporária e busca e apreensão domiciliar decretados pela juíza da 2° Vara Criminal de Rondonópolis. Os suspeitos vão responder por crime de extorsão mediante sequestro qualificado com  pena de 12 a 20 anos de prisão.

Leia mais:  Quatro pessoas são presas pela Polícia Civil em boca de fumo no bairro Lixeira na Capital

O crime ocorreu no dia 2 de maio de 2018, por volta das 19h00, quando três criminosos portando armas de fogo (pistolas) invadiram a residência do vizinho do gerente do Banco Bradesco, mantendo-o em cárcere privado, tendo como finalidade entrar ar na casa do gerente da agência bancária. No dia seguinte, por volta das 04h30, mais três pessoas, portando armas de fogo, se juntaram ao grupo e invadiram a casa do gerente do banco. No imóvel estavam esposa e os filhos, um de 6 anos e outro de 4 meses.

O vizinho, a esposa e filhos da vítima foram levados para um cativeiro, permanecendo na residência apenas o gerente do Banco Bradesco. Foi exigido como garantia para libertar seus filhos, esposa e vizinho, que retirasse todo o dinheiro do cofre da agência bancária e entregasse aos criminosos.

Os autores forneceram um telefone celular à vítima para manterem contato e monitorá-la. Por volta das 08h, a vítima foi até a agência bancária, retirou a quantia de R$ 372 mil do cofre, colocou em um saco de lixo e entregou aos criminosos. Em seguida as demais vítimas foram liberadas do cativeiro e deixadas em local ermo da cidade

Nas investigações da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf), com apoio da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), os policiais identificaram o envolvimento de seis pessoas, sendo cinco homens oriundos de Cuiabá e um de Rondonópolis.

Leia mais:  Operação integrada entre Polícia Civil, PF e PRF apreende tabletes de cocaína na BR 070

As investigações apontam que o alvo Gabriel Agnelo Wallauer dos Santos foi o responsável por ceder à residência usada como cativeiro. O local foi reconhecido pelas vítimas e também descoberto um comprovante da locação da residência feita por ele.

Os demais envolvidos, todos da cidade de Cuiabá, são: Donizete Oliveira de Paula, Romário Alves Pinheiro, Guilherme Domingos Ferri, Jhonatha William Dueti Dourado e Hudson Conceição Mendes.

Os suspeitos Donizete e Romário foram reconhecidos fotograficamente por uma das vítimas. Também foram identificados dois veículos utilizados no crime, sendo  Gol branco, em nome do suspeito Hudson, que foi utilizado para recolher o dinheiro, e um veículo Sandero, cor cinza, em nome do pais do alvo Guilherme Ferri, que foi usado para transportar as vítimas do sequestro.

As evidências contra os suspeitos estão em relatórios, termos de depoimentos e demais documentos produzidos dentro dos autos. Na operação de hoje foram apreendidos veículos (um usado no crime e outro comprado com o dinheiro roubado) e outros produtos ainda não contabilizados.

 

Comentários Facebook
publicidade

Polícia

Corrida De Cara Limpa Contra as Drogas leva centenas de corredores às ruas neste domingo

Publicado

por

 

 

A 8ª edição da Corrida De Cara Limpa Contra as Drogas marcou as comemorações dos 10 anos do programa social da Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso. A corrida de rua é uma das atividades desenvolvidas pelo projeto, executado pela Coordenadoria de Polícia Comunitária da instituição.

Com um total de 1000 inscritos, 735 pessoas compareceram na manhã deste domingo (18.11) e correram com monitoramento de chip. Outras dezenas de pessoas participaram  por fora, na chamada “pipoca”. A largada mista aconteceu às 7h, em frente ao Setor de Vistoria do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), na capital.

A gerente do programa De Cara Limpa Contra as Drogas, investigadora Laura Léa Correa da Costa, disse que em 10 anos do projeto (desenvolvido em escolas municipais, estaduais e particulares, igrejas e outros segmentos da sociedade) e oito edições da corrida de rua, mais adeptos o evento ganha a cada ano.

“Essa corrida é uma forma de sensibilizar, que o esporte também pode influenciar, para que o jovem fuja das drogas.  Temos vários atletas aqui hoje e a cada ano ganhamos mais adeptos. Esperamos em 2019 conseguir ampliar o número de participantes”, disse.

Foto: Lenine Martins-Sesp-MT

O evento reuniu vários policiais civis (delegados, escrivães e investigadores), alguns que correram e outros que tiveram papel fundamental na organização e segurança do evento, além do apoio de outras instituições com a Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob), o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT), Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Unimed, Sesc, Assembleia Legislativa, os sindicatos dos Investigadores (Sinpol), dos Delegados (Sindepo/Amdepol) e Escrivães (Sindepojuc), MTU, Prefeitura de Cuiabá, e parceiros da corrida.

O delegado Caio Albuquerque disse que em seis anos de Polícia Judiciária Civil, esteve presente quase todos aos anos na corrida “É incentivo ao esporte e a união de força”, disse o delegado, atualmente adjunto da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Veículos Automotores.

Leia mais:  Quatro pessoas são presas pela Polícia Civil em boca de fumo no bairro Lixeira na Capital

O programa De Cara Limpa Contra as Drogas nasceu na cidade de Campo Novo dos Parecis e foi trazido para dentro da Delegacia Especializada de Entorpecentes (DRE), que coordenava todas as atividades antes de ser repassado a Polícia Comunitária da PJC.

O delegado titular da DRE, Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, destacou a importância de investir mais na prevenção. “A política nacional vem forte nesse sentido da prevenção. Estamos iniciando e precisamos investir mais. A tendência é aumentar nos próximos anos a difusão dos projetos sociais que a Polícia Civil executa, via a Coordenadoria de Polícia Comunitária. Essa corrida trabalha nesse sentido, de prevenir o tráfico de entorpecentes e conscientizar a sociedade sobre os malefícios que as drogas trazem aos jovens, na saúde, e suas conseqüências no aumento da criminalidade”, disse.

Foto: Lenine Martins-Sesp-MT

Na categoria policial, o investigador de Barra do Garças, Eládio Crisostomo de Oliveira, 40 anos, se mantém invicto campeão há sete anos consecutivos.  “Quero mais uma vez parabenizar a organização da corrida, dessa oitava edição e pela sétima vez consecutiva sou campeão. Isso é fruto de muito trabalho e dedicação. O esporte para atividade policial é essencial, tanto para aliviar o estresse quanto fisicamente”, afirmou.

Pela categoria geral, o vendedor Mayk Caique Santana participou pela primeira vez da Corrida De Cara Limpa Contra as Drogas e já garantiu o primeiro lugar no pódio. “Tenho mais ou menos um ano e sete meses de corrida, treinando para essa competição. A boa organização e o nome do evento me atraiu bastante”, disse.

O secretário de Segurança Público, Gustavo Garcia, como em anos anteriores fez o percurso de 5 quilômetros da corrida e parabenizou a organização do evento. “É importante essa corrida da Polícia Judiciária Civil, une nossos servidores, une a sociedade com a Polícia Civil, dando maior força as nossas ações preventivas e também repressivas. A organização está de parabéns por esse evento”, parabenizou.

Leia mais:  Autor de roubo de motocicleta é preso e alega que crime foi cometido por

A delegada geral adjunta da PJC, Sílvia Pauluzi, também fez o percurso de 5 km e ressaltou a integração da corrida com a sociedade. “Precisamos que prevenção e educação caminhem juntos, para que os jovens não sejam levados para as drogas e encontrem forças para sair delas”, disse.

A classificação nominal de todos os participantes estão no site Morro MT, via o link:https://www.morro-mt.com.br/resultados/8a-corrida-de-cara-limpa-contra-as-drogas-91  

Jogos Internos

O investigador e professor de educação física, Claudinei Farina, lembrou que a Corrida De Cara Limpa Contra as Drogas abre a 8ª Edição dos Jogos Internos da Policia Judiciária, que segue durante toda a semana com a programação de várias disputas, no masculino e feminino, para os jogos de: Futsal, voleibol, ciclismo, basquetebol, futsal society, atletismo, tênis de mesa, xadrez, bozó, voley de areia, natação e tiro policial. São mais de 2 mil policiais com equipes inscritas.

“Essa corrida abre oficialmente o calendário dos jogos internos da Polícia Civil, que neste ano também está na oitava edição. Serão várias modalidades esportivas, para os policiais, tanto da capital quanto do interior, que vêm com equipes montadas para participarem e também confraternizar.Os jogos começam nessa segunda-feira (19) com o Futsal,  feminino (07h30 às 12h) e masculino (13h às 18h), no Ginásio Dom Aquino. O encerramento será na manhã de  sábado (24) com o tiro policial, realizado no stand de tiros da Academia de Polícia.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana