conecte-se conosco


Polícia

Polícia Civil cumpre prisão de dupla envolvida em roubos na região metropolitana

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Mais dois indivíduos foragidos da Justiça por cometerem roubos na região metropolitana foram presos pela Polícia Judiciária Civil, na quinta-feira (08.08), em ação da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Cuiabá.

Mayk Sampaio da Cruz e Endy Monan Cezário de Oliveira (esse portador de tornozeleira eletrônica, mas que a deixava sem bateria para cometer crimes), estavam com os mandados de prisão temporária, decretados pela Justiça pelos crimes de roubo majorado e corrupção de menores.

Os suspeitos foram identificados durante diligências para apurar um roubo ocorrido no dia 28 de junho deste ano, em uma propriedade rural localizada no distrito do Sucuri. Na oportunidade, cinco criminosos invadiram a sede, onde renderam um senhor e sua família, invadindo posteriormente a casa do caseiro.

As vítimas foram surpreendidas pelas indivíduos extremamente agressivos, os quais trancaram as mulheres em um dos quartos. Na fuga, os criminosos levaram o senhor, que somente foi libertado e abandonado nas proximidades da indústria de cervejas Ambev. Da propriedade rural, foram subtraídos diversos produtos, além do veículo da vítima.

Leia mais:  Polícia Civil autua casal por tráfico de entorpecentes

Logo após o assalto, a Polícia Militar visualizou o veículo da vítima e determinou que parassem. Todavia, os criminosos empreenderam fuga, inclusive, trocaram tiros com a polícia, porém acabaram batendo o veículo.

Na ocasião, alguns ocupantes do veículo conseguiram fugir correndo, sendo apenas um adolescente (G.L.S.X.) apreendido. Entrevistado, o infrator relevou a identidade dos comparças envolvidos no caso. 

Conforme apurado pela Derf-Cuiabá, o roubo foi cometido pelo menor G.L.S.X., na companhia de Mayk Sampaio da Cruz, Endy Monan Cezário de Oliveira e outros dois adolescentes. O suspeito Mayk foi prontamente reconhecido fotograficamente pelas vítimas.

As investigações apontam que Endy Monan seria o responsável por dirigir o veículo até o local do crime e prestar auxílio do lado externo, até porque ele está de tornozeleira eletrônica e poderia ser identificado pelas vítimas. No momento do crime, a tornozeleira de Endy Monan estava desligada, evidenciando que ele constantemente deixa o equipamento eletrônico de monitoramento desligado.

Diante das indícios, Mayk Sampaio da Cruz, Endy Monan Cezário de Oliveira, tiveram os mandados de prisão temporária, decretados pelo Poder Judiciário e cumpridos pelos policiais civis da Derf-Cuiabá. Em interrogatório os dois permaneceram a todo tempo em silêncio.

Leia mais:  Unidade da Polícia Civil intensifica atividades e conclui 140 inquéritos

 

Comentários Facebook
publicidade

Polícia

Operação Sinal Vermelho cumpre medidas judiciais e afasta secretário de mobilidade urbana de Cuiabá

Publicado

Os trabalhos partiram de análises realizadas por auditores do TCE-MT, por meio da qual foram identificadas diversas irregularidades no sistema de semáforos inteligentes adquiridos pela Prefeitura da Capital

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Combate à Corrupção (DECCOR), deflagrou na manhã desta quarta-feira (05.5) a operação “Sinal Vermelho”, após a conclusão dos trabalhos investigativos envolvendo a rede de semáforos adquiridos pela Prefeitura da Capital.  As medidas foram deferidas pela juíza da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Ana Cristina Silva Mendes.

Os trabalhos partiram de análises realizadas por auditores do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT), por meio da qual foram identificadas diversas irregularidades no sistema de semáforos inteligentes adquiridos pela Prefeitura de Cuiabá ao valor de R$ 15.447.745,12.

A contratação ocorreu por meio de adesão a uma ata do município de Aracajú (SE). Os auditores do TCE identificaram a inviabilidade do funcionamento do controle remoto de priorização de transporte público adquirido pela Prefeitura de Cuiabá, pois em Aracajú há o modal BRT que viabiliza o funcionamento, enquanto que na capital mato-grossense não existe tal modalidade de transporte, impossibilitando o cumprimento dessa parte do objeto contratual.

Leia mais:  Acusado de matar o pai é autuado em flagrante na DHPP

Ao analisar o relatório de auditoria, a Delegacia de Combate à Corrupção verificou que ao promover a contratação na forma detectada, com a impossibilidade de realizar o controle remoto de priorização de transporte público, entende-se que houve um dano ao erário no valor de R$ 553.884,32 em face da liquidação do item 13 do Contrato nº 258/2017 “Software de Gerenciamento Semafórico Spinnaker/EMTRAC”, diante da impossibilidade de funcionamento, uma vez que há ausência de comunicação do sistema.

Após todas as análises dos documentos foi deferida judicialmente a  medida cautelar de afastamento do cargo do secretário de Mobilidade Urbana de Cuiabá, bem como o bloqueio de valores até o limite de R$ 553.884,32 (quinhentos e cinquenta e três mil, oitocentos e oitenta e quatro reais e trinta e dois centavos), em face do secretário, do representante legal da empresa contratada e nas contas da própria empresa.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana