conecte-se conosco


Polícia

Polícia Civil cumpre 11 mandados contra envolvidos em fraudes na prestação de serviços hospitalares

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Onze mandados de buscas e apreensão são cumpridos na manhã desta terça-feira (04.12), na operação “Sangria”, deflagrada pela Polícia Judiciária Civil,  por meio da Delegacia Especializada de Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz), para apurar irregularidades em contratos de prestação de serviços médicos hospitalares, firmados com o município de Cuiabá e o Estado de Mato Grosso.

Os mandados de busca e a apreensão foram expedidos pela 7ª Vara Criminal de Cuiabá, na investigação que visa arrecadar provas documentais para confirmar denúncia referente a um grupo de médicos, com participação societária oculta em três empresas de serviços médicos, na capital e interior do Estado.

A investigação apura irregularidades em licitações e contratos firmados com as empresas Proclin (Sociedade Mato-Grossense de Assistência Médica em Medicina Interna), Qualycare (Serviços de Saúde e Atendimento Domiciliar LTDA) e a Prox Participações.

A operação é coordenada pelos delegados Lindomar Aparecido Tofoli, Sylvio do Vale Ferreira Junior e Maria Alice Barros Martins Amorim.

Participam da operação 70 policiais ( delegados, investigadores e escrivães) de unidades da Diretoria de Atividades Especiais (DAE) com apoio de delegacias da Diretoria Metropolitana, e da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec).

Leia mais:  Número de atendimentos representa confiança das vítimas em buscar auxílio

Nome da Operação

O nome da operação “Sangria” é alusivo a uma modalidade de tratamento médico que estabelece a retirada de sangue do paciente como tratamento de doenças, que pode ser de diversas maneiras, incluindo o corte de extremidades, o uso de sanguessugas ou a flebotomia.

Comentários Facebook
publicidade

Polícia

OPERAÇÃO TAMOIO: PRF encerra Operação com 39 pessoas detidas e mais de 300kg de maconha apreendidos

Publicado

por

A Polícia Rodoviária Federal (PRF), encerrou a Operação Tamoio. As atividades que se iniciaram na quinta-feira (28), tiveram foco no combate à criminalidade através de orientações de inteligência policial, conferindo otimização dos recursos humanos, tecnológicos e o emprego das Unidades de Recursos Especializados da PRF.

Em Mato Grosso foram apreendidos mais de 300 kg de maconha, 10 kg de skunk (variedade de maconha, também conhecida como super maconha) e ao final da Operação 39 pessoas foram detidas.

OCORRÊNCIAS  RESULTADO
Armas de fogo 2
Munições 17
Madeira apreendida (m³) 41
Maconha apreendida (kg) 314,390
Skunk (kg) 10,290
Veículos adulterados 4
Veículos recuperados 2
Mandados de prisão 2
Alcoolemia 11
Pessoas detidas 39

 

A Tamoio foi a maior Operação nacional de enfrentamento à criminalidade promovida pela PRF. Em todo o país, foram apreendidas mais de 15 toneladas de maconha e 385 kg de cocaína, além de 715.000 maços de cigarro.

TAMOIO – O nome Tamoio vem do Tupi Guarani TAMUÍA, que significa o avô, o antepassado. A Confederação dos Tamoios foi uma aliança de tribos indígenas firmada com o objetivo de combater os portugueses e outras tribos que os apoiavam. A referência é em relação à aliança dos grupos especializados da PRF unidos nessa operação.

Leia mais:  Polícia Civil prende mulher acusada de homicídio após confusão em bar

SECOM PRF MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana