conecte-se conosco


Polícia

Polícia Civil aprende 47 pinos de drogas em boca de fumo no Coophamil

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Um movimentado ponto de comércio de drogas localizado no bairro Coophamil, na Capital, foi desarticulado na  segunda-feira (23.09), pela Polícia Civil, em atividade de monitoramento ao tráfico doméstico de drogas desenvolvida  diariamente pela Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE).

No local foram apreendidos 47 pinos de cocaína, além de 7 porções médias de maconha, que estavam  acondicionada na coluna da pia do banheiro e numa cômoda. Também foram apreendidos rolos de plástico filme, balança de precisão, máquina de cartão, pó branco, celulares, dois facões, entre outros.

Uma parte do entorpecente estava escondida no quarto do proprietário e suspeito, que não foi encontrado no ato de cumprimento de mandado de busca e apreensão, expedido pelo Juízo da 10ª Vara Criminal.

O proprietário da droga, que já está identificado, deve ser indiciado por tráfico e associação para o tráfico de drogas.

 

 

Comentários Facebook
Leia mais:  Polícia Civil de Mato Grosso integra operação nacional de combate a pedofilia
publicidade

Polícia

Juiz aumenta valor de fiança a empresário para R$ 52,2 mil

Publicado

O juiz João Bosco Soares da Silva, da 10ª Vara Criminal da Capital, alterou a fiança do empresário Marcelo Martins Cestari, 46 anos, referente a sua prisão por porte ilegal de arma, no dia da morte de Isabele Guimarães Ramos, 14 anos. Em decisão proferida na manhã desta segunda-feira (3), o abono foi fixado no valor de R$ 52,2 mil (equivalente a 50 salários mínimos).

 

“No que se refere à atual situação financeira do averiguado, majoro/reforço, estabelecido pela autoridade policial ao então conduzido, para o patamar correspondente a 50 salários mínimos, totalizando atualmente o importe de R$ 52.240,00”, diz trecho da decisão desta segunda-feira (3).

A quantia é três vezes inferior à primeira decisão do magistrado decretada no dia 15 de julho. Na oportunidade, o juiz determinou o aumento da fiança imposta ao empresário. À época, foi determinado que Marcelo pagasse o equivalente a 200 salários mínimos, o mesmo que R$ 209 mil, por ter cometido, em tese, crime de posse ilegal de arma de fogo.

Leia mais:  Pé de maconha é apreendido após denúncia na DRE

Marcelo é pai da adolescente de 14 anos que matou com um tiro, supostamente acidental, a adolescente Isabele Guimarães Ramos, da mesma idade, no dia 12 de julho, no condomínio de luxo Alphaville I, no bairro Jardim Itália, em Cuiabá.

No dia da morte, Marcelo chegou a ser preso, mas o delegado Olímpio da Cunha Fernandes da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que à época investigava o caso, arbitrou fiança de R$ 1 mil. No entanto, dias depois, o titular da 12ª promotoria de Justiça Criminal, Marcos Regenold Fernandes, defendeu que o empresário teria de pagar o valor de R$ 104,5 mil.

Diante disso, o juiz João Bosco Soares da Silva, da 10ª Vara Criminal da Capital, determinou o aumento da fiança imposta ao empresário Marcelo Martins Cestari. De acordo com o magistrado, o homem deverá pagar o equivalente a 200 salários mínimos, o mesmo que R$ 209 mil, por ter cometido, em tese, crime de posse ilegal de arma de fogo.

Entretanto, o desembargador Rondon Bassil Dower Filho suspendeu os efeitos da decisão proferida pelo juiz João Bosco.

Leia mais:  Polícia Civil autua suspeito por tráfico de drogas no CPA

 

Por: Hipernoticias

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana