conecte-se conosco


Mato Grosso

Polícia Civil alerta para mensagem falsa sobre vacinação particular de Covid-19 em rede de farmácias

Publicado

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Defesa do Consumidor (Decon), alerta a população para uma mensagem que está circulando em grupos de aplicativo WhatsApp, que utilizam o nome de uma rede de drogarias, para anunciar o falso início da vacinação particular contra a Covid-19.

O texto da mensagem comunica a disponibilidade de 20 vagas por dia para pessoas que tenham interesse em se vacinar contra o coronavírus e estabelece os valores das vacinas, sendo: Coronavac por R$225, Pfizer por R$295 ou Janssen por R$379.

O delegado da Decon, Rogério Ferreira, alerta que o Congresso Nacional aprovou recentemente projeto de lei que permite que empresas privadas adquiram vacinas, porém as doses devem ser doadas ao Sistema Único de Saúde (SUS), para distribuição enquanto durar a vacinação nos grupos prioritários.

Até o momento, clínicas de vacinação e empresas privadas não adquiriram vacinas. Há negociações com a vacina indiana Covaxin, porém esta vacina ainda não foi aprovada pela Anvisa e não há previsão de entregas do produto no Brasil neste primeiro semestre do ano.

Leia mais:  Beneficiários do BPC precisam ficar atentos ao prazo para inscrição no CadÚnico

A Polícia Civil alerta a população que, no momento, não há vacinas sendo comercializadas ou aplicadas em farmácias, clínicas ou em empresas particulares, e para que não comprem ou negociem vacinas por telefone ou por mensagens de WhatsApp, uma vez que pode se tratar de Fake News ou tentativa de estelionato

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Servidor é preso por roubar pneus novos utilizados em caminhões e retroescavadeiras

Publicado

Foram desviados pelo menos 12 pneus novos utilizados em caminhões e retroescavadeiras, causando um prejuízo de aproximadamente R$ 35 mil.

Um servidor público suspeito de desviar pneus de veículos da prefeitura de Barra do Garças, a 516 km de Cuiabá, prestou esclarecimentos na delegacia do município. Segundo a Polícia Civil, ele deve responder pelo crime de peculato.

As investigações começaram no dia 22 de março, quando o prefeito Adilson Gonçalves de Macedo registrou um boletim de ocorrência denunciando o suposto desvio.

O delegado Wilyney Santana Borges disse que várias buscas foram realizadas, até que o suspeito acabou confessando o crime. Em depoimento, ele contou que os pneus foram repassados para um comerciante como parte do pagamento na aquisição de um carro dele de luxo.

Os pneus desviados eram de veículos da Secretaria Municipal de Urbanismo.

De acordo com a polícia, nas investigações, foi apurado que pneus adquiridos para serem utilizados nas automóveis da secretaria foram desviados nos meses de novembro e dezembro de 2020, por um servidor  que exercia funções no setor de frotas da Secretaria Municipal do Meio Ambiente.

Leia mais:  Mato Grosso Saúde e Procon criam canal de comunicação direta para resolver problemas

Segundo o delegado, os indícios apontados no inquérito indicam que foi possível constatar o desvio de pelo menos 12 pneus novos utilizados em caminhões e retroescavadeiras, causando um prejuízo de aproximadamente R$ 35 mil.

A Polícia Civil informou que o investigado pela venda dos pneus deverá responder ação penal pelo crime de peculato, vez que na época dos desvios, exercia o cargo de funcionário público. Já o comerciante que recebeu os pneus desviados, em troca de pagamento, responderá pelo crime de receptação.

A delegacia de Barra do Garças continua as investigações para saber se havia a conivência ou participação de outros servidores municipais, envolvidos no caso dos pneus desviados.

Por G1 MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana