conecte-se conosco


Polícia

PF desarticula braço financeiro de quadrilha internacional de drogas

Publicado

Um grupo especializado no envio de cocaína para a Europa é o alvo da Operação Narcobroker, da Polícia Federal (PF), nesta quarta-feira (4). Cerca de 150 policiais federais cumprem 39 mandados judiciais: nove de prisão preventiva, dois de prisão temporária e 28 de busca e apreensão, em várias cidades do Paraná, São Paulo e de Santa Catarina. Auditores da Receita Federal do Brasil também participam das buscas.

Na ação, foram sequestrados mais de R$ 40 milhões em bens como imóveis e veículos de luxo. Uma das casas que teve o sequestro determinado pela Justiça Federal, em Curitiba, foi comprada pelo chefe da organização criminosa por, aproximadamente, R$ 6 milhões.

A Justiça Federal, em Curitiba, determinou o bloqueio de contas de 68 pessoas físicas e jurídicas, que, segundo as investigações, tiveram movimentação suspeita de aproximadamente R$ 1 bilhão, entre 2018 e 2020. O montante total dos valores bloqueados ainda não foi contabilizado. Na lista de bloqueios há ainda três empresas que eram utilizadas pela organização criminosa para a lavagem de dinheiro do tráfico de drogas.

Investigação

Segundo a PF, as investigações foram iniciadas em 2019 e apontam que os integrantes da organização criminosa utilizavam empresas fantasmas e de fachada para comprar mercadorias de origem orgânica para dificultar a atuação dos órgãos de fiscalização e segurança. As mercadorias eram acondicionadas em contêineres também ussado para esconder centenas de quilos de cocaína enviados à Europa.

Leia mais:  Repressão a roubos e furtos de defensivos leva à apreensão de mais de 5 milhões em produto

Durante a investigação, foram apreendidos 240kg de cocaína no Porto de Paranaguá. No local, os policiais encontraram cocaína escondida em uma carga de madeira que seria levada para a Bélgica.

A Justiça Federal expediu ainda um mandado de prisão preventiva de um brasileiro que se passava por empresário na Espanha, mas era suspeito entre as organizações criminosas brasileiras e europeias. Ele recebia a droga que vinha escondida em meio à carga lícita que era enviada.

Narcobrocker

O nome da operação foi inspirado na junção de dois termos comumente utilizados em investigações de tráfico internacional de drogas: o termo em inglês broker (negociador) e narco, que em tradução livre para o espanhol significa traficante.

Comentários Facebook
publicidade

Polícia

PM fecha festas clandestinas, apreende drogas e conduz 18 pessoas para delegacias

Publicado

Na madrugada deste domingo (28.02) policiais militares conduziram 18 pessoas para delegacias e acabaram com três festas clandestinas com aglomeração de pessoas no Estado. A ação é resultado da Operação Dispersão III, desencadeada pela Polícia Militar nos 141 municípios.

Está é a terceira etapa das atividades de prevenção e fiscalização do cumprimento das medidas de restrição adotadas como forma reduzir os riscos de propagação do novo coronavírus (Covid-19).

Em Cáceres (225 km de Cuiabá), a Polícia Militar empregou um grande aparato policial (Força Tática, Ambiental e viaturas do policiamento e rotina) no apoio aos fiscais de Prefeitura e conselheiros tutelares para por fim a uma festa clandestina que ocorria no bairro Garcez, em uma chácara.

No local havia mais de 100 pessoas, dezenas delas menores de idade, e até uma mulher com dois filhos de colo, de três e dois anos. Organizada para cobrança de ingresso, lá foram detidas 14 pessoas, apreendidas caixa de pulseiras de identificação, equipamentos de som, além de R$ 600 e porções de maconha e pasta base de cocaína.

Leia mais:  Decon apreende mais de 4.700 CDs e DVDs pirateados

Já em Pedra Preta (238 km de Cuiabá), a partir da denúncia de populares, policiais interromperam uma festa com mais 100 pessoas que acontecia em uma residência. Conforme narrativa da equipe da PM, havia dezenas de pessoas no local consumindo bebidas alcóolicas e fazendo uso de narguilé. Quatro adultos, três homens e uma mulher, que seriam os organizados do evento, foram conduzidos à delegacia.

Na MT-040, em Santo Antônio de Leverger (34 km de Cuiabá), policiais militares acabaram com uma festa clandestina com aglomeração de cerca de 300 pessoas. Quando os policiais do 9º Batalhão e da 3ª se aproximaram do local os participantes correram para diferentes direções se escondendo em áreas de mata. A festa chegou ao final, mas ninguém foi preso.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana