conecte-se conosco


Entretenimento

Pequenos e famosos: Saiba quem são os filhos das celebs que bombam na web

Publicado

O ditado “filho de peixe, peixinho é” transmite a mensagem de que os filhos, querendo ou não, serão semelhantes a seus pais. Nos dias atuais alguns famosos nem têm dado a chance de suas proles contradizerem o ditado, pois antes mesmo do nascimento os bebês já possuem contas em redes sociais com seus respectivos nomes. 

Leia também: Devendo milhões a Denilson, Belo faz festa de R$ 150 mil para a neta

Filhos dos famosos arrow-options
Divulgação

Filhos dos famosos

Com o nascimento dessas crianças e o preenchimento dos perfis nas redes sociais com fotografias fofas e vídeos engraçados, os filhos dos famosos começam a bombar cedo. Como neste sábado (12) celebra-se o Dia das Crianças, o iG Gente resolveu compilar filhos de artistas que, desde tenra idade, já estão chamando atenção na internet. 

Leia também: Na “guerra” entre Anitta e Ludmilla, quem tem ganhado é Snoop Dogg

  • Erico Bacchi
Karina Bacchi e seu filho%2C Enrico arrow-options
Reprodução Instagram

Karina Bacchi e seu filho, Enrico

Nascido em 2017, Enrico Bacchi, filho de Karina Bacchi, começou a encantar os internautas desde seus primeiros dias de vida. Atualmente com dois anos, ele possui mais de 1.4 milhões de seguidores no Instagram .

  • Davi Lucca
Neymar e Davi Lucca arrow-options
Reprodução Instagram

Neymar e Davi Lucca

Leia mais:  Régis faz promessa a Maria da Paz em “A Dona do Pedaço”

Aos oito anos de idade, o filho de Neymar e Carol Dantas brilha na web, Davi Lucca é puro estilo e alegria na rede social. Atualmente ele possui mais de 1,3 milhões de seguidores no Instagram.

  • Vittorio Galisteu
Adriane Galiesteu e seu filho%2C Vittorio arrow-options
Reprodução Instagram

Adriane Galiesteu e seu filho, Vittorio

Sendo o mais velho da turminha, Vittorio Galisteu, filho de Adriane Galisteu, aos 10 anos de idade, soma mais de 82 mil seguidores na rede social de imagens. Em seu perfil ele têm muitas fotos com a família e amigos. 

SBT no clima 

Programa da Eliana arrow-options
Divulgação / SBT

Programa da Eliana

Para não ficar de fora e celebrar o dia da criançada, Eliana realizará um programa diferente. A loira terá como convidados neste domingo (13), no SBT , estrelas que brilharam ou brilham no cenário infantil, como Maisa Silva, Larissa Manoela, Lorena Queiroz e entre outros.

The Voice Kids lançando estrelas

Ex-participante do The Voice Kids lança álbum arrow-options
Divulgação

Ex-participante do The Voice Kids lança álbum

Ex-participante do “The Voice Kids”, Giulia Levita está pronta para alçar voos mais altos, a pequena estrela lança neste sábado (12) um álbum que contará com músicas em três idiomas. 

Leia mais:  “Os Simpsons” marcam presença no carnaval 2019 com bloco em São Paulo

O projeto, batizado de “EP 3lingüe of Love”, que conta com seis músicas, duas em português, duas em espanhol e duas em inglês, já está disponível no streaming e junto dele foi lançado também o clipe do primeiro single do álbum, BFL – Best Friend Lover .

A natureza em foco!

crianças indígenas arrow-options
Divulgação

crianças indígenas

Leia também: Em meio à polêmica com irmão, Simaria cozinha para Ana Hickmann

Dois corais de crianças indígenas, um de Santa Catarina e outro de São Paulo, vão cantar em homenagem à natureza no Dia das Crianças , que acontece neste sábado (12). Cantadas em guarani, as canções falam sobre ancestralidade divina e buscam a conexão entre o mundo espiritual e elementos da natureza. O evento começa às 16h00, em um dos teatros mais famosos de São Paulo, o Teatro Gamaro, na Mooca. Ingressos podem ser encontrados pelo valor de R$ 20.

Comentários Facebook
publicidade

Entretenimento

A Voz do Brasil faz 85 anos

Publicado

O programa de rádio A Voz do Brasil completa 85 anos nesta quarta-feira (22). Idade avançada para pessoas e para instituições no Brasil. Uma frase atribuída a Leonardo da Vinci, que morreu idoso para o seu tempo (aos 67 anos), sentencia que “a vida bem preenchida torna-se longa”.

Em oito décadas e meia, A Voz do Brasil preencheu a vida dos ouvintes com notícias sobre 23 presidentes, em mandatos longínquos ou breves. Cobriu 12 eleições presidenciais, e manteve-se no ar durante a vigência de cinco constituições (1934, 1937, 1946, 1967 e 1988).

programa cobriu a deposição dos presidentes Getúlio Vargas (1945) e João Goulart (1964), o suicídio de Vargas (1954), a redemocratização do país em dois momentos (1946 e 1985), o impeachment e renúncia de Fernando Collor (1992) e o impeachment de Dilma Rousseff (2016).

Além de notícias dos palácios do governo federal, A Voz do Brasil levou aos ouvintes informações sobre a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). O programa narrou as conquistas do país em cinco Copas do Mundo e a derrota em duas – a mais traumática em 1950. A Voz registrou a inauguração de Brasília (1960) e cobriu a morte de ídolos como Carmen Miranda (1955) e Ayrton Senna (1994).

Pelo rádio, e pela A Voz do Brasil, muitos brasileiros souberam da invenção da pílula anticoncepcional (1960), da descida do homem na Lua (1969), dos primeiros passos da telefonia móvel (1973), da queda do Muro de Berlim (1989) e da clonagem da ovelha Dolly (1998).

Leia mais:  Crossover na TV? Beto Falcão faz show em “Verão 90” e fica sabendo de sua morte

Vida longa

A longevidade do programa A Voz do Brasil é assunto de interesse de historiadores e pesquisadores da mídia de massa no país. “É curioso como um programa de rádio se torna uma constância em um país de inconstância institucional, jurídica e legislativa”, observa Luiz Artur Ferrareto, autor de dois dos principais livros de radiojornalismo editados no Brasil.

Para Sonia Virginia Moreira, professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, a longa duração do programa “tem muito a ver com a própria longevidade do rádio como meio de comunicação. A morte do rádio foi anunciada várias vezes e ele segue como um veículo muito importante no Brasil.”

“Nenhum governo abriu mão dessa ferramenta fantástica. A longevidade vem da percepção que os diferentes governos tiveram que manter essa ferramenta era algo que trazia uma vantagem enorme para o governo do ponto de vista das suas estratégias e para seus objetivos”, acrescenta Henrique Moreira, professor de jornalismo e especialista em história da mídia no Brasil.

Curiosidades sobre A Voz do Brasil 

 A Voz Brasil nem sempre teve como trilha sonora de abertura trecho da ópera O Guarani (1870), de Carlos Gomes. O Hino da Independência (1822), composto por Dom Pedro I, e Aquarela do Brasil (1939), de Ary Barroso, também serviram para marcar o início do programa.

Inauguração da transmissão do programa A Voz do Brasil, Brasília, DF.
Inauguração da transmissão do programa A Voz do Brasil, Brasília, DF. – Arquivo Nacional

A longevidade do programa A Voz do Brasil é assunto de interesse de historiadores e pesquisadores da mídia de massa no país. “É curioso como um programa de rádio se torna uma constância em um país de inconstância institucional, jurídica e legislativa”, observa Luiz Artur Ferrareto, autor de dois dos principais livros de radiojornalismo editados no Brasil.

Leia mais:  Vídeo flagra momento que Jennifer Lopez quase cai da sacada; assista

Para Sonia Virginia Moreira, professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, a longa duração do programa “tem muito a ver com a própria longevidade do rádio como meio de comunicação. A morte do rádio foi anunciada várias vezes e ele segue como um veículo muito importante no Brasil.”

“Nenhum governo abriu mão dessa ferramenta fantástica. A longevidade vem da percepção que os diferentes governos tiveram que manter essa ferramenta era algo que trazia uma vantagem enorme para o governo do ponto de vista das suas estratégias e para seus objetivos”, acrescenta Henrique Moreira, professor de jornalismo e especialista em história da mídia no Brasil.

Curiosidades sobre A Voz do Brasil 

 A Voz Brasil nem sempre teve como trilha sonora de abertura trecho da ópera O Guarani (1870), de Carlos Gomes. O Hino da Independência (1822), composto por Dom Pedro I, e Aquarela do Brasil (1939), de Ary Barroso, também serviram para marcar o início do programa.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana