conecte-se conosco


Polícia

PC suspeita que funcionários de loja ajudavam ladrões em Cuiabá

Publicado

A Polícia Civil, em investigação realizada pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Cuiabá (Derf), já cumpriu 17 mandados de busca e apreensão e 10 de prisão na manhã desta quarta-feira (17), contra uma organização criminosa voltada a prática de roubos de lojas de eletrodomésticos, em Cuiabá.

A operação que teve início em março de 2020, conseguiu identificar mais de 20 roubos de aparelhos celulares, em nove lojas de eletrodomésticos, gerando um prejuízo estimado de mais de R$ 1 milhão. Uma das lojas é a Martinello, que sofreu oito assaltos, sendo três deles em uma semana.

Entre os alvos da operação, todos possuem passagens criminais e alguns são membros da facção criminosa Comando Vermelho, e já estavam presos na Penitenciária Central do Estado (PCE), atuando de dentro da cadeia.

A Polícia investiga se funcionários dos estabelecimentos estariam passando informações aos criminosos de quando chegariam às cargas de celulares nas empresas. Os materiais roubados eram vendidos com intuito de arrecadar valores para a organização criminosa. “No inícios das investigações nós tinhamos informações de que provavelmente funcinários das empresas estariam passando informações de quando chegavam as cargas de celulares. Até o momento não confirmamos, mas as investigações continuam com intuito de validar ou não essa informação”, disse o delegado da Derf, Gulherme Bertoli.

Leia mais:  Polícia Civil prende casal por furtos no comércio de Várzea Grande

Com as apreensões, serão obtidas inúmeras provas que devem auxiliar na sequencia das investigações. Em uma próxima fase, a Polícia ainda pretenda identificar os receptadores desses materiais.

De acordo com o diretor da PCE, Agno Sérgio Ramos, a inteligência vem atuando para reduzir a entrada de materiais ilícitos penitenciária e o Governo tem investifo em tecnologias, planejamento e adequações para inibir a entrada desses materiais e evitar que organizações atuem de dentro da cadeia.

A operação

A Polícia Civil de Mato Grosso, em investigação realizada pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Cuiabá (Derf), deflagrou nesta quarta-feira (17) a ‘Operação Distrust’ para cumprimento de 29 ordens judiciais de prisões e de buscas e apreensões.

Os alvos da operação são integrantes de uma associação criminosa qualificada voltada à prática de roubo majorado em estabelecimentos comerciais da Capital.

As equipes da Polícia Civil estão nas ruas para cumprir 19 mandados de buscas e apreensão e 10 de prisão. Parte das ordens judiciais tem como alvos presos da Penitenciária Central do Estado (PCE).

Leia mais:  Polícia Civil descobre esconderijo do tráfico com 30 quilos de maconha, munições e bloqueadores de sinais

A Polícia Civil empregou na Operação Distrust um efetivo de mais de 100 policiais, entre investigadores e escrivães, e 14 delegados da Derf Cuiabá e demais unidades da Regional de Cuiabá. A operação conta com apoio da Gerência de Operações Especiais (GOE), Delegacia Regional de Várzea Grande, Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), Diretoria de Inteligência da Polícia Civil e Serviço de Operações Especializadas do Sistema Penitenciário. São empregadas na ação policial 22 viaturas, drones e aeronaves.

‘Distrust’ significa desconfiança em inglês.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: FolhaMax

Comentários Facebook
publicidade

Polícia

Operação Lei Seca autua 32 motoristas por irregularidades em Cuiabá

Publicado

A ação foi realizada no bairro Santa Helena. Do total de infrações de trânsito, sete foram por conduzir veículo sob efeito de álcool (Art. 165).

Operação Lei Seca deflagrada na noite desta quarta-feira (03.03), na Avenida Miguel Sutil, em Cuiabá, resultou na confecção de 32 Autos de Infração de Trânsito (AIT’s). A ação começou às 21h20 e seguiu até às 23 horas, no bairro Santa Helena. Uma pessoa foi presa por embriaguez ao volante.

Ainda no período, foram realizados 58 testes de alcoolemia (bafômetro) e 18 veículos, entre carros e motocicletas, foram recolhidos.

Do total de infrações de trânsito, sete foram por conduzir veículo sob efeito de álcool (Art. 165), cinco foram por recusa a realizar o teste de alcoolemia (Art. 165-A), quatro por conduzir veículo sem habilitação (Art. 162), dentre outros.

A Operação Lei Seca é realizada de forma integrada e coordenada pelo Gabinete de Gestão Integrada (GGI-E) da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT). Nesta edição, participaram representantes das Polícias Militar (PM-MT), Civil (PJC-MT) e Rodoviária Federal (PRF), Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT), Sistema Penitenciário de Mato Grosso (Sispen) e Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob).

Leia mais:  Polícia Civil prende casal de traficantes no bairro Colina Verdejantes em Várzea Grande

A multa para o motorista que é flagrado dirigindo sob efeito alcoólico é de R$ 2.934,70. No momento do teste do bafômetro, o condutor que tiver índice de álcool no sangue superior a 0,33 miligramas por litro de ar expelido será preso, pagará multa, terá a CNH suspensa e responderá por crime.

Quando a quantidade de álcool for abaixo de 0,33mg/l, o condutor é autuado, tem a CNH retida e paga multa.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana