conecte-se conosco


Entretenimento

Panini Comics preparava saraivada de novidades para brindar os fãs na CCXP 2018

Publicado

A Panini
é presença confirmada na CCXP 2018 e para essa edição a editora trará diversos lançamentos, coleções completas em boxes exclusivos e produtos que fazem sucesso entre o público. Entre eles exclusividades da “Turma da Mônica” com os super-heróis da DC Comics.

Leia também: As 10 maiores atrações internacionais da CCXP 2018


Panini traz grandes lançamentos e produtos exclusivos para a CCXP 2018
Divulgação

Panini traz grandes lançamentos e produtos exclusivos para a CCXP 2018

Para a CCXP 2018
, a marca trás novamente a parceria com a Mauricio de Sousa Produções, com um crossover inédito entre a DC Comics e a “Turma da Mônica” – jovem e da turminha –  à venda com exclusividade. Além das revistas mensais, o box terá 19 títulos especiais em formato diferenciado e com capas com desenhos exclusivos. 

 Ainda haverá o lançamento do box “Trilogia”, de Victor e Lu Cafaggi, com os títulos “Turma da Mônica Lembranças”, “Lições e Laços”, da coleção “Um Tema Só: Chico Bento” e da graphic novel “Astronauta – Entropia”, do autor Danilo Beyruth. 


Destaques da Panini CCXP 2018
Divulgação

Destaques da Panini CCXP 2018

Para os fãs de Marvel, a editora traz o box imperdível “Thanos: Trilogia do Infinito”, com os títulos “Desafio Infinito”, “Guerra Infinita” e “Cruzada Infinita”.

Outras novidades são as publicações mensais de X-Men, O Velho Logan e Homem-Aranha e os Campeões, todas com capa branca, assim aqueles que desejarem poderão levar a revista até a Artist Alley para algum dos artistas presentes no evento fazer um desenho exclusivo na capa.

Além disso, haverá as principais publicações de “Star Wars” e “The Walking Dead”. 

As novidades da DC Comics e Vertigo ficam por conta dos boxes exclusivos de “Sandman: Coleção Definitiva”, com “Absolute Sandman”, “Morte e Prelúdio” e “Prelúdio Luxo”. Para celebrar o lançamento do filme Aquaman, a Panini também produziu um box com as histórias mais icônicas da saga do herói. 

 Os amantes de quadrinhos do Batman e de heavy metal terão um box exclusivo, o “Noites de Trevas: Metal x Sepultura”, com cinco edições e um pôster exclusivo e uma revista com os detalhes da série. Quem adquirir o box levará o CD Machine Messiah da banda Sepultura e aqueles que o comprarem durante a CCXP 2018 terão a oportunidade de participar de uma sessão de exclusiva de autógrafos com a banda no dia 08/12, às 11h.


Destaques da Panini na CCXP 2018
Divulgação

Destaques da Panini na CCXP 2018

Para celebrar os 80 anos do Superman, a editora traz um portfólio de livros com cards especiais. Já a parceria com a Cartoon Network, chegará a segunda edição do livro “Rick and Morty”.

Leia mais:  Escolha de homenageada da Flip causa indignação entre escritores

O capista de Rick and Morty, David Roman, estará presente de sexta a domingo para sessões de autógrafos para aqueles que adquirirem o título durante o evento. Estará disponível também a Edição Matemática de Hora de Aventura, com os volumes de 02 a 06.

 Para os fãs de mangãs terá o lançamento das primeiras edições de “Bungo Stray Dogs” e de “Sword Art Online – Aincrad”, a primeira light novel da Panini. Além do box “Slam Dunk”, com volumes de 01 ao 09, que traz os dois primeiros arcos da consagrada série de Takehiko Inoue. Também estará disponível para venda o box “One-Punch Man”, com os volumes de 01 ao 10, além de muitas outras publicações da Planet Manga. 

Panini lança produtos colecionáveis exclusivos 

Os recém-lançados álbuns de figurinha “Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald”, que apresenta um formato inédito, simulando um jornal inspirado nos filmes, e “Mickey Mouse: Álbum Histórico 90 anos”, são os grandes destaques. Os livros ilustrados “Naruto” e “Dragon Ball Super” também estarão disponíveis.

Já os fãs de esportes terão a oportunidade de começar grandes coleções, como a “NFL 2018-2019”, “NBA 2018-2019”, e o “FIFA 365 Adrenalyn XL 2019”, coleção com 396 cards para jogar com os amigos em um tabuleiro e também na versão on-line, com competidores do mundo inteiro. Os cards trazem 16 times, entre eles, o Grêmio para representar o Brasil pela primeira vez na coleção, e os maiores e melhores atletas do futebol do mundo.

Leia também: Sandra Bullock no Brasil! Netflix confirma presença da estrela na CCXP

Gretchen vira garota prograpaganda e fala sobre sexo

Foi para uma das regiões mais badaladas da capital paulista, Rua Augusta, que SKOL Beats levou a cantora Gretchen na última sexta-feira (30) para falar sobre o sexo e alertar sobre o consumo inteligente de bebida alcoólica. A cantora é uma das garotas propagandas da nova campanha da marca: “If you Drink Right, you F*** Right – Quem bebe menos se diverte mais”.


Gretchen vira garota propaganda para falar sobre sexo em campanha da SKOL Beats
Divulgação

Gretchen vira garota propaganda para falar sobre sexo em campanha da SKOL Beats

Em uma cama redonda, a cantora recebeu as pessoas para conversas divertidas e o bate-papo mostrou que o abuso de bebidas alcoólicas atrapalha a curtição, inclusive quando você pretende terminar a noite ao lado de seu crush.

“Se tem uma coisa que eu aprendi nessa vida é que beber demais não tá com nada. Ainda mais se for fazer aquilo gostoso depois. Então, pra fazer direitinho, tem que beber direitinho, ok?”, disse Gretchen no evento.

Leia mais:  PSDB deseja sorte a Regina Duarte e ironiza: Se fosse o PT, seria José de Abreu

Episódios exclusivos de “Chaves” e “Chapolin” no Multishow

O Multishow programou para dezembro e janeiro uma leva de episódios dos programas ” Chaves
” e “Chapolin” para os fãs. Serão nove títulos nunca exibidos no País e dois considerados ‘perdidos’, que estavam fora do catálogo da Televisa.

 O inédito episódio ‘A história não contada de Juleu e Romieta – Parte 1’, de “Chapolin”, vai ao ar dia 16 de janeiro. Mas antes, o canal exibe ‘Com essas pulgas não se brinca de pula-pula/Dr. Chapatin e o contrabando’, de “Chapolin”, no dia 11 de dezembro e ‘Errar é humano – Parte 1’, de “Chaves”, em 1º de janeiro. Estes dois episódios, apesar de já terem sido exibidos no Brasil, são considerados ‘perdidos’ pelos fãs dos seriados.



Televisa/ Divulgação Multishow

“Chaves” e “Chapolin” com episódios inéditos no canal Multishow

Outros títulos inéditos programados para dezembro de “Chaves” são ‘Exibição de ioiôs’, ‘Uma confusão de bolos’, ‘Os astronautas’ e ‘Deus ajuda quem cedo madruga’. De “Chapolin”, serão ‘Branca de Neve e os sete tchuim tchuim tchum claim – Parte 3’, ‘Onde está Clarissa?’, ‘A mansão dos fantasmas’ e ‘O show deve continuar – Parte 1’. Os programa são exibidos diariamente no Multishow, a partir das 23h15 e após a exibição na TV, os episódios ficam disponíveis para assinantes no Multishow Play. 

Fim do relacionamento de Kéfera com o DJ Eme


Kéfera e DJ Eme terminam namoro de oito meses
Reprodução/Instagram

Kéfera e DJ Eme terminam namoro de oito meses

A atriz Kéfera Buchmann e o DJ Eme terminaram o seu namoro devido a distância, segundo informação do jornalista Leo Dias. O ex-casal começou a namorar em abril desse ano e compartilhava momentos juntos e românticos com os fãs no Instagram – que já foram apagados por ambas as partes.

A atriz atualmente está na novela das 19h, “Espelho da Vida”, e o músicou lançou recentemente um trabalho ao lado do cantor brasileiro Zeeba. 

Quadrinista David Lloyd é confirmado na CCXP 2018

David Lloyd, cocriador da aclamada graphic novel “V de Vingança” ao lado de Alan Moore (“Do Inferno” e “Batman: The Killing Joke”), estará presente todos os dias na CCXP desse ano. O quadrinista ocupará a mesa C21-22 do Artist’s Alley, espaço reservado para o mundo das HQs. A presença do ilustrador é uma homenagem aos 30 anos do início da publicação de “V de Vingança” pela DC Comics. 

Leia também: Vem com tudo! A era dos heróis chega a CCXP em 2018

A CCXP 2018
também terá a presença de Chris Columbus, diretor dos dois primeiros filmes da saga “Harry Potter” e roteirista de “Os Goonies”, que será responsável pela abertura do evento.

Comentários Facebook
publicidade

Entretenimento

A Voz do Brasil faz 85 anos

Publicado

O programa de rádio A Voz do Brasil completa 85 anos nesta quarta-feira (22). Idade avançada para pessoas e para instituições no Brasil. Uma frase atribuída a Leonardo da Vinci, que morreu idoso para o seu tempo (aos 67 anos), sentencia que “a vida bem preenchida torna-se longa”.

Em oito décadas e meia, A Voz do Brasil preencheu a vida dos ouvintes com notícias sobre 23 presidentes, em mandatos longínquos ou breves. Cobriu 12 eleições presidenciais, e manteve-se no ar durante a vigência de cinco constituições (1934, 1937, 1946, 1967 e 1988).

programa cobriu a deposição dos presidentes Getúlio Vargas (1945) e João Goulart (1964), o suicídio de Vargas (1954), a redemocratização do país em dois momentos (1946 e 1985), o impeachment e renúncia de Fernando Collor (1992) e o impeachment de Dilma Rousseff (2016).

Além de notícias dos palácios do governo federal, A Voz do Brasil levou aos ouvintes informações sobre a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). O programa narrou as conquistas do país em cinco Copas do Mundo e a derrota em duas – a mais traumática em 1950. A Voz registrou a inauguração de Brasília (1960) e cobriu a morte de ídolos como Carmen Miranda (1955) e Ayrton Senna (1994).

Pelo rádio, e pela A Voz do Brasil, muitos brasileiros souberam da invenção da pílula anticoncepcional (1960), da descida do homem na Lua (1969), dos primeiros passos da telefonia móvel (1973), da queda do Muro de Berlim (1989) e da clonagem da ovelha Dolly (1998).

Leia mais:  Filme “A Vida Invisível” recebe prêmio em festival de cinema na Espanha

Vida longa

A longevidade do programa A Voz do Brasil é assunto de interesse de historiadores e pesquisadores da mídia de massa no país. “É curioso como um programa de rádio se torna uma constância em um país de inconstância institucional, jurídica e legislativa”, observa Luiz Artur Ferrareto, autor de dois dos principais livros de radiojornalismo editados no Brasil.

Para Sonia Virginia Moreira, professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, a longa duração do programa “tem muito a ver com a própria longevidade do rádio como meio de comunicação. A morte do rádio foi anunciada várias vezes e ele segue como um veículo muito importante no Brasil.”

“Nenhum governo abriu mão dessa ferramenta fantástica. A longevidade vem da percepção que os diferentes governos tiveram que manter essa ferramenta era algo que trazia uma vantagem enorme para o governo do ponto de vista das suas estratégias e para seus objetivos”, acrescenta Henrique Moreira, professor de jornalismo e especialista em história da mídia no Brasil.

Curiosidades sobre A Voz do Brasil 

 A Voz Brasil nem sempre teve como trilha sonora de abertura trecho da ópera O Guarani (1870), de Carlos Gomes. O Hino da Independência (1822), composto por Dom Pedro I, e Aquarela do Brasil (1939), de Ary Barroso, também serviram para marcar o início do programa.

Inauguração da transmissão do programa A Voz do Brasil, Brasília, DF.
Inauguração da transmissão do programa A Voz do Brasil, Brasília, DF. – Arquivo Nacional

A longevidade do programa A Voz do Brasil é assunto de interesse de historiadores e pesquisadores da mídia de massa no país. “É curioso como um programa de rádio se torna uma constância em um país de inconstância institucional, jurídica e legislativa”, observa Luiz Artur Ferrareto, autor de dois dos principais livros de radiojornalismo editados no Brasil.

Leia mais:  Cleo revela tatuagem íntima em cliques sensuais no Instagram

Para Sonia Virginia Moreira, professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, a longa duração do programa “tem muito a ver com a própria longevidade do rádio como meio de comunicação. A morte do rádio foi anunciada várias vezes e ele segue como um veículo muito importante no Brasil.”

“Nenhum governo abriu mão dessa ferramenta fantástica. A longevidade vem da percepção que os diferentes governos tiveram que manter essa ferramenta era algo que trazia uma vantagem enorme para o governo do ponto de vista das suas estratégias e para seus objetivos”, acrescenta Henrique Moreira, professor de jornalismo e especialista em história da mídia no Brasil.

Curiosidades sobre A Voz do Brasil 

 A Voz Brasil nem sempre teve como trilha sonora de abertura trecho da ópera O Guarani (1870), de Carlos Gomes. O Hino da Independência (1822), composto por Dom Pedro I, e Aquarela do Brasil (1939), de Ary Barroso, também serviram para marcar o início do programa.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana