conecte-se conosco


Polícia

Organização criminosa de golpes pela internet é alvo de operação das Polícias do ES e MT

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Uma operação conjunta do Núcleo de Repressão às Organizações Criminosas e à Corrupção da Secretaria de Segurança Pública do Espírito Santos (NUROC-ES), com a Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso, por meio da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), foi deflagrada na manhã desta quarta-feira (31.10), para prender integrantes de uma organização criminosa especializada na prática de crimes de estelionato pela internet.

A operação LOX cumpre 10 mandados de prisão preventiva e 12 mandados de busca e apreensão em endereços de Cuiabá e Várzea Grande, Pontes e Lacerda e Alta Floresta

A investigação apurou que os suspeitos simulavam a comercialização de veículos de luxo e, mediante a utilização de comprovantes de depósitos falsificados, enganavam as vítimas que acreditavam estar negociando veículos que na realidade não pertenciam aos suspeitos. Uma das vítimas realizou depósitos que somam R$ 185 mil, em contas bancárias indicadas pelos suspeitos.

O delegado titular da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), Diogo Santana  Souza, destacou a importância do trabalho realizado que visa desestimular essa modalidade criminosa.

Leia mais:  Polícia Civil prende quatro com tijolos de maconha, porções e dinheiro

“A internet é campo fértil para o cometimento de crimes, visto que os suspeitos acreditam estar protegidos pelo anonimato. No entanto, é certo que a polícia dispõe de mecanismos para rastrear todas as operações realizadas no mundo virtual, sendo possível a identificação daqueles que insistem  em utilizar a internet para cometer crimes”, disse.

Conforme o delegado Raphael Ramos Correa Luiz, titular do Núcleo de Repressão às Organizações Criminosas e à Corrupção, diversos casos similares têm ocorrido no Espírito Santo e no Brasil, de um modo geral.

“As vítimas invariavelmente são atraídas pelo preço, muito abaixo do mercado. Nossa orientação é no sentido de que os sites de compra e venda sejam utilizados apenas como instrumento de pesquisa e apresentação entre os interessados, mas que as negociações sejam sempre concretizadas pessoalmente e observando-se todas as cautelas possíveis”,  ressalta.

Nome – A operação batizada de LOX é referência a um anagrama construído com as letras do site de comércio virtual, utilizado pelos suspeitos para o cometimento dos golpes.

Leia mais:  Polícia Civil prende dupla de traficantes que atuava em lava-jato em Rondonópolis

Comentários Facebook
publicidade

Polícia

Delegados de Mato Grosso ganham o maior salário do Brasil

Publicado

Um levantamento realizado pelo Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (Sindpesp) mostrou que os delegados de Mato Grosso são os que ganham o maior salário da categoria no país. O salário mensal de um delegado da Polícia Civil no estado é de R$ 24,5 mil.

Enquanto o salário dos delegados de Mato Grosso é o maior do país, o vencimento de escrivães e investigadores – as outras carreiras da Polícia Civil-, está bem longe do primeiro lugar.

Para os escrivães, profissionais responsáveis pelo registro de ocorrências e pela documentação das investigações, o salário é de R$ 5,5 mil, o 11º no ranking brasileiro.

Já para os investigadores, policiais que coletam provas sobre os crimes, localizam e interrogam suspeitos e mantém a segurança dos locais de investigação, o vencimento inicial é de R$ 5,5 mil, o 9º maior na comparação com o mesmo cargo em outros estados.

Dados da Polícia Civil mostram que no quarto trimestre de 2020 havia 400 cargos para delegados, porém, 158 estavam vagos. Já para escrivão de polícia, são 1,2 mil vagas, mas só 2.056 ocupados. E para investigador são 4 mil vagas, com 1.944 cargos vagos.

Leia mais:  Fetran em MT reuniu estudantes em 121 espetáculos

Por ser uma carreira típica de Estado, ou seja, que não podem ser substituída por profissional contratado, os cargos da Polícia Civil só podem ser ocupados através de concurso público. No entanto, para conseguir benefícios com o governo federal durante a crise, o Estado se comprometeu a não criar novos gastos até 2022, o que incluem os concursos.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana