conecte-se conosco


Polícia

Operação contra facção criminosa que atua na região de Cáceres é deflagrada pela Polícia Civil

Publicado

Assessoria | PJC-MT

A Delegacia Especial de Fronteira (DEFRON), da Polícia Judiciária Civil, com apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Grupo Especial de Fronteira – GEFRON, 6º Comando Regional de Polícia Militar de Cáceres, Delegacia Regional de Cáceres e Sistema Penitenciário, desencadeou na manhã desta sexta-feira (30), a Operação “Organización”, onde foram cumpridos 29 mandados de prisão preventiva e 06 mandados de busca e apreensão domiciliar contra integrantes de uma facção criminosa que atuava na região da grande Cáceres.

Os trabalhos investigativos duraram seis meses e apontaram que a organização criminosa era formada em sua maioria por reeducandos de unidades prisionais do município.

A delegada de polícia Cinthia Gomes da Rocha Cupido, titular da DEFRON, coordenou as investigações. “Por meio de um trabalho técnico e intenso foi possível apontar o papel de cada membro dessa facção criminosa que está por trás da prática de crimes como roubo, tráfico de drogas, furtos, receptação, etc. Eles realizavam ‘filiação/batismo’, inclusive com números de suas respectivas matrículas, para a prática de diversos delitos”.

Restou comprovado no transcorrer das investigações que as ordens partiam de lideranças presas em Cáceres e eram repassadas para o “Conselho Final” da rua, que na hierarquia da organização, detinham maior poder de comando junto às lideranças intermediárias, intituladas como “vozes finais”, que repassavam as “ordens/visão” aos “disciplinas”, que executavam do lado de fora os crimes.

Leia mais:  Autor de feminicídio no Pará tem prisão cumprida em Guarantã do Norte

Em procedimento de busca realizado no interior da Cadeia de Cáceres foi possível identificar a logística da facção. Abaixo de uma beliche – apelidada de “jega” – foi apreendido material farto da contabilidade de entrada e saída de dinheiro da caixinha e movimentação capitaneadas pelas “lojinhas/biqueiras” (bocas de fumo), que tinham como regra o fato de que os “boqueiros” só podiam fazer a aquisição de drogas de membros da própria facção ou por eles indicados, bem como, tabelavam o preço da droga a ser revendida.

A delegada Cinthia Cupido reforça que todas as lideranças, da maior a menor, foram presas durante a operação, que tem como principal vertente, impedir o crescimento e ramificações da facção em outras regiões”.

Os membros da organização criminosa possuíam funções específicas, com tarefas definidas, visando ganhar dinheiro para manterem a organização, com compra de armas e drogas para revenda, bem como proporcionar aos integrantes da facção , defesa jurídica durante Fase Processual.

Durante a operação foi presa uma advogada que atua em Cáceres e que, segundo as investigações, possui vínculo com integrantes da organização criminosa que ultrapassam os limites da relação advogado-cliente. A mulher de de 26 anos vai responder pelos crimes de falsa comunicação de crime, organização criminosa, associação para o tráfico, estelionato e roubo (por realizar, entre outros atos, levantamentos carros de luxo/caminhonetes que avistava em ambientes da alta sociedade e repassar à facção). Um representante da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), acompanhou o cumprimento do mandado. 

Leia mais:  Polícia Civil prende traficante com R$ 15 mil adquiridos com a venda de entorpecentes

A Operação “Organización” mobilizou cerca de 50 Policiais, e foram utilizadas 12 viaturas.

Os presos foram autuados pelos crimes de organização criminosa, Lei nº 12.850/2013, cuja pena varia de 03 a 08 anos), associação e tráfico de drogas, com pena prevista de 05 a 15 anos, roubo e estelionato, além de falsa comunicação de crime,

Os detidos permanecem à disposição da Justiça, reclusos na Cadeia Pública de Cáceres.

 

 

Comentários Facebook
publicidade

Polícia

PRF apreende 37.000 kg de adubo ilegal em Rondonópolis/MT

Publicado

Fiscais do MAPA colaboraram com a ocorrência

A Polícia Rodoviária Federal (PRF), com apoio de uma equipe do Ministério da Agricultura Planejamento e Abastecimento (MAPA), apreendeu uma carga de adubo sendo comercializada ilegalmente, em Rondonópolis.

Na manhã desta quinta-feira (17), a equipe PRF abordou o caminhão Scania/G 420 A4X2, de cor vermelha e placas de Rondonópolis, ao qual estavam acoplados dois semirreboques. O veículo foi abordado após o condutor, de 38 anos, efetuar um retorno proibido, no Km 208, da BR-364.

O condutor apresentou a documentação da carga, que segundo a Nota Fiscal, seria de varredura de adubo. Ao verificar a carga, os PRFs desconfiaram que a carga transportada não seria a descrita na documentação fiscal. A carga nos semirreboques estava acondicionada em bags e aparentemente não estava contaminada. Varredura de adubo apresenta contaminação por diversas substâncias e geralmente é transportada a granel.

O veículo foi conduzido até a Unidade Operacional da PRF, onde se encontravam os fiscais do MAPA que recolheram uma amostra do produto para análise. Através de consulta aos sistemas, foi constatado que a empresa que estava vendendo a mercadoria não possui registro de estabelecimento produtor, portanto não pode comercializar esse tipo de produto.

Leia mais:  Homem que comercializava pasta base em frente ao filho é preso em Várzea Grande

Diante das circunstâncias, a ocorrência foi encaminhada para Polícia Civil, em Rondonópolis.

SECOM PRF MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana