conecte-se conosco


Cidades

Onze cidades de Mato Grosso precisam de kits intubação para pacientes covid

Publicado

Onze municípios de Mato Grosso afirmaram em pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) que correm o risco de ficar sem medicamentos do chamado kit intubação. Dos 141, apenas 45 responderam aos questionamentos feitos pela entidade entre os dias 19 e 22 de abril. As pesquisas são realizadas por meio de call center e abrangem todos
os municípios do país. Dessa forma, os resultados apresentados indicam um cenário da situação nacional.

A CNM também perguntou aos gestores se, durante este ano, o hospital da região de cada um enfrentou problemas relacionados à falta do kit intubação. Dez municípios responderam que sim, informando que as unidades locais já ficaram sem os medicamentos do kit. A Confederação não divulga quais são os municípios consultados para preservar a autonomia
de cada ente.

Quanto à falta de oxigênio, 3 municípios dos 45 questionados indicaram que essa é uma preocupação constante e admitiram que correm o risco de ficar sem o insumo nos hospitais da região. Quanto às internações em Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) à espera de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), 11 municípios afirmaram ter pacientes na fila.

Leia mais:  Bloqueios e alterações nas linhas de ônibus garantem realização da Corrida de Reis

O governo do Estado garante que zerou a demanda por leitos públicos de UTIs para pacientes de covid-19. Mato Grosso registrava filas há cerca de 50 dias e chegou a ter mais de 200 pessoas aguardando tratamento intensivo.

Na semana passada o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou que a pasta vai realizar um pregão nacional e internacional para tentar normalizar os estoques de medicamentos do chamado kit intubação, usado em pacientes nas unidades de terapia intensiva.

De acordo com o ministro, o pregão será na modalidade sem fixação de preços. Queiroga explicou que o ministério já fez ações junto à Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) para a aquisição dos insumos, mas que o procedimento não é rápido e que optou por um pregão no intuito de conseguir os medicamentos em um prazo mais curto.

O ministro disse ainda que o ministério deve receber até o final do mês 1,1 milhão de medicamentos do kit intubação (formado basicamente por analgésicos, bloqueadores neuromusculares e sedativos) doados por empresas e que também aguarda a chegada de doações de outros países, como a Espanha.

Comentários Facebook
publicidade

Cidades

Prioridade a diabéticos em rede de saúde vira lei em MT

Publicado

Os hospitais públicos e particulares de Mato Grosso deverão oferecer prioridade aos portadores de diabetes dos tipos 1 e 2 em caso de atendimento para a realização de exames que sejam realizados em jejum total e parcial.

A prioridade no atendimento deverá ser equiparada a de idosos, deficientes e gestantes.

Esse benefício será ofertado graças à sanção do governador Mauro Mendes (DEM) a uma lei de autoria do deputado estadual Wilson Santos (PSDB), apresentada em conjunto com os deputados Dr. João (MDB), Dr. Gimenez (PV), Dr. Eugênio (PSB), Lúdio Cabral (PT) e Paulo Araújo (PP).

A sanção da Lei nº 11.350 foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) que circulou na sexta-feira (30).

O usuário dos serviços de saúde deverá comprovar o diagnóstico de diabetes mediante apresentação de laudo médico que ateste a patologia. Os estabelecimentos de saúde ainda são obrigados a afixar o interior da lei em local visível ao público.

Comentários Facebook
Leia mais:  Prazo para pagamento da cota única com desconto do IPTU 2019 termina amanhã (30)
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana