conecte-se conosco


Cidades

Obra de pavimentação do Ribeirão do Lipa se divide em diferentes estágios

Publicado

A Prefeitura de Cuiabá dá seguimento às obras de pavimentação do bairro Ribeirão do Lipa. Fruto de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado com uma empresa privada, o trabalho está concentrado, neste momento, na primeira etapa da comunidade. Beneficiadas pelo programa Minha Rua Asfaltada, algumas vias já receberam as etapas de construção da rede de drenagem, terraplanagem e imprimação. Neste momento, uma equipe atua na efetuação de diferentes serviços nas ruas S/D Projetada e das Mansões.

A ação de melhoria da infraestrutura viária da localidade está dividida em dois estágios. No primeiro, o TAC assegura o investimento de quase R$ 2 milhões, feito pela iniciativa privada, para a edificação de aproximadamente dois quilômetros de pavimentação, compreendendo pelo menos 11 ruas. Após a empresa cumprir com os acordos registrados no documento, a Prefeitura dará seguimento à segunda parte, executando a quilometragem restante para alcançar 100% do bairro.

“O prefeito Emanuel Pinheiro tem nos orientado a tomar todas as providências necessárias para que a empresa cumpra com sua parte acordada no TAC. Por conta de problemas judiciais, a obra acabou tendo seu andamento prejudicado. Nesse sentido, juntamente com o secretário adjunto de Relações Comunitárias, Jonail da Costa, estamos sempre fazendo nossa parte para cobrar a construtora e assegurar a continuidade do serviço. Sabemos dos grandes benefícios que a pavimentação trará à população e vamos fazer tudo que for possível para alcançar todo o bairro”, comenta o secretário municipal de Obras Públicas, Vanderlúcio Rodrigues.

Leia mais:  Primeira-Dama prestigia o Miss Cuiabá 2019 e vê a estudante Hiurika Pinheiro virar a Miss dos 300 anos

De acordo com o presidente da Associação de Moradores, Benedito Anunciação, o Ribeirão do Lipa completou 52 anos de existência e, atualmente, possui cerca de 1.300 imóveis, chegando a um número aproximado de sete mil moradores. Para ele, a execução da obra no local é uma demonstração que a atual gestão tem procurado atender às demandas da região central, mas, ao mesmo tempo, voltar sua atenção também para as comunidades mais afastadas.

“Temos um prefeito que está com os olhos voltados para nossa região. Por isso, para todos os moradores do Ribeirão do Lipa o asfalto é um sonho começa a ser realizado. Nosso bairro tem mais de 50 anos e, em todo esse tempo, nenhuma gestão havia realmente olhado para nosso bairro com vontade de dar uma solução nessa demanda de infraestrutura. Hoje, a obra está sendo feita, inclusive, com a rede de drenagem. Tudo isso gera uma expectativa muito boa em nós moradores”, afirma Anunciação.

O programa

Implantado em 2017, o programa Minha Rua Asfaltada se consolidou como uma grande ação de infraestrutura da Prefeitura de Cuiabá. A medida tem democratizado o benefício da pavimentação, universalizando a prestação do serviço e ampliando para as localidades mais afastadas da região central da Capital. Até o momento são cerca de 30 bairros atendidos pelo programa e um total de 180 quilômetros de malha viária alcançada, entre obras concluídas, em execução e em processo de licitação.

Leia mais:  Audiência sobre mini-estádios se firma como espaço de diálogo entre poder público e sociedade

O número está dentro do planejado pelo Município, que pretende chegar até o ano de 2020 com, pelo menos, 600 quilômetros executados. Para isso, o Executivo não tem medido esforços, tanto para finalizar as obras já iniciadas quanto para conquistar mais recursos e ampliar a quantidade de comunidades contempladas. O andamento das atividades é acompanhado de perto pela Secretaria Municipal de Obras Públicas que, como parte das ferramentas de controle, elabora periodicamente um relatório de execução.

Comentários Facebook
publicidade

Cidades

AL e polícia civil já investigam denúncias de maus tratos e negligência em hospital de Cuiabá

Publicado

Além da Polícia Civil que já abriu investigação contra o Hospital São Judas Tadeu para averiguar denúncias de negligência e maus-tratos contra pacientes, a Câmara Municipal de Cuiabá também vai apurar a situação diante da gravidade dos relatos feitos pela técnica de enfermagem, Amanda Delmondes Benício. Até o momento, os casos de quatro pacientes já são de conhecimento público.

Na Assembleia Legislativa, o deputado estadual Elizeu Nascimento (PSL) apresentou requerimento, na sessão do dia 5 de abril, para que a técnica de enfermagem compareça ao Legislativo Estadual para esclarecer as graves denúncias feitas por ela num boletim de ocorrência na Polícia Civil e também em entrevistas para a imprensa. Depois que a profissional de saúde, que trabalhou durante 50 dias no hospital particular, denunciou o caso na Polícia Civil e na imprensa, familiares de alguns pacientes também estão registrando ocorrências policiais e buscando veículos de comunicação para relatar situações semelhantes.

A delegada Luciani Barros Pereira de Lima conduz a investigação preliminar instaurada pela Delegacia da Capital, situada no bairro Planalto. Ela ouviu a técnica de enfermagem no dia 7 de abril e garante que todas as denúncias feitas pela profissional serão apuradas.

Segundo informações, a Polícia Civil já teria conhecimento de pelo menos sete boletins de ocorrência registrados por familiares de pacientes vítimas de maus-tratos no Hospital São Judas Tadeu. Dentre os pacientes que passaram pelo hospital no período em que Amanda Delmontes ainda trabalhava no local, e que segundo ela, sofreram maus-tratos e foram negligenciados, estão o major da Polícia Militar, Thiago Martins de Souza, de 34 anos, que morreu em decorrência de complicações da Covid-19, na madrugada do dia 3 e o professor Toshio Doi, de 68 anos, que faleceu na madrugada do dia 10.

Leia mais:  Rede pública municipal de Cuiabá terá mais de 600 novas vagas na Educação Infantil em 2019

A técnica de enfermagem Amanda Delmondes afirmou que o professor Toshio Doi foi outra vítima de maus-tratos até ela intervir na situação. “No caso do senhor Toshio, tem a câmera, eu deixei a porta aberta e falei: vocês não vão deixar ele morrer não. Ele caiu da cama, eu fiz uma conchinha nele com lençol, a moça que recolhe sangue falou que vocês não podem fazer isso, ele não tem uma gase, mas eu vou tirar a gaze dele. Ela foi na sala do médico que só mandou levar. Pegou uma maca sem colchão, sem nada, eu ainda coloquei um travesseiro para que a cabeça dele não batesse. Ele estava roxo desfalecendo. O fisio falou que ele estava com a nova bactéria e nada poderia ser feito. Eu falei: pode sim”, contou ela.

Em nota, o presidente da Câmara Municipal de Cuiabá, Juca do Guaraná Filho (MDB), confirmou que a Casa vai apurar as denúncias. Ele solicitou ao presidente da Comissão Permanente de Saúde, Previdência e Assistência Social, o vereador Dr. Luiz Fernando (Republicanos), para apurar denúncia de suposto maus-tratos que o servidor Toshio Doi e outros pacientes teriam sofrido bem como as demais denúncias feitas contra o hospital.

Leia mais:  Gatos e cães não transmitem coronavírus a humanos

DIÁRIAS DE ATÉ R$ 10 MIL 

Em entrevista à TV Cidade Verde, uma mulher que tinha familiar internado do no Hospital São Judas Tadeu, relatou que além de pagar R$ 10 mil na diária, ainda era preciso pagar medicamentos à parte se houvesse necessidade de inclusão no tratamento. Além, disso segundo ela, era cobrado mais R$ 150 por dia somente para alimentação do paciente.

Além da PC, Assembleia e Câmara de Cuiabá, o Conselho Regional de Medicina e também de Enfermagem apuram as denúncias. O hospital segue funcionando normalmente.

por: Folha Max

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana