conecte-se conosco


Entretenimento

“O Quebra-Nozes” resgata imaginação infantil em adaptação do ballet clássico

Publicado

A magia da Disney
parece feita sob medida para uma história como a de “O Quebra Nozes”, ballet de Tchaikovsky de 1891. A história gira em torno de uma menina que se vê em um mundo mágico ao lado de um soldado quebra-nozes que ganhou vida. No local, ela conhece reinos de doce, flocos de neve e flores.



Divulgação

“O Quebra-Nozes e os Quatro Reinos”

O Quebra-Nozes
” já ganhou algumas adaptações no cinema, que vão desde a Barbie até uma bailarina fugindo da União Soviética. Agora, o filme ganha sua versão mais lúdica, apostando na fértil imaginação infantil para viver esse mundo fantástico.

Leia também: Mostra de SP e Festival do Rio apresentam cinema português revitalizado

Em “O Quebra-Nozes e os Quatro Reinos”, que estreia nesta quinta-feira (1º), Mackenzie Foy é Clara, uma jovem inteligente com destreza para física e uma predisposição a dar mais asas a imaginação do que viver na realidade. Com uma irmã mais velha e um irmão mais novo, ela está de luto pela morte da mãe. No Natal, ela e os irmãos ganham presentes da mãe e, ao contrário das lembranças óbvias dos outros, o presente de Clara é especial. Com a ajuda do padrinho Drosselmeyer (uma boa ponta de Morgan Freeman) ela tenta desvendar o ovo prateado com uma fechadura distinta.

Leia mais:  Na África, Gracyanne Barbosa vibra ao reecontrar Arnold Schwarzenegger

Na casa do padrinho, ela sai em busca da chave que acaba por leva-la a um mundo mágico onde conhece o Quebra-Nozes (Jayden Fowora-Knight) e, juntos, embarcam rumo a um mundo encantado que, descobrimos depois, foi criado por sua mãe.



Divulgação

“O Quebra-Nozes e os Quatro Reinos”

Nunca fica muito claro quando ou porque a mãe criou esse mundo, ou porque nunca dividiu isso com os filhos, ou porque é Clara a responsável por conhecê-lo e não os outros dois, mas a menina se vê em uma trágica situação de contar a todos que sua rainha morreu. Em colapso desde o banimento de Mother Ginger (Helen Mirren), o reino está ameaçado e descrente. Sugar Plum ( Keira Knightley
), responsável pelo reino dos doces, oferece um ombro amigo à garota e fala sobre a importância de sua mãe.

Leia também: Thriller psicológico peculiar, “Em Chamas” afasta certezas e abraça a catarse

É fácil compreender porque Clara acredita cegamente no que lhe dizem, afinal ela está em luto pela mãe e essa é sua forma de se apegar a memória dela. Mas a maneira como o filme desenrola a história é bem pobre e acaba tornando tudo previsível.

A Disney claramente se apoiou em sucessos recentes, como “A Bela e a Fera”, para dar vida a essa nova fantasia. Mas, ao agradar os olhos com o mundo encantado, nos distrai de uma trama fraca que faz, de maneira mais simplista, o que a Marvel faz tão bem em seus filmes (o herói triunfa, depois cai, parece impossível se reerguer, mas após muita dúvida e questionamentos pessoais tem sua derradeira vitória).  

Leia mais:  Bomba! Em áudio vazado, Mileide Mihaile ameaça destruir Wesley Safadão

“Os Quatro Reinos” aposta também em metáforas como “as aparências enganam”, na forma de ratos e rainhas duronas. Nesse sentido, a maior surpresa fica por conta de Keira Knightley como a doce fada que tem cabelos de algodão-doce. A voz – doce como seu mundo – causa estranheza no começo, mas a atriz claramente se diverte no papel. Mirren também está ótima, mas tem pouco tempo na tela para impressionar.



Divulgação

“O Quebra-Nozes e os Quatro Reinos”

O ballet que origina a história também surge belíssimo, mas narrado pela fada enquanto Clara o assiste, o que prova, de fato, que o filme está apostando em um público bem infantil.

Leia também: Novo “Halloween” revitaliza slashers, brinca com legado da série, mas ousa pouco

Por fim, o tal quebra-nozes que dá nome ao filme é um mero coadjuvante e serve como um fiel escudeiro da personagem. Essa é realmente a função do personagem, mas com uma nova releitura, era uma boa oportunidade para dar originalidade ao papel. Não acontece e “ O Quebra-Nozes
e os Quatro Reinos” abusa da criatividade infantil para entregar um filme lindo de se ver, mas simples de se acompanhar.

Comentários Facebook
publicidade

Entretenimento

“Foram noites sem dormir”, diz Chay Suede sobre cena de Amor de Mãe

Publicado

 

 

Chay Suede foi o nome do capítulo de Amor de Mãe dessa terça (6/4). Desde o início da noite, o ator brilhou nas cenas em que Danilo descobre as mentiras de Thelma (Adriana Esteves) e terminou deixando o telespectador arrepiado com o encontro entre ele e Lurdes (Regina Casé). Não à toa, Chay foi elogiadíssimo nas redes sociais. A emoção, aliás, continua no capítulo desta quarta (7/4). “Podem preparar o lencinho porque ainda tem muita cena emocionante até o final”, avisa o ator, que considera a cena de ontem uma das mais difíceis de fazer. “Essa novela foi marcante para mim do início ao fim, mas o encontro deles tem um lugar especial na minha vida. Foram noites sem dormir para gravar”.

Chay também não tem dúvida sobre a sua personagem preferida em Amor de Mãe: “Dona Lurdes, claro. Não só em Amor de Mãe, mas de todas as novelas que eu já vi na vida”. Sem contar como vai ficar a relação entre Danilo e Thelma, o ator afirma que é impossível entender e perdoar tudo que ela fez. “Ela deu ré e matou a mãe biológica da esposa do filho. Depois, mandou matar a esposa do filho atropelada. Matou a melhor amiga asfixiada numa garagem e atirou e manteve em cárcere privado a outra melhor amiga. Acho que não dá, né”.

Comentários Facebook
Leia mais:  Na África, Gracyanne Barbosa vibra ao reecontrar Arnold Schwarzenegger
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana