conecte-se conosco


Carros e Motos

O que já sabemos sobre o novo SUV que a Ford está testando no Brasil?

Publicado

Baby Bronco arrow-options
Kleber Pinho da Silva

Projeção antecipa visual do novo SUV, conhecido internamente como “Baby Bronco”. Terá inspirações na F-150

A Ford está intensificando os testes de um novo SUV no Brasil. Conhecido internamente como “Baby Bronco”, o modelo já foi flagrado algumas vezes em Teresina (PI), revelando que o projeto estaria em etapas avançadas. De acordo com a revista americana Automobile, o modelo será apresentado oficialmente nos Estados Unidos, e chegará ao mercado norte-americano no final de 2020 – já como modelo 2021.

LEIA MAIS: Veja todos os lançamentos da Nissan até 2023

Mas na prática, do que se trata o “Baby Bronco”? A Ford já anunciou que sua nova estratégia global inclui o lançamento de novos SUVs e picapes, evitando modelos menos lucrativos. Com pegada aventureira e jeitão de Land Rover, o novo SUV mira um público mais despojado, mas pelo mesmo preço do novo Escape .

Aventureiro nato

Ford Escape arrow-options
Divulgação

O novo “Baby Bronco” deverá compartilhar sua base com o novo Ford Escape americano

Leia mais:  Prazo para adotar placas do Mercosul é adiado novamente

Apesar de ainda não ter aparecido sem camuflagem, os flagras recentes nos Estados Unidos e no Brasil indicam que o novo SUV terá arestas agudas em suas linhas. A partir disso, o designer Kleber Silva concebeu uma projeção que aposta em linhas quadradas e diversos elementos da picape grande F-150.

Fontes internas sugerem que o Bronco terá a mesma plataforma do Escape, a chamada base C2. Isso facilitaria a integração dos novos motores 1.5 turbo de 183 cv e o 2.0 EcoBoost de 253 cv, utilizados no irmão. Pela pegada aventureira, é praticamente certo que o modelo terá tração 4×4.

Resgate ao passado

Nos últimos anos, a Ford passou a resgatar nomes que consagraram produtos de sucesso. É o exemplo do Escort, sedã exclusivo do mercado chinês; e o Puma, SUV que remete ao cupê americano dos anos 70. Neste mesmo cenário, a marca registrou o nome “Maverick” no controle de patentes dos Estados Unidos, em meados de 2018.

LEIA MAIS: Novo Chevrolet Tracker volta a aparecer durante testes em São Paulo

Leia mais:  VW Nivus é visto camuflado antes da estreia, no primeiro semestre

Um registro de patentes não significa, necessariamente, que o nome será utilizado pela fabricante, mas a possibilidade de batizar um novo crossover com a alcunha do lendário cupê dos anos 70 causou polêmica na web. A Ford logo veio a público e desmentiu que o crossover receberia o nome “Maverick”. A imprensa americana já trata o modelo como “Adventurer” ou “Bronco Adventurer”.

Acima do Territory, abaixo do Edge

Territory arrow-options
Divulgação

Ford Territory chegará ao Brasil em 2020. Inicialmente importado da China, SUV poderá ser feito na Argentina

Se for lançado no Brasil. o Baby Bronco deverá fazer o meio de campo entre Territory e Edge. O SUV médio foi anunciado oficialmente em agosto, e será importado da China (onde compartilha sua base com o Yusheng S330) em 2020. Contra Jeep Compass, VW Tiguan e Peugeot 3008, o Territory apostará no motor 1.5 turbo de 145 cv de potência, apenas a gasolina.

LEIA MAIS: Volkswagen aposta em infinidade de SUVs no Brasil, além de híbridos e elétricos

Em entrevista ao iG Carros, o presidente da Ford na América Latina, Lyle Watters, confirmou que o Territory poderá ser regionalizado na Argentina, dependendo de sua demanda na América do Sul.

Comentários Facebook
publicidade

Carros e Motos

General Motors confirma o fim da fabricante australiana Holden

Publicado

por

General Motors arrow-options
Divulgação

Parceira da General Motors desde a década de 30, Holden encerrará suas operações na Austrália, Nova Zelândia e Tailândia até o fim do ano

Em mais um passo no processo de reestruturação global, a General Motors anunciou que fechará a marca Holden na Austrália, Tailândia e Nova Zelândia, encerrando as operações nos países. A GM ainda terá o compromisso de abastecer os mercados com peças e serviços de manutenção até o fim da década.

LEIA MAIS: FCA e PSA anunciam acordo de fusão; confira os detalhes

Estima-se que 600 funcionários perderão o emprego no encerramento da Holden na Oceania. Em Detroit (EUA), Mary Barra, chefe-executiva da GM Global, afirma que fechar a representante no continente é uma decisão difícil, porém correta. 

Mark Reuss, presidente da GM, complementa a declaração de Barra dizendo que a marca tinha planos de reerguer a Holden, mas continuar atuando em um mercado fragmentado como a Oceania teria custo alto.

LEIA MAIS: Renault, Nissan e Mitsubishi revelam novas estratégias para 2020

Leia mais:  Honda HR-V tem descontos de até R$ 6,5 mil na versão LX CVT

Scott Morrison, primeiro-ministro da Austrália, se diz inconformado com a situação. “Estou desapontado, mas não surpreso. Sei que muitos australianos estão irritados neste momento”, disse ele. “Os nossos contribuintes colocaram milhões de dólares nesta companhia multinacional e eles simplesmente encerraram as operações”.

LEIA MAIS: Veja como a parceria entre Ford e VW vai impactar os carros elétricos

Aos poucos, a GM está abandonando mercados não-lucrativos para focar em regiões pontuais, como Estados Unidos, China, Coreia do Sul e Brasil. Em 2017, a fabricante vendeu as marcas Opel e Vauxhall para a Peugeot-Citroën.

Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana